Você está aqui
Home > Notícias > Osteomielite: Saiba Mais Sobre esta Infecção

Osteomielite: Saiba Mais Sobre esta Infecção

Compartilhe

Osteomielite é uma infecção do osso que pode causar dor e outros sintomas.

“osteo”= osso; “mielo”= medula e “itis”= inflamação/ infecção

Existem vários micro-organismos que podem infectar o osso e causar o que chamamos de osteomielite. A causa mais comum é a bactéria, mas micobactérias como tuberculose e fungos também podem ser a causa.

Quem pode pegar osteomielite?

Osteomielite não é causada apenas por germens hospitalares e qualquer pessoa pode pegar. Contudo, há uma série de fatores de risco para esta doença, como:

  • Pessoas que fizeram algum tipo de cirurgia ortopédica, principalmente as que colocaram material de síntese (parafusos), próteses ou similares. Independente do tempo da cirurgia;
  • Obesidade;
  • Desnutrição;
  • Idade avançada;
  • Tabagismo (pessoas que fumam);
  • Portadores de Diabetes Mellitus, principalmente descompensadas;
  • Pessoas com feridas crônicas, como o pé diabético;
  • Pessoas com insuficiência vascular crônica;
  • Pessoas com doenças articulares, como artrose;
  • Pessoas com imunidade baixa, como portadores do vírus HIV (mesmo com Carga Viral Indetectável no sangue), usuários de corticoides de longa data e pessoas que receberam transplantes de órgãos;
  • Pessoas portadoras de doenças reumatológicas;
  • Pessoas portadoras de coagulopatias (doenças que prejudicam a coagulação do sangue, como a cirrose hepática);
  • Pessoas com anemia antes da cirurgia;
  • Usuários de drogas intravenosas;
  • Pessoas que acabaram de sofrer fraturas com exposição do osso.

Como o osso pode se infectar?

  • A partir de infecções distantes, quando o micro-organismo viaja através do sangue;
  • Invasão de infecção vizinha;
  • Inoculação direta da bactéria no osso, que pode ocorrer durante uma cirurgia, por exemplo;
  • Exposição do osso como em um acidente com fratura exposta, por exemplo;
  • Ossos que possuem próteses articulares, parafusos, etc. possuem maior risco de se infectar, pois é necessária uma quantidade menor do micro-organismo para causar a infecção do que quando o osso está íntegro.

Apesar de uma série de microrganismos poderem causar infecção óssea, os agentes mais comuns são bactérias que vivem naturalmente em nossa pele sem causar problemas e que precisam apenas de uma porta de entrada para chegar até lá.

Você Suspeita Estar com Alguma Infecção?

Agende Hoje mesmo uma Consulta com infectologista.

Algumas situações específicas como fratura exposta em acidente automobilístico ou comorbidades do paciente (como em pacientes diabéticos) podem nos fazer pensar em agentes infecciosos distintos como causas. Para tal, é preciso avaliar cada situação pois é este histórico que nos ajudará a definir o início da terapia antimicrobiana que iniciamos enquanto as culturas coletadas estão em andamento para identificar o agente.

Como Saber se Estou com Osteomielite?

Muitas vezes, apenas a dor está presente, dificultando a movimentação. Mas ela pode vir acompanhada de vários outros sinais ou sintomas. É importante salientar que nem toda a dor é infecciosa.

Osteomielite: Saiba Mais Sobre esta Infecção

Outras causas de dor que NÃO são relacionadas a infecção:

  • Soltura de prótese de causa não infecciosa;
  • Encurtamento de tendão;
  • Desgaste neurológico periférico
    • Exemplo: Neuropatia diabética
  • Inflamação articular não infecciosa
    • Exemplo: Gota; doenças reumatológicas como artrite reumatóide
  • Desgaste articular;
  • Atrofia do músculo.

Por outro lado, a maior causa da soltura de prótese é a infecção, e ela pode se apresentar apenas como uma soltura, sem nenhum outro motivo.

Tipos de osteomielite

A forma mais usada de classificação da osteomielite é por tempo de evolução da doença.

Tempo de evolução da doença nem sempre tem relação com o tempo de aparecimento dos sintomas, muitas vezes a doença tem uma evolução arrastada  de forma assintomática e quando a pessoa finalmente começa a ter sintomas a infecção na verdade começou há muito tempo. 

Além disso,  doença aguda ou crônica não tem relação com a possibilidade ou não de cura.

Se bem é verdade que muitas doenças crônicas muitas vezes possuem controle e não cura, como hipertensão arterial, diabetes mellitus, doenças reumatológicas ou mesmo o HIV, o verdadeiro significado de aguda ou crônica é apenas com relação ao tempo.

Osteomielite: Saiba Mais Sobre esta Infecção

Diferença entre Osteomielite Aguda e Crônica

Não tem nada a ver com ter cura ou não. Essa classificação está relacionada com o tempo de evolução da infecção.

Osteomielite Aguda

Osteomielite Aguda – Infecção recente do osso. Menos de 1 mês de infecção.

Osteomielite Crônica

Infecção com mais de um mês de evolução.

Sinais e Sintomas da Osteomielite AGUDA

Osteomielite: Saiba Mais Sobre esta Infecção
sinais flogiticos em área inflamada = Hiperemia

Geralmente a osteomielite aguda tem quadros mais floridos e são mais fáceis de perceber:

  • Hiperemia no local da infecção (vermelho);
  • Edema (inchaço);
  • Calor local (a região infectada fica quente);
  • Febre;
  • Quando a infecção ocorre logo após uma cirurgia ortopédica, é comum que os pontos se abram ou comece a sair secreção de dentro da ferida cirúrgica. 

Todos estes sinais são referentes a inflamação nós chamamos na medicina de “sinais flogísticos” e não necessariamente estão ligados a infecção. Uma pessoa com um quadro de gota por exemplo, pode ter todos estes comemorativos sem ter infecção. e por isso não basta apenas ter tudo isso. 

Por outro lado, pode não ter nada disso e ainda assim ter infecção. No entanto, sem sombra de dúvida , diante da presença de sinais flogísticos a primeira coisa que se precisa pensar é em descartar infecção. 

Infecção de sítio cirúrgico

Osteomielite: Saiba Mais Sobre esta Infecção
Sinais de Infecção em ferida operatória

Quando a osteomielite ocorre logo após uma cirurgia ortopédica, é comum que os pontos se abram ou comece a sair secreção de dentro da ferida cirúrgica. 

e aqui ocorre outro ponto de confusão frequente, no pós operatório, o simples exame físico é capaz de diagnosticar a infecção de ferida operatória. Mas só o fato da ferida estar infectada não significa necessariamente que o osso também está. Dependendo do tempo da cirurgia, os exames laboratoriais também não serão de grande ajuda pois qualquer alteração presente poderia ser por causa da resposta inflamatória do corpo à cirurgia em sí e não a infecção. Mas pensem que a cirurgia foi feita e aquele corte na pele chega até o osso, apesar de suturado ou costurado a cicatrização vai ocorrendo aos poucos. É aí que entra a expertise do médico infectologista e do médico cirurgião. Muitas vezes a gente precisa de uma limpeza mecânica ou mesmo cirúrgica para avaliar até onde chega aquele processo infeccioso que estamos vendo na pele. A limpeza também é um excelente momento para coletar material de qualidade para se enviar amostra para cultura e conseguirmos descobrir o nome e sobrenome do agente acusador para guiar o tratamento antibiótico. 

 A decisão do próximo passo nesse momento é importantíssima, porque tratar uma osteomielite aguda como se fosse uma infecção superficial de pele, leva a evolução da infecção para osteomielite crônica com todas as implicações que isso traz que eu vou explicar mais pra frente. 

Sinais e Sintomas da Osteomielite CRÔNICA

Osteomielite: Saiba Mais Sobre esta Infecção
Fístula = sinal bem típico de osteomielite crônica
Osteomielite: Saiba Mais Sobre esta Infecção
Fístula = sinal tipico de osteomielite cronica
  • Quando a infecção é antiga, os sintomas podem ser mais brandos. Pode ser difícil pensar no diagnóstico;
  • Muitas vezes, se apresenta apenas como uma dor local persistente;
    • Intensidade variadas, desde um pequeno incômodo que não vai embora até uma dor intensa que leva à limitação funcional ou mesmo total impossibilidade movimentação devido a dor
  • Outras vezes, abre-se um furo na pele e começa a sair secreção, frequentemente purulenta. É a chamada Fístula.
    • Quando a fístula está presente, é um sinal inequívoco de osteomielite crônica. 

É importante dizer que a osteomielite pode estar presente mesmo sem dor ou qualquer outro sintoma dito acima, Inclusive é comum não haver nenhuma alteração dos exames de sangue nesses quadros, o que atrasa ainda mais o diagnóstico.

Como ter certeza do diagnóstico?

Quando os sintomas são típicos e claros, não há dúvida. Mas para confirmar o diagnóstico, exames de imagem podem ajudar a estabelecer o comprometimento do osso. 

Exames de imagem:

Radiografias não ajudam, pois apresentam alterações inespecíficas e tardias.

Osteomielite: Saiba Mais Sobre esta Infecção

Osteomielite: Saiba Mais Sobre esta Infecção

Os melhores exames de imagem são:

  • Tomografias
  • Ressonâncias magnéticas

Estes exames de imagem mostram alterações precoces e definem a extensão da infecção, podendo inclusive ajudar na programação cirúrgica.

O grande problema é que o material de síntese (órteses, próteses, placas ou parafusos) causa interferência nas imagens dos ossos, podendo dificultar bastante a interpretação do exame. Nestes casos, pode-se optar pela cintilografia óssea.

Mas este exame é bastante inespecífico, pois não há como diferenciar ossos inflamados de infectados, e uma pessoa com artrose que é o desgaste da articulação ou artrite não infecciosa por exemplo, apresentará a mesma alteração de uma pessoa com infecção no exame de cintilografia.

Também vale dizer que exames de imagem como Tomografias e Ressonância tem alto valor preditivo positivo, mas baixo preditivo negativo. Isso significa que quando possuem alterações sugestivas de osteomielite é extremamente provável que seja mesmo, mas quando não tem sinais inequívocos de infecção, não significa que o osso não esteja comprometido, ou seja, pode ser um falso negativo.

Anatomia Patológica

Osteomielite: Saiba Mais Sobre esta Infecção

O que confirma o diagnóstico de osteomielite no final das contas é a patologia clínica , isso é feito através da biópsia do osso (um pedacinho do osso que é retirado) ou mesmo uma raspagem do osso feita durante um procedimento de limpeza e esse material é colocado em um microscópio para se avaliar alterações em níveis celular condizente com inflamação óssea causada por um processo infeccioso. Esse exame não estabelece o micro-organismo causador da infecção, mas é definitivo para a confirmação do  diagnóstico.

Microbiologia

É muito importante realizar biópsia do osso, mesmo quando o cirurgião não suspeita de infecção. A infecção pode deixar muitas alterações que não são vistas a olho nu, apenas ao microscópio.

Para definir o microorganismo nós precisamos de outro exame também feito a partir de material coletado durante a limpeza cirúrgica, este material deve ser encaminhado para a microbiologia, onde será cultivado em meios de cultura próprios como sementinhas na estufa.

Este procedimento é muito importante pois nos dá o nome do microorganismo e o perfil de sensibilidade dele, nos dizendo quais antibióticos matam aquela bactéria que está causando a infecção.

Existem alguns microorganismos que são difíceis de crescer em culturas e para esses além das culturas nós realizamos pesquisa de material genético ou outros marcadores de identificação rápida de microrganismos como o exame de BAAR para detecção de tuberculose. 

Osteomielite tem Cura?

Osteomielite: Saiba Mais Sobre esta Infecção
Pilares para o tratamento curativo da osteomielite

Muitos ortopedista mais antigos advogam que osteomielite crônica não tem cura, muitos pacientes sentem após anos de cirurgias e antibióticos com a mesma dor outra e outra vez que seu problema não tem jeito no entando

Osteomielite pode ser curada. 

Desde que sejam cumpridos 3 pilares fundamentais:

  • Limpeza cirúrgica adequada;
  • Antimicrobiano adequado;
  • Quantidade de antimicrobiano adequada (tempo e dose corretos).

Em uma situação em que não seja possível tem qualquer um desses 3 pilares, a cura não será alcançada. Pode se ter controle de sintomas, melhora da qualidade de vida, mas não a cura. 

O tratamento de osteomielite é antes de mais nada um trabalho de equipe, ou seja multiprofissional. No mínimo tem que estar presente o médico cirurgião (que pode ser ortopedista, cirurgião vascular, cirurgião de cabeça e pescoço, buco maxilo, otorrinolaringologista, neurocirurgião, cirurgião plástico etc, a depender da localização da infecção) e o médico infectologista.

Além disso para cada fase do tratamento pode ser necessário a entrada de vários outros profisisonais: intensivista, fisioterapeuta, nutricionista, estomaterapeuta e por aí vai.

O médico cirurgião e o Infectologista precisam estar em perfeita harmonia, funcionam como 2 braços de um mesmo indivíduo trabalhando juntos com movimentos diferentes para fazer a mesma tarefa e seguindo uma única cabeça que é o raciocínio lógico criado a partir da conversa entre todos os envolvidos. Se um não conseguir realizar bem o seu trabalho, o outro não conseguirá fazer o dele adequadamente, se não houver harmonia entre os dois, o prejudicado sempre será o paciente.

Limpeza Cirúrgica Adequada

Osteomielite: Saiba Mais Sobre esta Infecção

O objetivo da cirurgia de limpeza é:

  • Retirar o foco da infecção;
  • Retirar a prótese infectada, quando necessário;
  • Coletar material de osso para a biópsia (para a confirmação diagnóstica);
  • Coletar material para culturas (para identificação do micro-organismo causador da infecção).

Retirar o foco da infecção

Significa retirar o material “sujo”, colecionado (encapsulado como abcessos), ou desvitalizado (que o sangue não irriga mais). O antimicrobiano viaja através do sangue, mesmo se tomado por boca. Então, onde o sangue não chega, o antimicrobiano também não.

Pode ser necessário outras limpezas cirúrgicas durante o tratamento, mesmo que a terapêutica antimicrobiana esteja correta, principalmente em pacientes com fatores de risco para complicações (que são os mesmos fatores de risco para se ter a infecção, como já foi explicado acima).

Precisa mexer na prótese para tirar a infecção?

Osteomielite: Saiba Mais Sobre esta Infecção
Material de síntese exposto = Troca do material

Em pessoas com materiais de síntese ou próteses (material que não pertence ao nosso corpo), ter uma infecção quase sempre significa a retirada ou troca desse material.

As bactérias facilmente grudam na superfície destes materiais e constroem uma proteção, chamada de biofilme. Esse biofilme é como uma película impenetrável pelos antibióticos e o cirurgião não consegue retirá-lo mecanicamente por mais que tente, e a bactéria fica ali protegida.

Quando isso ocorre, mesmo que o antimicrobiano mate todos os micro-organismos que estão ao redor e a infecção aparentemente fique curada, não importa quanto tempo ou dose de antimicrobiano seja usado, após algum tempo de sua suspensão os sintomas da infecção retornam, pois o foco da infecção não foi totalmente retirado.

Além disso, o biofilme não é visto a olho nu, e apenas olhando o material de síntese e o osso ao seu redor durante a cirurgia, não se pode descartar a presença do biofilme.

Em cirurgias que tenham sido feitas há menos de 3 semanas com uma infecção que tenha menos de 2 semanas de evolução, pode-se considerar tentar preservar a prótese (limpar a ferida operatória, sem retirar a prótese).

Quanto maior o tempo de infecção, maior as chances de falha terapêutica por foco mantido devido ao biofilme, caso a prótese não seja tirada ou trocada.

Vamos tentar “salvar a prótese” !

Em cirurgias que tenham sido feitas há menos de 3 semanas com uma infecção que tenha menos de 2 semanas de evolução, pode-se considerar tentar preservar a prótese (limpar a ferida operatória, sem retirar a prótese).

Quanto maior o tempo de infecção, maiores as chances de falha terapêutica por foco mantido devido ao biofilme, caso a prótese não seja tirada ou trocada.

Amostras para culturas

Para se identificar um micro-organismo, o laboratório de microbiologia precisa cultivá-la como se fosse um fazendeiro plantando verduras. Só depois que essas “verduras” começam a crescer é que se consegue identificar qual é o agente causador da infecção.

Existem várias causas que podem fazer com que um micro-organismo não cresça nas culturas, mesmo quando a infecção está presente.

  • O uso de antimicrobiano durante ou suspensos pouco antes da coleta da cultura (causa mais comum);
  • Pouco material coletado para culturas;
  • Proteger o material de forma inadequada dentro do frasco de amostra;
  • Problemas no armazenamento do material;
  • Demora para levar o material para o laboratório de microbiologia, etc.

Por isso, o médico cirurgião deve coletar o máximo de amostras possível e sempre coletar pedacinhos de músculos e ossos.

O não crescimento de micro-organismo na cultura NÃO descarta a presença de infecção.

Infelizmente, coletar a amostra de secreção que está saindo da ferida ou um swab (passar um cotonete por cima da ferida) não ajuda em nada e, muito pelo contrário, pode nos levar a tratar um micro-organismo que está apenas vivendo na pele por fora, e que não é o verdadeiro causador da infecção.

Culturas negativas descartam a infecção?

É muito bom quando conseguimos identificar o agente pois conseguimos guiar a terapêutica, mas a cultura negativa não serve para descartar a infecção.

Lembre-se que o diagnóstico da infecção é pela anatomia patológica,ou seja pela alteração celular do osso que a gente observa ao microscópio e não pela cultura.

Existem várias causas que podem fazer com que um micro-organismo não cresça nas culturas, mesmo quando a infecção está presente. como O uso recente de antimicrobiano ou mesmo estar em uso durante a coleta das amostras, Pouco material coletado para culturas; Preservação inadequada do material; Problemas no armazenamento do material;Demora para levar o material para o laboratório de microbiologia, etc.

Por isso, o médico cirurgião deve coletar o máximo de amostras possível e sempre coletar pedacinhos de músculos e ossos.

Curativos no pós operatório

Osteomielite: Saiba Mais Sobre esta Infecção
Curativo com pressão negativa

Outro aspecto importante do tratamento que diz respeito à limpeza do foco é o fechamento da pele.

Existem duas situações na qual precisamos lançar mão de curativos especiais.

  • Pele insuficiente para fechamento da ferida após limpeza adequada.
    •  Colocação de enxerto de músculo ou de pele (dependendo do tamanho e profundidade da ferida) em área afetada não está indicado
      • Precisa-se resolver a infecção ANTES da colocação do enxerto.
  • Persistência de um processo inflamatório importante que se tem alta probabilidade de ainda ter uma produção de secreção depois da limpeza

Em situações assim são comuns o uso de curativos com pressão negativa que possuem diversas funções:

  • Fechar de pele e proteção,
  • Estimulo do processo de cicatrização
  • Drenagem de secreções que podem ser produzidas nos primeiros dias após a limpeza.

Aquele curativo fica ali enquanto o antibiótico vai fazendo o seu efeito até não se precisar mais daquele tipo de curativo.

Antimicrobiano Adequado

Existem uma infinidade de micro-organismos que podem causar infecção. E para cada grupo deles existem antimicrobianos capazes de matá-los. Identificar o agente causador da infecção é fundamental para acertar o tratamento.

Assim, escolhemos os antimicrobianos que combatem a infecção com menos toxicidade ao organismo do paciente, com menos efeitos colaterais e menor custo possível.

Em caso de suspeita de infecção articular, uma aspiração articular asséptica (com cuidados de limpeza para não contaminar a amostra nem levar a infecção da pele para dentro da articulação), podem ser realizados para retirar o líquido e enviá-lo para culturas.

O problema dos swabs

Swab é uma forma de coleta de material para análise feita através de uma espécie de cotonete raspando alguma superfície.

Ele é muito usado para avaliar colonização por algum microorganismo mas quando se trata de identificar agente causador de uma infecção ele é bastante limitado pois o microorganismo que está presente no exterior da lesão não necessariamente é a mesmo que está causando a infecção. e por mais tentador que seja coletar uma pequena amostra daquela secreção que fica saindo da lesão para tentar “não precisar de abrir” ou seja, fazer a limpeza cirúrgica, essa medida pode acabar saindo muito caro para o paciente pois, além de não fazer a limpeza mecânica do foco infeccioso, fundamental para a eficácia do tratamento,  ainda pode nos guiar para um tratamento antimicrobiano totalmente diferente do que o paciente realmente precisa, expondo-o à toxicidade de uma medicação inútil para aquela situação enquanto dentro dele a infecção segue evoluindo.

Quantidade de Antimicrobiano Adequado

Muitos antimicrobianos não chegam no osso em uma quantidade adequada. Isso também deve ser levado em consideração na hora de escolher o tratamento.

O tempo é igualmente importante. Infecções no osso exigem um tempo de tratamento muito maior que o usado na maioria das infecções, podendo variar de semanas em infecções recentes a meses em infecções mais antigas.

Sempre que prescrevemos um antimicrobiano e não conseguimos acabar com a infecção, seja porque existe um foco mantido (abscesso, biofilme, etc.), ou por não está no tempo ou dose corretos, corremos o risco de causar uma seleção de micro-organismos resistentes.

Isso ocorre porque matamos os micro-organismos sensíveis àquele antimicrobiano e deixamos os que são resistentes a ele livres para se reproduzir. Além disso, expomos o paciente a uma toxicidade e reações ao antimicrobiano que são inúteis. 

Via de administração do antimicrobiano

Osteomielite: Saiba Mais Sobre esta Infecção

O osso já é um órgão de baixa irrigação vascular por natureza e para se garantir uma boa quantidade de antibiótico precisamos priorizar o tratamento antimicrobiano pela via endovenosa pelo menos durante o inicio do tratamento. mesmo que o agente causador tenha opçõa de tratamento por via oral.

Muitos paciente se preocupam com a logística de um tratamento antimicrobiano endovenoso por longos períodos mas essa medida não inviabiliza a alta hospitalar.

Pelo contrário, o mais usado nessa situação é o assistência domiciliar, também chamado de “home care”

Idealmente o pego um tipo de acesso venoso de longa permanêcia chamado de Acesso central de inserção periférica – o PICC, meio de acesso com uma taxa de complicações bem menor que a presenciada em acesso periféricos como o que comumente nos pegam ao entrarmos em um pronto socorro.

Esse acesso é inserido por pessoa capacitado com um ultrassom e também cuidado por pessoas capacitadas e pode ser retirado na própria casa do paciente ao final do tratamento.

O que pode acontecer quando a osteomielite não é curada?

Aumento da área afetada

O principal caminho de evolução de uma osteomielite não tratada adequadamente é o aumento da área afetada. A velocidade de progressão varia de acordo a várias condições, principalmente o estado de imunidade do paciente. Pode ficar anos e anos restrita a uma área até que finalmente começa a crescer causando uma destruição do osso afetado, enfraquecendo-o e causando deformidades. ou mesmo

Fraturas patológicas

Fraturas espontâneas ou com traumas muito leves devido à fragilidade do osso causada pela infecção 

Comprometimento de estruturas articulares 

Quando afeta a articulação pode ocorrer a destruição da cartilagem e do tecido ao redor, resultando em limitação de movimento e dor crônica ou uma dor aguda e bastante intensa como uma gota.

Abscessos

Mesmo fora da articulação quando o processo inflamatório dentro do osso está muito importante, pode causar um Abscesso ósseo que são bolsas cheias de pus, dentro do osso afetado ou nas áreas ao redor. A dor do abscesso ósseo é muito forte até aparecer a  fístula que é como se fosse um caminho de drenagem para toda aquela secreção que apesar de ser uma progressão da doença, traz alívio da dor mesmo sendo mais uma complicação da infecção que ainda não foi adequadamente tratada. 

Amputação do membro

Em casos graves, nos quais a infecção não pode ser controlada e causa danos estruturais extensos e profundos no osso, pode ser necessário realizar a amputação do membro infectado para salvar a vida do paciente. 

Estado inflamatório crônico

Apesar de inicialmente ser uma infecção localizada, a resposta inflamatória ocorre no corpo como um todo pois o organismo é um só, e esse processo inflamatório crônico pode afetar o estado geral de saúde do paciente, levando à perda de peso, fadiga e comprometimento do sistema imunológico.

Infecções recorrentes

As infecções recorrentes são complicações discutíveis, uma vez que na verdade se trata da mesma infecção que volta a piorar porque não foi adequadamente tratada. os seja o paciente toma antibiótico um tempo e resolve todos os sintomas, fecha a ferida acaba a dor, etc. mas como a limpeza cirúrgica não foi adequada ou o tempo de antibiótico não foi suficiente. algum tempo após a suspensão do antibiótico, que pode ser bastante variável, de dias a anos, os sintomas voltam a aparecer.

Sepse

E por último a sepse ou infecção generalizada que por sorte apesar de possivel é uma complicação incomum da osteomielite,  que ocorre quanto infecção do osso chega até a corrente sanguínea e se espalha para todo o corpo, os sintomas dessa complicação se iniciam de forma abrupta e dramática e não necessariamente acompanhada de piora visível no local da infecção primária.

Trata-se de uma complicação que é uma urgência médica e se não for tratada adequada e rapidamente o paciente evolui para a morte em horas .

O que fazer quando não é possível realizar uma cirurgia de limpeza adequada?

Osteomielite: Saiba Mais Sobre esta Infecção

Em alguns casos, a completa retirada do material infectado não é possível:

  • Dificuldades técnicas (como por exemplo, infecção de coluna);
  • Paciente sem condições de passar pela cirurgia (por exemplo, pacientes frágeis que não toleram o porte da cirurgia que precisa ser feita).

Nesses casos, infelizmente a cura não é possível, e o tratamento antimicrobiano é apenas supressivo.

Objetivo do tratamento antimicrobiano por longo tempo quando não há perspectiva de cura:

  • Prevenir a sepse e a bacteremia;
  • Tentar restringir a área infectada;
  • Aliviar sintomas que podem aparecer com a infecção.

Problemas de se usar antimicrobiano por longo tempo quando não há perspectiva de cura:

  • Desgaste do organismo, principalmente fígado e rim;
  • Reações adversas como gastrite e diarreias;
  • Como a infecção não é curada, o micro-organismo vai ficando mais forte, até o antimicrobiano não fazer mais efeito;
  • Custo.

Suspensão do antibiótico antes da cura:

A decisão de manter ou suspender o antimicrobiano nestes casos deve ser tomada em conjunto entre o paciente, familiares e médicos.

Deve-se levar em conta que o uso de antimicrobiano por longos períodos (em alguns casos pelo resto da vida) sem perspectiva de cura pode acabar inevitavelmente levando ao mesmo desfecho que pode ocorrer quando o tratamento é interrompido.

 

Publicado em Publicado em: 25 de jul de 2019 – Última revisão em 21 de Setembro de 2023.

Fontes:


Compartilhe

Não tenha vergonha do HIV!

'Reserve a sua Consulta Hoje.

Dra. Keilla Freitas
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.


https://www.drakeillafreitas.com.br/quem-somos/

143 thoughts on “Osteomielite: Saiba Mais Sobre esta Infecção

  1. Quebrei a canela, o medico colocou um aste interna, em 2017
    Apos um ano senti dor no joelho e junta no tornezelo, apos de 3 dias inchou bastante onde tinha quebrado na canela, e abriu na pele um buraco onde saiu sangue e pús, ela se curou. Depois de 3 meses voltou novamente, e assim vai e vem ate o momento. Sera que tem cura isso ? ouvi relatos que seria alergia da aste no osso. Atualmente eu tomo via oral cipro e cloridato de clindamicina ou bactrim, mas só alivia.
    Obrigado

  2. Bom dia Dra me chamo Richelle e sofri um acidente de trabalho em 2015 tendo fratura exposta no tornozelo direito passei por inúmeras cirurgias e tratamento venoso e oral de antiflamatorios, tenho diagnóstico de osteomielite crônica há mais de quatro anos venho lutando contra essa doença silenciosa mais dolorosa que tudo, agora por mais que tome a medicação pra dor ela persiste e gostaria de saber se continuo lutando contra a infecção ou corto que amputo o mal pela raiz ???

    1. a indicação de amputação deve ser feita entre as equipes que estão cuidando de você. AS vezes não tem como fazer uma limpeza efetiva mantendo o membro e única forma de retirar o foco infeccioso é amputando o membro. mas novamente, isso é uma opção que apenas o médico que te acompanha pode de dar, pois é quem conhece o seu caso.

  3. Bom dia Dra.!
    Minha filha de ano e 3 meses foi diagnosticada com osteomielite no ombro direito. Foi feitam a cirurgia no dia 2 desse mês e após a retirada dos pontos no dia 11 começou a sair um pus espontâneamente. Ela fez Rocefin na veia e agora esta fazendo a oxacilina de 6/6h na veia. Existe a chance desse pus ainda ser normal 18/05? Obs. Ela não está tendo mais febre, só o pus saindo pelo buraquinho que tinha um dreno e um inchaço acima do ombro.

  4. Olá, tive osteomielite no pé, há 2 anos, devido uma mordida de cachorro, fiz o tratamento, e estou bem!!! Preciso extrair o siso, há alguma contra indicação? Posso extrair?

  5. Fratura de fêmur, 1 cirurgia foi colocado aste, 3 meses depois retirada e colocada gaiola, cultura, consta da osteomelite, 1 ano e 5m vancomicina, 2 anos de teicoplamina, parou de vazar. 8 anos depois voltou a vazar, 2 cirurgia de limpeza, não resolveu, médico disse que a bactéria está encapsulada no local da fratura, o antibiótico não chega, mas a bactéria ñ vai sair, não para de vazar, fico com medo de piorar, ñ tomo antibiótico.

  6. Olá Dra Keilla. Fiz biópsia e deu osteomilite no tornozelo. Surgiu no dia 30 de agosto após retirada de parafusos. Fiz curetagem e estou tomando antibiotico de 8 e 8 horas. Mas está vazando um liquido amarelo e vermelho e dois pontos não fecharam. O líquido não é purulento. O que pode ser este liquido? Quanto tempo poderá ficar assim?
    Obrigada!

    1. Boa tarde. Não consigo emitir um parecer sem te examinar. Você precisa se consultar com um médico infectologista de sua confiança para te avaliar pessoalmente e pedir os exames necessários.

  7. Bom noite tudo bem! Gostaria de um artigo de osteomielite crônica , com foto de reconstrução óssea entre 2010 a 2018.

  8. Boa noite doutora Keila! Tive osteomielite aos 40 anos,,fiz uma cirurgia de fêmur, retirei uma até hintra medular, mais precisamente ontem,do nada estou sentindo dor no doido e próximo a virilia, abri a perna por três vezes no período da cirurgia,a senhora acha que isso pode ser sintomas dela?

  9. Bom dia doutora. Tenho 56 anos e contrair osteomielite ao furar o calcaneo em um prego… depois de um ano apareceu os sintomas e ai comecei a fazer varios exames laboratoriais e de imagens, até diagnosticar a doença. Fui internado por 30 dias após operado, tomando soro venos, e após alta continuo tomando antibioticos por via oral. Isso já faz 3 meses e ainda sai uma secreção por um pequeno orificio do tamanho de uma ponta de agulha. Pergunto a doutora: o que fazer para parar esta secreççao? s

    1. Boa noite. Não consigo emitir um parecer sem te examinar. Você precisa se consultar com um médico infectologista de sua confiança para te avaliar pessoalmente e te orientar da melhor forma.

  10. Sou médico, 73 anos, sem comorbidades e em 2013 sofri fratura cominutiva do plateau tibial. Na cirurgia colocaram placas e parafusos de titanio. No pós-operatório tardio ( 6 meses) desenvolvi um derrame articular purulento por enterobacter cloacae. O joelho foi drenado mas não foram retiradas as protéses e tratei com antibiob. EV. Fiquei bem até ha 3 dias qdo acordei com o joelho edemaciado, dor, rubor e calor. A proposta é retirar as proteses, curetagem e antibioticos. Essa é a conduta?

    1. Boa noite. Não consigo emitir um parecer sem te examinar. Você precisa se consultar com um médico infectologista de sua confiança para te avaliar pessoalmente e pedir os exames necessários.

  11. Bom dia! Eu tenho 50 anos fiz uma cirurgia de tornozelo a 6 dias não sinto dor só sinto uma coceira e um calor ainda está com edema estou fazendo certinho os procedimentos tomando antibiótico certo gostaria de saber oque pode ser

  12. Tenho 50 anos faz 6 dias q fiz uma cirurgia de tornozelo não sinto dor só muita coceira e tipo um calor oque pode ser eu me sinto bem está um pouco edema está bem sequinho oque pode ser

  13. Doutora, eu fiz uma cirurgia de reconstrução no qual coloquei um enxerto e foi colocada uma placa cirurgica. Infelizmente, eu tive uma infecção no local e a cirurgia abriu expondo o enxerto. Fiz o exame de cultura da secreção deu positivo para Staphylococcus aureus. O médico decidiu retirar a perte do enxerto que estava infectado, limpar o local e trocar a placa. Mas, a infecção voltou. Nesse caso, só vou conseguir tratar a infecção retirando a placa e tomando os antibióticos?

    1. Boa noite. Não consigo emitir um parecer sem te examinar. Sugiro que procure um médico Infectologista de sua confiança para te avaliar pessoalmente, solicitar os exames necessários e indicar melhor opção de tratamento.

  14. Primeiramente, parabéns pelo site, me sanou muitas dúvidas. Há cerca de um ano fiz cirurgia no cérebro para retirada de tumor. Logo depois a isso, começou a sair secreção por um furinho na cicatriz e um ano após cirurgia fui diagnosticada com osteomielite de crânio. Fiz a cirurgia há 3 dias para retirar o osso infectado e estou em casa tomando antibiótico e esperando o resultado da análise. Dra estou com muito medo de não sarar e a osteomielite propagar para outras áreas do meu crânio .

  15. ola doutora quando tinha 15 anos fiz uma pequena serugia no joelho, mas depois de um tempo começou a sair uma agua no outro lado do joelho pelo um buraquinho so que sarou mas as vezes incha toda a pena e da febre e doe muito isso pode ser osteomielite fiz um raio x e deu como possivel osteomielite fiz exame de sangue e del tudo normal pode ser que tenha curado..

  16. Boa tarde dra. Ja tem 1 ano e 8 meses de cirurgia na tibia e fibula e tem uma semana que começou com uma coceira no local da operaçao uma bolinha e depois dor intensa no.local sem poder nem encontar so queria saber se sera uma possivel infeccao???

  17. ola doutora fiz uma pequena serugia no joelho quando tinha 15 anos fiquei bom mas com uns tres anos depois começou a doer e incha o joelho e dava febre ai depois comecou a sair uma agua pelo um orificio proximo de onde foi feito a serugia mas sendo do outro lado do joelho mas ja faz uns 6 anos que sarou e de vez enquanto fica inchado e doe toda perna dando febre isso pode ser osteomielite ?

    1. Para saber se é osteomielite ou não é fundamental a avaliação de um infectologista experiente no assunto e realizar exames de sangue e imagem para a partir daí, definir-se os próximos passos.

  18. Ola doutora ha 20 anos fiz uma serugia no joelho e pouco tempo depois começou a sair uma agua pelo um orifício do outro lado do joelho e doer muito e incha da febre as vezes isso pode ser osteomielite ultimamente doi e estala muito tenho 35 anos e não sei oq é isso já fui no medico ele mandou fazer um raio x e disse que podia ser osteomielite

  19. doutora a um risco de apos fim do ciclo de tratamento de antibiotico por conta de osteomelite crônica, pode ter um biofilme sobre a medula ossea ?
    oque pode ser feito caso ocorra essa situação ?

    1. O biofilme é formado em cima de materiais não biológicos ou biológicos que não possuem irrigação sanguínea (não fazem parte de nosso organismo). SE existir um biofilme, a única forma de eliminar este foco infeccioso é retirando este material.

  20. Dr Keila o paciente que é diagnosticado com Osteomielite crônica exemplo no fêmur esse paciente ele tem direito ao auxílio doença por se tratar de uma doença crônica ?

  21. Olá Dra tenho uma placa com 6 parafusos na bacia e a alguns meses atrás abriu uma Vístula no grande lábio q drena dia e noite,diz um rx e foi constatado que um lado da placa está solta estou pra fazer a cirurgia pra retirar. Fiz uma tomografia e constou linfodonomegalia um médico diz ser osteomelite o outro não
    Não sinto dores ao andar as vzs um certo incômodo
    Pode ser osteomelite?

    1. É extremamente provável que se seja osteomielite.
      O ideal é que na cirurgia de limpeza, troca-se a prótese (ou até mesmo coloque-se um espaçador) e coleta-se materiais do osso e do músculo para análise como culturas e patologia clínica, tanto para confirmar o diagnóstico de osteomielite quanto para guiar o esquema antimicrobiano.

  22. estou diagnosticado com osteomelite cronica , faltam 10 dias para o termino do ciclo de 4 meses de antibiotico ( cefepina e vancomicina 2 mg ), depois ficarei 1 mês sobre avalição de exames para confiamar que zerou a infracção.
    fiz a limpeza cirurgica e amputação
    ossea de 8 cm do femur e fez a troca do fixador externo.
    minhas dúvidas são : irei para casa com o fixador a um risco de biofilme ? a proposta é uma haste e enxerto osseo, a um risco mt grande de ter osteomelite novamente?.

  23. estou diagnosticado com osteomelite cronica , faltam 10 dias para o termino do ciclo de 4 meses de antibiotico ( cefepina e vancomicina 2 mg ), depois ficarei 1 mês sobre avalição de exames para confiamar que zerou a infracção.
    fiz a limpeza cirurgica e amputação
    ossea de 8 cm do femur e fez a troca do fixador externo.
    minhas dúvidas são : irei para casa com o fixador a um risco de biofilme ? a proposta é uma haste e enxerto osseo, a um risco mt grande de ter osteomelite novamente?

    1. Se a infecção já estiver curada, não há risco de criação de biofilme na no fixador. nova haste deve ser colocada preferencialmente após a probabilidade de infecção estiver afastada.
      De todo jeito, durante a colocação da próximo haste, o ideal é realizar nova coleta de material para culturas (osso e partes moles), com a pessoa sem usar antibióticos) como forma de descartar uma vez mais a presença de qualquer infecção

      1. o meu infectologista disse que eu poderia ter 20%de chances de haver um biofilme na medula ossea ( tutano) , msm apos o tratamento de 4 meses de antibiotico, a conduta a ser feita é por uma haste intra medular no femur e coletar material, caso a biopsia confirme biofilme oque deve ser feito ?

  24. Boa noite Dra, meu filho tem 7 anos de idade e foi diagnosticado com osteomielite aguda localizado no fêmur parte do joelho tendo uma evolução muita rápida se entendo para a parte do quadril em menos de 3 dias ele teve sepse, pneumonia e anemia por conta da infeção, passei uma semana com ele na uti, um dia de entubação 3 procedimentos cirúrgicos para limpeza e 25 dias no total de internamento com antibióticos na veia, eu tive alta ontem estou em casa cm ele sem andar tomando antibiótico via oral

  25. Boa tarde.
    Tive osteomielite no femur aos 09 anos, fiz cirurgia e alongo prazo fui curada, porem tenho dificuldade em caminhar ( sou manca) tem alguma coisa que possa se feito pra melhorar minha situação.
    Obrigada.

  26. Boa noite Dr Keila… Estou internado pois tenho uma osteomielite crônica e e artrite séptica….mais uma coisa que estão deixando os ortopedista perdidos é que já fiz 5 debridamento. .e estou tomando oxicilina….a artrite fui sarado mais a fistula que abriram pra fazer o debridamento uma parte do ponto cirugico não para de sair secreção purulenta….o infectologista prescreveu para fazer 60 dias de oxicilina já estou na metade….e não para a secreção estou sem dor sem febre apenas no oxicilin

  27. Bom dia! Meu filho esta com 10 dias de tratamento de osteomelite com antibiótico na veia e também foi feita a cirurgia pra retirar o foco. Corro algum risco de sequela caso peça ao medico pra tomar medicação oral em casa? Já que na cultura não teve evolução e ele foi diagnosticado bem de início essa osteomelite…

  28. Fiz cirurgia de substituição da aorta torácica ascendente em agosto de 2017 e que resultou em infecção hospitalar. Em fevereiro de 2018 fiz a retirada do esterno com retalho. Foram detectadas 2 bactérias: Klebisiella e S dermatite. Fiquei mais de um mês tomando antibiótico venoso. Saí com o PCR 5. Porém, logo depois fiz 2 outros exames, sendo que o 1º deu PCR 9,9 e o segundo, 15 dias depois, PCR 9. Meu infectologista disse que estou curado. Pode me dar alguma orientação?

    1. Boa tarde. Não consigo emitir um parecer sem examiná-lo pessoalmente, juntamente com uma análise completa do histórico de exames. O ideal é perguntar para o médico que o acompanha, pois é a pessoa mais indicada para avaliar a situação no momento, como já o fez.

  29. Boa tarde!!Minha filha de 12 anos foi diagnosticada com OSTEOMIELITE DE METÁFISE DISTAL FÊMUR DIREITO COM ABSCESSO SUBPERIOSTAL. Ela fez uma cirurgia para drenagem do osso e depois de quase 01 mês de tratamento com antibióticos EV e Oral , a infecção voltou no mesmo lugar, sendo necessário nova drenagem.

    1. Boa tarde. Você precisa levá-la a um médico infectologista de sua confiança, junto com o histórico de exames, para que possa avaliá-la pessoalmente e verificar melhor opção de tratamento.

  30. Dr. Keilla Freitas primeiramente parabéns pelo artigo, ele é muito esclarecedor.
    Meu marido neste momento está internado pela 2° vez no hospital com todos os sintomas de osteomielite crônica, porém os médicos ainda não conseguiram descobrir a causa da infecção que o acomete. Moramos em Uk e aqui com todos os recursos que os hospitais oferecem estou indignada com essa situação, pois da 1° vez de internação por 2 semanas o único diagnóstico q o médico chegou foi a uma possível artrite. Thks

    1. Boa noite e obrigada por suas palavras.
      Infelizmente não consigo fazer uma avaliação à distância. Realmente infecção no osso é algo complexo e nem sempre fácil de diagnosticar.
      Estimo melhoras para seu marido.

      1. Boa noite Dra e obrigada, venho lhe informar que conseguiram achar o foco da infecção do meu marido, a bactéria com biofilme provavelmente está “grudada” com um fio cirúrgico (metal) que está preso ao osso escafóide ,agora ele vai ser submetido a uma cirurgia de retirada do material e biópsia do osso.
        Eu citei para os médicos sobre a osteomielite e eles me disseram que possívelmente é ela a causadora da infecção. Obrigada mais uma vez.

  31. Boa tarde Dra, meu nome é Angela, estou com um problemas em fixar implantes dentario, ja perdi 4 que apresentararam fistilas e cairam com o tempo, e agora estou com o 5 implante , ja esta osseointegrado mas esta infeccionado com a bacteria streptcuccos, estou desconfiado que estou com osteomielite, se eu extrair, o implante e tratar a doença, posso fazer novos implantes no futuro? meu contato angela,zenaide@yahoo.co.br

    1. Bom dia. Não consigo dar um parecer sem te avaliar pessoalmente. Sendo assim, sugiro que procure um médico infectologista de sua confiança para que possa avaliá-la e solicitar os exames cabíveis para seu caso.

  32. Boa noite Dra ! Tive uma fratura no tornozelo à 5 anos á 2 meses o tornozelo veio a furo com secreção e uma dor insuportável ,procurei um ortopedista que diagnosticou uma osteomielite ,tomei cefalexina 500 não resolveu,fiz a cirurgia de retirada da placa e parafusos tomei uns trinta dias Bactrim e nada de melhorar .Sinto muita dor,vou procurar tbm um infectologista .Gostaria de saber se posso contaminar meus familiares ? Tenho cachorro ,galinha ,porquinho da índia em casa isso pode
    piorar

    1. As osteomielites não são transmissíveis, ou seja, não se pode “passar” para outras pessoas ou animais de seu convívio.
      Procure mesmo um medico infectologista pois ele deve acompanhar o seu caso junto com o ortopedista.

  33. Boa tarde! Fraturei a fíbula faz 50 dias, usei gesso, bota porem a 2 semanas eu cai novamente, após isso meu pé está sempre inchado e agora com a coloração avermelhada no peito do pé, fiz raio x e o médico disse que não tem nada, não consigo andar direito nem tocar no peito do pé , pode ser osteomielite?

  34. Dra, boa tarde. Tenho 21 anos e a 5 anos tive infecçao no tornozelo do pé. Fiz os procedimentos cirúrgicos so que agora esta me dando dor no local. O que pode estar acontecendo?

  35. Não coloquei prótese e continuo com o colo do fêmur totalmente destruído. Tenho receio da prótese pois acredito que a infeção persistiu por cauda dos parafusos. As vezes sinto um desconforto na região e acho que pode ser a infeção. Tenho 62 anos e acredito que a volta da infeção pode ser muito perigosa para mim.

  36. Adquiri osteomielite na cirurgia para colocação de parafusos de fixação do fêmur após um acidente automobilístico, tomei antibiótico por 6 meses e tive mais duas cirurgias para limpeza do local, porem a infecção desapareceu após a necrose do colo do fêmur e a retirada dos parafusos, isto sem a necessidade de medicamentos. Tudo isto aconteceu em agosto de 1997 e a 3 anos, no final de 2014 a infecção voltou e durou aproximadamente 30 dias, voltando a desaparecer.

  37. Uma outra dúvida, como o osso ainda não colou por completo, meu pai terá de tirar a placa e colocar um Ilizarov que segundo o ortopedista, ficara lá por uns 6 meses. Esse procedimento é correto?

  38. Em continuação do outro comentário, sei que você cursou aqui em Belo Horizonte mas parece que não mora aqui mais. Tem algum infectologista que seja tão bom quanto você para me indicar? Conhece algum que trabalhe no Madre Teresa? Para que eu consiga um tratamento em conjunto com o ortopedista que não sei você conhece, se chama Thiago Alexandre Alves Silva. Obrigada.

  39. Ola! Meu pai ano passado sofreu um acidente ocasionando uma fratura exposta na tíbia, 3 meses depois ele apresentou infecção,ficou internado por uma semana tomando antibiotico e colheu cultura, por estar tomando antibiótico, a bactéria ficou mascarada.Agora voltou novamente e hj ele esta retirando a placa do local e fazendo a limpeza e vai ficar no Madre Teresa tomando antibiótico por 2 meses mas chegou a tomar o antibiotico por 3 dias e parou na sexta passada,é possível q a bactéria fique masc?

    1. A cura da osteomielite depende de vários fatores. O quadro infeccioso pode melhorar sem ser eliminado e neste caso a infecção pode reaparecer após a suspensão do antibiótico.

  40. Me chamo Paola estou desesperada pois a minha mãe após um acidente de carro fraturou a bacia e quebrou o femo a prótese deu rejeição e ela teve que tirar porém continua com pinos na bacia ela tem um buraquinho na parte de trás da perna próximo a coxa esquerda que vaza um líquido Grosso inodoro 24 horas por dia já fomos ao médico e ele disse que precisava de fazer uma biópsia Porém isso foi há 4 anos que estamos aguardando uma biópsia vazando durante todo esse tempo o que eu faço?????

  41. Sofri por mais de 1 ano com osteomielite no fêmur direito.
    É uma doença complicada e é necessário ter muita paciência para o tratamento.
    Resolvi fazer esse post pois durante o período em que estava com essa infecção não achei nenhum caso na internet de pessoas falando que o tratamento foi bem sucedido.
    Como a Dra. disse, foi necessário o trabalho em equipe de um ortopedista e um infectologista. Realizei a cirurgia e tomei por 5 meses 2 antibióticos intravenoso.

  42. Ela é bailarina, após o tratamento ela pode voltar dançar? Pode acontecer de aparecer o problema em outra parte do corpo?
    Como investigar?

  43. Boa tarde Dra!
    No dia 25 de Set/17, minha filha de 16 a. trincou o punho, próximo ao rádio, ficou 4 semanas com tala, no dia do retorno médico, a radiografia acusou uma falta óssea, fizemos todos os exames solicitados, na qual a biópsia que acusou osteomielite, porém não há secreção externa, na quinta semana iniciamos o tratamento com quinoflox(ciprofloxacino), 2 X ao dia por 3 semanas.
    Será que pelo diagnóstico rápido podemos ter a cura ? Ou na maioria dos casos é cirúrgico?

    1. Não dá para emitir critérios a distância. Osteomielite tem cura desde que usado o antibiótico correto, pelo tempo correto e sem foco mantido.
      Isso só poderia dizer vendo os exames dela e avaliando pessoalmente.

  44. Dra essa infecção não teria que vazar sozinha não ou vou ter que ir no médico para drenar se ela não secar sozinha com o antibiótico

  45. Dra fui. Em ortopedista e ele mandou fazer raio x e me passou antibióticos cefalexina 500 mlg para tomar. Por 15 dias e voltar para revisão. A perna não se encontra mais inchada mais creio que ainda está inflamado a junta dá umas pontadas é ainda doi

  46. Dra fiz uma cirurgia na perna e tornozelo a 1 ano é 1 mês ejá estava me sentindo normal a uma semana eu estava sentado equando fui levantar senti uma dor e meu pé estava todo inchado quando olhei, fui no médico e ele mandou eu tirar raio-x e olhou e me passou cefalexina de 500 mlg para tomar por 15 dias e agora meu pé e perna já não se encontram mais inchados e apenas com um pequena dorzinha no tornozelo e de vez enquanto umas fisgadas na junta do tornozelo o queasenhorameorienta

    1. Você precisa ser avaliado pessoalmente por um médico infectologista para te examinar e pedir os exames necessários para verificar, em caso d que seja uma infecção, a profundidade da mesma.

  47. Dra. Fiz uma cirurgia na perna perna e foi diagnosticada a osteomelite, eu tinha 14 anos e hoje com meus 35 anos estou tendo fortes dores na reagião onde fiz cirurgia, eu moro em Londres e aqui faz frio e talvez seja por isso essas dores? Não sou fumante e acredito que não tenho problema de diabetes familiares ou os outros sintomas.
    As dores eatão mais frequentes de dois meses pra cá, eu lembro que fiz um ciclo de Instano e Instanazolol. Eu aplicava no bumbum, isso pode ser a causa dar dor? Causas e Oportunidades de Prevenção

  48. Dra. Bom dia. Meu noivo sofreu uma amputação da perna esquerda transfemural há três anos e foi submetido a diversas infiltrações devido à dores musculares. Há 5 meses começou a sair secreção do coto e foi diagnosticado com osteomelite. Passou por uma nova amputação para limpeza da área infectada e começou o tratamento com ertapenem através de cateter. Já se passaram 40 dias de medicamento. Ele não sente mais dores, a perna já está cicatrizada, mas realizou uma ressonância e a bactéria cresceu um centímetro. A infecto dele disse pra não se preocupar pois o tratamento é longo. Tenho duas dúvidas: é realmente normal crescer com esse tempo de tratamento? Tem algum impedimento ele retornar a usar prótese externa? Agradeço seu artigo, esclareceu bastante coisa

    1. Não posso emitir critérios sobre a evolução dele sem avaliá-lo pessoalmente e ver os exames dele. Até mesmo para saber o que significa este “crescimento de bacteria” em exame de imagem.

  49. Boa noite dra. Tudo bem??
    Em julho de 2016 sofri um acidente de bike, tive luxação acrômio clavicular de grau 5, mas n houve fratura. Logo após a cirurgia foi constatou osteomielite. Em dezembro retirei o pino e os fios, tomei vancomicina via oral, e depois ciprofloxacino 500mg e bactrim f até maio de 2017. Fiz uma cintilografia e nao constava mais osteomielite. Mas ha uma semana atrás comecei a sentir dores, e o local esta levemente inchado. Sera possível que mesmo sem pino e fios, a osteomielite pode ter voltado??? Se voltou terei que abrir tudo novamente e tomar antibióticos tudo de novo?
    Agradeço desde já a atenção.
    Obrigado!

    1. Não posso dizer o que está acontecendo sem te avaliar pessoalmente e ver os seus exames. contudo, a infecção do osso pode existir sim em partes do corpo sem fios e pinos por diversos motivos.

  50. Dra Boa noite. Sofri um acidente ha 11 meses tive fratura exposta e quebrei a tibia e a fibula. Coloquei fixador externo, depois haste. Tive uma infecção de osteomielite e estou tomando antibiótico no moemnto estou com fixador de novo. O medico infectologista disse que o tratamento de antibioticos deve ser por sete meses ou mais. Quero saber o qur faço para ajudar na calcificação e no tratamento dessa infecção , o meu medico nao perguntoumas sou fumante queria saber se atrapalha. Me alimento bem e tomo os remedios na hora certa.

  51. Boa tarde. Dr Keilla me chamo Kelly tenho 22 anos. Com 3 anos de idade tive osteomielite no joelho fiz cirurgia e de lá até uns dias não sentia dor nem incômodo algum, porém a dias o meu joelho tem inchaço e dor constante, principalmente se vou andar ou dobrar a perna, tive febre e tenho muitos calafrios. A única coisa que ainda não ocorreu foi a vermelhidão no local … Será que é ela denovo?

    Não deveria estar, mas estou com medo.

  52. Boa tarde doutora
    Meu esposo sofreu um acidente de moto em 2012 e teve fratura da tíbia e acetabulo, além de mais 2 fraturas expostas,uma no braço e outra na canela. Devido à fratura do acetabulo ele teve q colocar prótese e teve um encurtamento de 8 cms na perna. Em 2013 abriu um furo no fêmur e começou à vazar secreção purulenta,mas era mt mesmo
    Ficou vazando por um ano,chegou ao ponto de ter q usar aquelas compressas por baixo da roupa,era mt secreção e os mosquitos ficavam rondando. Até q ele conseguiu a cirurgia p retirada da prótese. Daí foi colocado um cimento cirúrgico c um fio p q o antibiótico chegasse até no isso,e ele fez uso de antibióticos via oral por 6 meses. Ele faz acompanhamento à cada 3 meses
    A infecção n sumiu, mas amenizou. Agora ele está aguardando uma nova prótese q deverá ser colocada em outra cirurgia. Mas depende da lei p liberar, pois o valor é altíssimo. Fico mt mal c td isso,pois qd ele retirou a prótese o cirurgião me chamou e falou q o estado dele é gravíssimo e q possivelmente num futuro teria q amputar a perna. E agora recente está querendo abrir um furo na canela tb.
    Ele tinha 27 anos qd acidentou,hoje está c 32.

    1. O tratamento de toda osteomielite depende da retirada do foco infeccioso (cirurgia de limpeza) se necessário, além do antibiótico adequado pelo tempo e dose adequados.
      O tratamento deve ser feito em conjunto: o medico infectologista e o medico cirurgião.

  53. Eu fiz a primeira cirurgia com 14 anos assim que foi diagnosticada a doença, a infecção se manifestou somente quando eu tinha 20 anos, fiz mais uma cirurgia, a infecção é no fêmur inferior direito, até hoje ela não voltou com força, estou com 31 anos, ela não dói com frequência, as vezes eu sinto apenas um incomodo, mas quando faz frio ela dói demais, no momento nesse inverno está doendo tanto que eu tenho dificuldades em me movimentar, eu tomo analgésicos mas enquanto o frio não passa eu sofro muito, eu não procurei tratamento porque não posso pagar por ele, e eu fiz o tratamento quando eu morava em mato grosso pela primeira vez, da segunda vez foi extremamente dificil encontrar um tratamento, pois eu lembro que nenhum médico ou hospital estava sem nenhuma boa vontade de mexer no trabalho de outro médico, me diziam que era delicado e que tinham que isolar um centro cirúrgico inteiro para poder realizar a cirurgia, e esse ultimo hospital que fez a cirurgia foi aqui no estado de são paulo, mas o hospital está extinto, por favor doutora você poderia me informar como eu poderia proceder? e como posso conseguir um tratamento gratuito com mais facilidade, ainda está estagnada mas quando dói eu sofro por uns 2 meses, se puder me ajudar eu agradeço muito, preciso de informações, meu e-mail é fhox85@hotmail.com , ou o meu whatsapp é 11-954875493

  54. Boa tarde Dra, até agora foi o melhor site que encontrei, meu esposo, fez uma cirurgia no fermur, a 7 anos atras, e a mais ou menos 2 meses meio, começou a da febre, dores e inchaço um pouco acima do joelho, sendo assim, fomos ao seu médico que fez todas as cirugias ( pq na época tbm quebrou a tibía), fizemos as ressonâncias, e acusou Osteomelitte, creio que seja a crônica, pois tem muito tempo após a cirurgia.
    ele está internada a 1 semana, tomando Tramal e um antibiotico, no hospital publico, o Ortopedista pediu que ficasse um certo tempo tomando esses medicamentos.
    No resultado diz assim: A OST. É CARACTERIZADA POR OBCESSO INTRA-ÓSSEO Q SE EXTENDE POR 10 X 2,3 CM, INFL NO FERMUR DISTAL…
    ARTEFATO DE SUSCEPTLBDD MAGN JUSTA CORTICAL LATERAL DO FERMUR DISTAL…
    RESULTADO FINAL: NOTANDO MODERADA IRREGULARIDADE CORTICAL NA DIÁFISE MÉDIA / DISTAL DO FERMUR NOTANDO-SE ALTERAÇÕES RESIDUAIS POS-CIRURGICAS E SINAIS DE OSTMLT MEDULAR DISTAL DO FERMUR.
    POR FAVOR # ME DE UMA RESPOSTA. DE JÁ AGRADEÇO MUITO

    1. Não posso emitir critérios assim à distância. Mas pelo laudo do exame parece que possui várias alterações sugestivas de osteomielite.

      Sugiro que procure ​um médico in​fectologista para avaliá-lo pessoalmente e junto com o ortopedista definir a melhor estrategia terapêutica.

      1. Meu filho foi diagnosticado com osteomelite crônica fez uma limpeza no osso no fêmur e a infecção evoluiu pro quadril não sei mais o q fazer ?

  55. Olá boa noite.
    Também tive osteomielite. Acredito que assim como todos aqui que passaram por essa doença não foi fácil. Eu tive na ponta do pé, causada por um “bife” que uma podologa começou e a cada retorno mexendo mais e mais… piorou… Enfim… passei por 6 cirurgias e tive que amputar a ponta do meu dedão do pé. Fiquei internada por 3 meses. Hoje caminho com dificuldades e o meu maior conselho é… não abandonem seus médicos porque vocês não têm mais dor. Minha vida mudou completamente mas hoje depois de 10 meses da minha última cirurgia, volto regularmente ao Infectologista, Ortopedista e o Vascular. Faço exames regularmente por segurança. Parabéns pela página Doutora. Obrigada. Priscila.

  56. Boa Noite, meu filho de 4 anos teve osteomielite no dedo do pe em janeiro de 2016,devido a uma infecção urinaria.Eles fizeram cirurgia e tratrou com antibiotico,graças a Deus ele tá bem,mas morro de medo de voltar.Qual a probabilidade de voltar? Questionei o medico sobre investigar essa infecção urinária, já que nao é comum em menino.É necessaria fazer algum exame investigatorio para a infecção?

    1. Casos de infecção urinaria em homens geralmente devem ser investigadas. Você pode levá-lo a um pediatra ou infectologista pediatra para te orientar melhor.
      Quanto ao retorno da osteomielite. Se ela foi realmente curada, a infecção tratada não volta, mas a pessoa não fica imune a ela e pode se reinfectar.
      A não ser que tenha cirurgia órteses ou próteses ortopédicas, o risco de nova infecção não aumenta apenas pelo fato de ter se infectado antes. tudo depende das causas que levaram a infecção da primeira vez.

  57. boa noite drª, eu fiz uma cirurgia da tibia e fibula à 1 ano e 10 meses e hoje sinto bastante dores no local o que dificulta a andar e não consigo correr. o medico suspeita de osteomielite, à dois meses saiu uma ferida abaixo do umbigo e media + – 6 cm e saia bastante secreção e so sarou depois de 40 dias. e faz 15 dias que tive febre de 39,8°c durante 5 dias, falta de ar, suor repentino a ponto de ficar molhado, escarrando sangue sempre que acordava por uns 4 dias.
    a srª acha que tem a ver com a bactéria ?

  58. Boa noite!!! Sofri um acidente de moto a 4 anos e 8 meses e fraturei o fêmur colocaram uma placa e 8 parafusos, 3 meses após a cirurgia surgiu a infecção, fiz tratamento por aproximadamente por 8 meses com antibiótico e o processo de consolidação óssea também foi muito demorado os médicos na época falaram que meu corpo rejeitou o material e não acharam necessário a retirada do mesmo. Sinto dores constantes na coxa, no joelho e quadril, na região da cirurgia fica vermelho e incha e sai secreção. Alguns ortopedistas chegam a falar que tem que tirar o material, outros que é normal. É normal a pessoa passar grande parte do seu dia com dores?

    1. Boa noite. Existem muitas causas de dor crônica, mas a presença de secreção da área da ferida muito provavelmente indica que o foco infeccioso ainda está mantido.
      Meu conselho é que você procure um médico infectologista para avaliar melhor o seu caso.
      Nessas situações o trabalho do medico infectologista vem junto com o ortopedista para conseguir um melhor resultado.

  59. boa tarde!! Dra. Keila, eu tive inicio de osteomielite quando recém-nascida, devido a vacina BCG mal aplicada, contraindo a bacteria, passei por cirugia no braço direito ( cotovelo), o que me fez ficar com movimento do braço limitado, nao estica totalmente, hoje tenho 40 anos, e nunca tive problemas ate dezembro de 2016, foi quando começaram as dores fortes, diagnosticaram uma tendinite, devido a LER, pois sou esteticista,e desde entao nao consigo mais exercer alguns procedimentos, percebi, mas nao posso afirmar, q atrofiou mais, me causando um pouco mais de encurtamento, gostaria de saber se há possibilidades disso ser sequela da osteomielite que tive na infancia, e tambem gostaria de saber se existe cirugia pra substituir parte do osso q foi gastado. Desde ja agradeço

    1. Bom dia. Para falar com mais propriedade teria que te avaliar pessoalmente al[em de ver seus exames de imagem.
      O que posso dizer assim a distancia é que a osteomielite não tem relação com Lesão por esforço repetitivo.
      Quanto a novas cirurgias. Te aconselho a buscar um ortopedista para te avaliar. existem sim enxertos ósseos. Mas a viabilidade dessas estratégias para a sua situação e com tanto tempo de evolução, precisam ser avaliadas por um especialista na área. Um ortopedista.
      Att,
      Dra Keilla Freitas

  60. Olá. Boa tarde, Meu filho foi diagnosticado com osteomielite crônica na ponta do dedo do pé. Fez uma cirurgia semana passada para limpeza e coleta de material para cultura, que deu como resultado o não crescimento de bactérias, Qual será o provável caminho agora dra? Será que devia ter interrompido o antibiótico por mais tempo. Só parou 1 dia.

    1. Boa noite. Realmente 1 dia sem antibiótico é muito pouco para aumentar a sensibilidade da cultura.
      Quanto mais tempo estiver sem antibiótico melhor. geralmente paramos 15 dias antes de realizar as culturas, mas como minimo uma semana.

  61. Oi Doutora, boa noite !
    Minha mãe teve uma fratura de fêmur há três anos atras,colocou uma prótese e desenvolveu a osteomielite.
    Fez os exames e o médico achou melhor retirar metade dessa prótese e dois meses internada tomando antibióticos,porém, um mês após o tratamento, a infeção voltou novamente.
    Hoje a situação dela, é a seguinte : Ela tem 75 anos, a infeção acabou correndo o fêmur todo da perna dela e a aste que era fixada no osso, está solta, fazendo ela sofrer dores terríveis, como andar, deitar, sentar, enfim, cada movimento, é uma dor, já que essa aste nao esta fixada em nada, apenas em um parafuso na bacia e o resto absolutamente solto.
    O medico disse que, a bactéria está nesta aste e somente uma cirurgia para limpeza poderá ter algum resultado, já que ela já tomou os antibióticos e nao resolveu,porém, se ela retirar esta aste, nao poderá colocar outra, pois nao existe osso para fazer a fixação. A única saída que ele deu foi, retirar a aste, fazer o tratamento com antibióticos, quando a bactéria estiver zerada, fazer um enxerto ósseo e aí sim colocar uma nova aste.
    O sistema publico não vai custear essa cirurgia pelo valor altissimo, então vou entrar na justiça para tentar fazer esse tratamento em algum hospital privado.
    Diante de tudo que te apresentei, a senhora consegue ver luz no fim do túnel para a situação dela ?
    Obrigado!

    1. Sim. quando a bactéria gruda na prótese (faz o biofilme), tirar uma parte da protese não adianta. Nestes casos, precisa de tirar todo o foco infeccioso, caso contrario, a infecção não se cura por mais tempo de antibiótico que se tome.
      Quando se tira todo o foco, pode faltar osso ou partes moles (musculos) para fechar adequadamente, neste caso geralmente o uso de enxertos são uma ótima opção

  62. estou com osteomelite cronica no femo 29 anos . ja fiz todo tipo de raspagem no osso e imedia 01 operação por ano . mas nada adianta ela sempre volta . estou com 54 anos .não tem cura para esta doença

    1. Essa doença só tem cura se for retirado todo o tecido desvitalizado (que estiver sujo), tanto osso quanto partes moles, além de dar o antibiótico correto no tempo correto. se não não tem como curar.

  63. Bom dia !
    Tenho osteomielite desde os 16 anos, hoje tenho 22, a ferida ainda e aberta, e sai secrecao, começou no umero direio, fiz uma cintilografia, e no laudo consta que ja tomou conta do cotovelo.
    Tem cura definitiva pra isso ? mesmo que eu me cure, há risco de voltar?

    1. Boa noite. A Avaliação do medico infectologista deve ser feita em conjunto com a do medico ortopedista. Deve-se avaliar a possibilidade de retirada de todo o tecido sem vida, sujo ou infectado.além de definir o microbio causador da infecção pata dar o antibiótico adequado.
      Uma vez curada realmente a infecção não volta mas a pessoa pode se infectar de novo, como qualquer pessoa que nunca teve esta doença, dependendo de varios fatores de risco ou situação
      Att,
      Dra Keilla Freitas

  64. Meu esposo , após uma cirurgia de fêmur acabou pegando uma bateria de osteomielite à dois anos vive tomando antibiótico porém nunca para de vaza tem um pequeno furo na perna por onde sai a secreção ,já foi várias médico porém não tem um diagnóstico certo será que tem outro jeito de curar essa bateria,um exame talvez pra saber ao menos o antibiótico certo? Desde já agradeço

    1. Boa noite.
      Osteomielite tem cura, mas para isso acontecer precisa de:
      # Fazer a limpeza cirúrgica e tirando todo o foco infeccioso
      o antibiótico viaja através do sangue, então qualquer lugar onde o sangue não chega, o antibiótico também não. É como querer limpar o chão de casa apenas passando um pano com desinfetante, sem varrer primeiro. o desinfetante, é como o antibiótico, se tem terra no chão, por exemplo, o desinfetante sozinho não vai resolver. Assim é com a infecção no osso. O trabalho do infectologista tem que vir junto com o ortopedista, se o ortopedista não faz seu trabalho bem feito, o infectologista também não conseguirá fazer o dele.
      # Antibiótico certo na dose certa pela tempo certo
      O único exame capaz de identificar qual a bactéria causadora da infecção é a cultura daquilo que está infectado. Esse material pode ser coletado por punção se tiver liquido colecionado dentro ouo material do músculo coletado pelo cirurgião durante a cirurgia de limpeza.

  65. Eu sofri muito aos 13 anos com essa doença. Foram 4 cirurgias, até que Deus colocou em nosso cominho um médico que me curou até hoje aos 33 anos.

    Quando penso choro, por lembrar que entrei na UTI e fiquei entre a vida é a morte durante 48h

    1. Eu tenho Osteomielite desde os 12 anos hoje estou com 36 anos ja fiz 6 cirugias e ate hoje nao consegui me livrar dessa doença, se alguém poder me indicar um médico que seja bom como foi pro Rodrigo Araújo eu agradeceria muito, ja passei por varios ortopedistas e infectologistas e ate hoje nada de melhora..

      1. Boa noite. Você precisa de um trabalho em conjunto com o Infectologista e o Cirurgião.
        Antes de mais nada. precisaria te avaliar e conhecer melhor sua historia para a partir daí poder indicar um médico que seja mais indicado para o seu caso.Conheço vários profissionais do Hospital Sírio Libanês e Oswaldo Cruz.

    2. Oi Rodrigo. Que bênção. Me ajude a encontrar esse medico tbm. Tenho osteomielite desde os 16 anos. Hj tenho 46. Ja fiz uma cirurgia. Mas ainda sinto dor

    3. Meu caso é bem parecido com o do Rodrigo, tive osteomelite aos 9 anos, a ultima cirurgia foi a 15 anos atrás, tbm saia secreção o tempo todo por um furo na cicatriz, femur, saiu um pedaçinho do osso a 11 anos, fechou e nunca mais tive nada, isso é sinal de cura? fiz exames a mais ou menos 4 anos, o medico garantiu que não ha sinal de osteomelite, é possível?

  66. Texto muito elucidativo. Após cirurgia com protese e suspeita, fui medicado por 14 dias com dois antibióticos venosos, Tazocin e Vancomicina e estou, no momento, por 30 dias (ou.mais) utilizando Tamiran via oral enqto realizo exames de sangue e cintilografia tecnesio e gálio. Meu implante está com uma “mobilidade” não sei expressar bem, que causa incômodo no braço. Operei tem um mês e foi feita limpeza cirúrgica 10 dias após a cirurgia, devido aparecimento de um hematoma. Não foi feita cultura de osso, apenas swab com resultado negativo. A cultura de sangue por 5 duas tb não apresentou bactérias. Os índices de pcr e vhs, segundo os medicos, não foram elevados, mas não os tenho agora para informar. Acredita que sigo um protocolo de tratamento favorável? Obg!

    1. Dra, fiz uma cirurgia na coluna a 5 anos, e somente agora, através de um exame sanguíneo descobri uma infecção no osso, o médico informou que eu tenho a opção de abrir tudo novamente, retirar a platina e os parafusos e tratar ( correndo riscos ) ou permanecer com a dor na coluna. Ele informou que a inflamação está estagnada que não deve melhorar mas também não piorar, mesmo assim tenho receio, isso pode me levar a morte? Como deveria proceder? Ingestão Excessiva de Carboidrato Aumenta o Risco de Morte

      1. Boa noite.
        Não posso emitir nenhum critério sobre o seu caso em específico sem que examinar pessoalmente e avaliar seus exames.
        Mas de forma geral posso dizer que infecção no osso só tem proposta curativa se for retirado o foco (ou seja, tirar todas as sujeiras ou tecido desvitalizado) e dar o antibiótico adequado para aquela bactéria, pela dose e tempo adequado.
        Quando a cirurgia de limpeza não for possível quando indicada. Seja por dificultada técnica ou condições do pacientes, o antibiótico sozinho não consegue retirar o foco e consequentemente não há proposta curativa.
        A partir daí podem acontecer 2 cenários: Ou o organismo consegue conter a infecção e ela fica restrita àquela área. Ou a infecção evolui, seja acometendo tecidos vizinhos, aumentando a área de infecção, seja “caindo”na corrente sanguínea, levando a uma infecção generalizada.
        Att,
        Dra Keilla Freitas

    2. Bom dia,
      Osteomielite crônicas podem ser de difícil diagnóstico, pois podem não apresentar alterações nos exames de sangue, exames de imagem acabam não sendo específicos como a cintilografia, ou com seus resultados prejudicados por causa da presenças de materiais como placas, parafusos, próteses etc. Além disso a visão do osso a olho nu durante a cirurgia também pode não mostrar alterações.
      Existem muitas causas de soltura de prótese. Nem todas são infecciosas, mas a infecção do osso precisa sem dúvida ser descartada.
      Exames de cultura do osso, partes moles e liquido articular coletado durante a limpeza, se realizado corretamente são de grande ajuda quando isolam algum microbio, mas quando não cresce nada, também não exclui a infecção pois existem muitas causas para o não crescimento da bactéria em culturas em vigência de uma infecção. o mais comum dele é fazer culturas em uso de antibióticos ou pouco tempo apos seu término, mas existem outras causas..
      Culturas de swab, mesmo quando isolam ao agente não possuem nenhum valor pois mostram apenas as bactérias que colonizam a pele e não necessariamente a que está causando a infecção por dentro.
      Att
      Dra Keilla Freitas

    3. Boa noite,
      E difícil de avaliar assim a distancia, pois infecção no osso é algo complexo e nem sempre fácil de diagnosticar.
      Pode haver infecção sem inflamação local ou mesmo sem alteração dos exames de sangue.
      Culturas de bactérias no sangue também são muito difíceis de isolarem agente pois a infecção a principio não é “generalizada” ao menos que já haja complicações. Culturas de swab também não são indicados, e mesmo que venha positivo, pode não corresponder ao agente causador da infecção e sim apenas bactérias que estão colonizando a pele.
      Uma das causas de prótese frouxa é a própria infecção do osso mas o diagnóstico definitivo disso, apenas com culturas e estudo anatomopatológico do osso.
      Att,
      Dra Keilla Freitas

  67. I simply wished to thank you very much again. I am not sure the things that I might have tried in the absence of the type of strategies contributed by you about such a problem. It absolutely was an absolute fearsome concern in my opinion, but understanding this well-written approach you resolved it took me to leap over joy. Now i am happier for your help and in addition hope you know what an amazing job that you are putting in educating most people all through your web site. Most likely you haven’t come across any of us.
    promo codes http://www.bliksem999.com/user/savingplaza9/

Deixe um comentário

Top