Você está aqui
Home > Medicina Tropical > Transmissão de doenças infecciosas: Como ocorrem ?

Transmissão de doenças infecciosas: Como ocorrem ?

Transmissão de doenças infecciosas

Transmissão de doenças infecciosas

A transmissão de doenças infecciosas exige uma interação entre o agente transmissor, hospedeiro e ambiente.

Cadeia epidemiológica de transmissão de infecção:

 

Agente Infeccioso

É o  micro-organismos que pode causar uma doença infecciosa, existem vários tipos:

  • Bactérias
  • Vírus
  • Fungos
  • Parasitas
  • Príons

Fonte ou Reservatório

Fonte da Infecção ou Reservatório é o local onde o agente infeccioso se encontra.

Neste local, ele consegue viver, crescer e se multiplicar

Pode ser uma pessoa, um objeto, um ambiente, etc.

Fontes ou reservatórios humanos

Quando essa fonte é uma pessoa. Ela não necessariamente precisa estar doente.

  • Ela pode estar ainda no período de incubação (o agente ainda não causou sintomas)
  • Pode estar com sintomas inespecíficos, muitas vezes leves
  • A pessoa pode estar apenas colonizada (o organismo vive nela, sem causar nenhuma doença)

Exemplos de doenças transmitidas de pessoa a pessoa, sem nenhum intermediário: Infecções Sexualmente transmissíveis, Vírus Influenza, Caxumba

Fontes ambientais

Exemplos de Fontes ambientais:

  • Superfícies de materiais (roupas)
  • Superfícies de móveis (cama, mesinha, cabeceira, monitor)
  • Superfícies de equipamentos
  • Solos
  • Plantas
  • Água – o sistema hidráulico por ser fonte de vários micro-organismos (bactérias como a cólera, ou fungos, como o Aspergillus e Fusarium)
  • Ar condicionado – são fontes importantes de infecções em hospitais, principalmente por fungos como Aspergillus)
  • Soluções (até mesmo soluções como álcool e sabão podem ser fontes de infecção se não forem cumpridas as regras de uso)
  • Medicamentos

Fontes ou reservatórios animais

O animal pode estar apenas colonizado pelo micro-organismo.

Exemplos: bactérias em boca, pelos ou unhas de cães ou gatos

A doença pode ser normalmente transmitida de animal a animal, tendo o ser humano como hospedeiro acidental, estas são as chamadas zoonosis

Porta de Saída

É a via pela qual os micro-organismos saem da fonte humana para atingir uma fonte ambiental ou um hospedeiro susceptível.

Exemplos de porta de saída:

  • Trato respiratório
  • Trato geniturinário
  • Trato gastrintestinal
  • Sangue
  • Pele
  • Mucosas.

Forma de transmissão

É o modo com que o agente infeccioso atinge um hospedeiro susceptível.

É a forma de transmissão do micro-organismo que definirá o tipo de isolamento.

Transmissão de doenças infecciosas –  direta por contato

Micro-organismo é transmitido diretamente de pessoa para pessoa: Pele-a-pele, beijo, contato sexual.

Exemplos:

  • Contato de sangue e fluídos corporais do paciente diretamente com mucosa ou pele não íntegra como HIV, Hepatites virais, Clostridium difficile, 
  • Contato direto (mesmo pele íntegra) com pacientes infestados com escabiose
  • Contato direto (mesmo pele íntegra) com pacientes portadores de lesão herpética

Transmissão de doenças infecciosas –  direta por gotas (respiratória)

Quando espirramos, tossimos, ou mesmo falamos, emitimos pequenas partículas que saem por nossa boca ou nariz.

Essas partículas são dispersadas por uma certa distância até caírem no chão.

dependendo do tamanho e peso dessas partículas, elas podem ter diferente alcance.

Existem dois tipos de transmissão direta por gotas ou transmissão respiratória:

  • Transmissão por gotícula
  • Transmissão por aerossol
Transmissão de doenças infecciosas –  Via respiratória por gotícula

As  gotículas respiratórias são partículas muito pequeninas que medem menos que 5 μm (não podem ser vistas a olho nu) e saem do corpo do doente através de tosse, espirro ou fala.

As gotículas respiratórias entram no corpo penetrando nas mucosas de olhos, nariz ou boca.

Exemplo: vírus sincicial respiratório, Bactérias,

Transmissão de doenças infecciosas –  Via respiratória por aerossol

A transmissão por aerossol ocorre pela disseminação de núcleos goticulares ou de pequenas partículas (<5 μm de tamanho).

Essas partículas contêm agentes infecciosos que permanecem infectantes por períodos prolongados e podem percorrer longas distâncias.

O tamanho da partícula proporciona a forma ideal para a inalação, uma vez que é suficientemente pequena para atingir a árvore respiratória sem ser contida pelos cílios presentes na mucosa do trato respiratório superior.

Exemplos: esporos de Aspergillus spp; Mycobacterium tuberculosis

Os micro-organismos carreados desta forma podem atingir longas distâncias através das correntes de ar e ser inalados por pessoas suscetíveis que não tiveram contato próximo ou que estiveram no mesmo quarto com a pessoa infectada

Transmissão de doenças infecciosas – indireta pelo Ar

Transferência de um agente infeccioso desde um reservatório até um hospedeiro através de núcleos de poeira ou gotículas suspensas no ar.

Núcleos de poeira se instalam em superfícies e depois viajam pelo ar através do vento ou queimadas.

Gotículas são partículas muito pequenas e leves que conseguem ficar suspensas no ar por mais tempo e alcançam distancias maiores que os núcleos de poeira e se dispersam mais facilmente.

Exemplo: sarampo.

Transmissão de doenças infecciosas – indireta por veículo

Transferência de um agente infeccioso desde um reservatório até um hospedeiro por vias como:

  • Material biológico (como o sangue)
  • Comida
  • Agua
  • Fomites (objetos inanimados: como luvas, roupas, materiais cirúrgicos, etc)

Um veículo pode funcionar apenas para um meio de transporte para o agente infeccioso, ou como um reservatório (onde ele pode crescer e se multiplicar)

Transmissão de doenças infecciosas – indireta por vetores

Transferência de um agente infeccioso desde um reservatório até um hospedeiro por intermediários animados (animais).

Os vetores podem transportar os agentes infecciosos por meios puramente mecânicos ou participarem do ciclo de vida do micro-organismo.

Cada animal (vetor) pode ser capaz de transmitir um ou vários agentes infecciosos.

Exemplos de vetores:

  • Moscas  ( bactérias causadoras de diarreias infecciosas)
  • Carrapatos (Borreliose – doença de lyme)
  • Mosquitos Aedes aegypti  (Dengue, Zika, Chikungunya, Febre Amarela)
  • Mosquitos do gênero Anopheles (Malária)
  • Roedores (Leptospirose)
  • Morcegos (Raiva, Histoplasmose)
  • Pombos (Paracoco)
  • Gatos (Toxoplasmose, Raiva)

Porta de entrada:

É a via pela qual o agente infeccioso atinge o hospedeiro susceptível.

Exemplos:

  • Trato respiratório,
  • Trato gastrointestinal,
  • Trato urinário,
  • Pele não íntegra,
  • Mucosas.

Hospedeiro Susceptível:

Todos os indivíduos possuem algum grau de susceptibilidade, a depender das condições individuais e do tipo de patógeno.

Nem toda pessoa que entra em contato com algum micro-organismo ficará doente.

Na verdade, a maioria dos agentes infecciosos com os quais temos contato, não nos causa doenças,

O maior exemplo disso é a Tuberculose.

Para que uma pessoa fique doente, na verdade precisa -se de uma série de condições favoráveis, e nem sempre podemos estipular ou quantificar todas elas.

Pessoas com maior risco de desenvolver doenças infecciosas uma vez que entram em contato com o agente:

  • Pacientes imunossuprimidos (com imunidade baixa), independente do motivo da imunossupressão.
  • Recém Nascidos,
  • Queimados,
  • Idosos,
  • Paciente recém operados.

 

Fonte:

CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.

Dúvidas em: “Transmissão de doenças infecciosas: Como ocorrem ?

  1. O meu marido foi arranhado por um homem que estava brigando com o irmão. 1. É possível pegar HIV se o rapaz arranhou o irmão e em seguida arranhou meu marido? Meu marido fez 4 testes com valores NÃO REAGENTE: 5 dias-4 ger, 9 dias-teste rápido, 20 dias-Nat na bolsa de sangue, 37 dias-4 ger. 2. Posso encerrar o caso? Desde já, lhe agradeço!

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top