Você está aqui
Home > Notícias > HIV/AIDS > Como Agir Após Exposição Ao HIV?

Como Agir Após Exposição Ao HIV?

Como Agir Após Exposição ao HIV
Compartilhe

Como Agir Após Exposição Ao HIV. O preconceito e a desinformação ainda são os principais motivos pelos quais muitas pessoas não sabem o que fazer após a exposição ao HIV. Além disso, também não é incomum encontrar pessoas que não sabem se realmente estiveram expostas a esse vírus.

Essa falta de noção pode trazer dois problemas extremos por um lado negligência uma vez que se expõe e não valoriza esta exposição podendo levar a uma falsa sensação de segurança ou até mesmo o diagnóstico tardio da infecção com consequências não apenas graves para a pessoa infectada que tem a infecção evoluindo dentro de si quanto o aumento da transmissão a outras pessoas.

A outra ponta do problema de falta de noção do que é realmente exposição ao HIV é a preocupação desnecessária levando ao agravo de problemas mentais como ansiedade, Transtorno obsessivo compulsivo, ideia fixa, etc, dificuldade em se relacionar com outras pessoas, gasto excessivo com exames desnecessários

Conhecer o vírus da imunodeficiência humana, seus riscos e principalmente sua forma de transmissão é essencial para evitar a contaminação. Continue a leitura desse artigo e saiba mais sobre como agir após se expor ao HIV.

O HIV

Você Suspeita Estar com Alguma Infecção?

Agende Hoje mesmo uma Consulta com infectologista.

O vírus da imunodeficiência humana, também conhecido popularmente pela sigla HIV, é uma condição diretamente associada ao ataque desse vírus no nosso sistema imunológico, prejudicando especificamente as células chamadas CD4, responsáveis por ajudar o organismo a combater infecções.

Quando não tratado adequadamente, o HIV pode levar à Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS), uma condição na qual o sistema imunológico fica tão enfraquecido que a pessoa fica suscetível a infecções e doenças oportunistas graves.

Tipo de Exposição

Podemos chamar de exposição ao HIV quando um material potencialmente contaminado tem contato direto com uma pessoa, através de uma das formas abaixo:

  • Percutânea (perfuração da pele por instrumentos como agulha);
  • Membranas mucosas como: genitais, ânus, olho, nariz, boca;
  • Pele não íntegra (contato direto do material com pele lesionada como feridas, cortes ou alguns tipos de doenças que comprometam a integridade da pele);
  • Mordedura com presença de sangue (quando uma mordida é tão forte a ponto de tirar sangue, tanto a pessoa que mordeu, quanto a que foi a mordida devem ser avaliadas para a PEP).

Como Agir Após Exposição ao HIV?

Qualquer pessoa, independente do estilo de vida, pode acabar de algum modo se expondo ao risco de se infectar pelo HIV. Quando isso ocorre, é importante fazer uma avaliação médica o mais rápido possível que incluirá:

  • Gravidade da exposição ao risco;
  • Tempo em que ocorreu o risco;
  • Indicação do esquema de profilaxia pós-exposição (PEP);
  • Sorologia da pessoa com relação ao HIV;
  • Contra indicação a algum componente do esquema padrão.

Ao se expor ao risco de contrair HIV, existe uma série de procedimentos que devem ser tomados pelo médico infectologista, para diagnosticar e até mesmo evitar que ocorra esta infecção.

PEP

Se você está preocupado com a exposição ao HIV, seu médico pode recomendar a terapia de profilaxia pós-exposição (PEP). PEP é um tratamento antirretroviral que pode prevenir a infecção pelo HIV se iniciado dentro de 72 horas após a exposição.

A avaliação do médico infectologista é fundamental para avaliar se existe indicação e benefício para a PEP.

Cuidados Contra o HIV

Qualquer pessoa sexualmente ativa pode estar sujeita a se infectar com o vírus da imunodeficiência humana. Por isso, conhecer maneiras de como evitar o contato com o vírus é essencial.

Algumas dessas formas de evitar a contaminação são:

Realize Testes de HIV Regularmente

Mesmo se você tomar PEP, é importante fazer testes de HIV regularmente para garantir que você não tenha sido infectado. Se você teve uma exposição de risco, pode ser necessário fazer testes de HIV regularmente durante um período de tempo.

Pratique Sexo Seguro

Evite ter relações sexuais desprotegidas ou compartilhar agulhas com outras pessoas, mesmo que você esteja em PEP ou tenha tido exposição ao HIV no passado.

Cuide da Sua Saúde Mental

A preocupação com a exposição ao HIV pode ser estressante e ansiosa. Certifique-se de cuidar da sua saúde mental e procure apoio emocional se precisar.

Considere a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP)

Se você estiver em risco aumentado de exposição ao HIV, seu médico pode recomendar a terapia de profilaxia pré-exposição (PrEP), que é uma combinação de medicamentos antirretrovirais tomados diariamente para prevenir a infecção pelo HIV.

Informe Seus Parceiros Sexuais

Se você descobrir que foi infectado pelo HIV, é importante informar seus parceiros sexuais para que eles possam fazer testes de HIV e, se necessário, receber tratamento.

Assista ao vídeo e saiba mais:

Se você ainda tem dúvidas a respeito do HIV ou como agir após uma exposição a esse vírus, consulte seu médico infectologista de confiança. Para saber mais sobre o diagnóstico do HIV, clique aqui.

Mais informações sobre este assunto na Internet:

Artigo Publicado em: 28 de jan de 2018 e Atualizado em: 04 de jun de 2024


Compartilhe

Não tenha vergonha do HIV!

'Reserve a sua Consulta Hoje.

Dra. Keilla Freitas
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.


https://www.drakeillafreitas.com.br/quem-somos/

28 thoughts on “Como Agir Após Exposição Ao HIV?

  1. Olá doutora, tive uma possível exposição (meu preservativo rompeu numa relação vaginal insertiva e fiquei exposto durante alguns segundos), comecei a fazer a PEP 24 horas depois do incidente e terminei os 28 dias de medicação tomando sempre no mesmo horário e não tive nenhum efeito colateral intenso. Porém, após 2/3 dias após o fim da medicação comecei a sentir ardência na glande ao urinar, com isso, fico com a seguinte dúvida, posso estar com infecção aguda do HIV porque a PEP falhou?

  2. Dra boa tarde

    Estou me testando há 16 meses e sempre negativos, mas estou apavorada pq tenho sintomas e nenhim médico liga pro que eu falo.
    Já fiz exames de todos os tipos, agora fiz com 500 dias um rápido e aguardando outra sorologia, estou morrendo de medo, pq sinto minha imunidade baixa, pode haver soroconversão com mais de 1 ano?

  3. Dra fui fazer um teste ontem num SAE,notei q o algodão que a enfermeira usou estava parecendo usado como se tivesse limpado a pele,pensei que fosse o mesmo q ela usou para desinfetar meu braço,questionei meu namorado e ele disse q ela descartou o q usou para desinfetar e depois usou outro p/ estancar que estava no pote, na hora que tirou do meu braço viu uma gota de sangue q poderia ser meu.Caso esse algodão usado estivesse com sangue poderia me contaminar?A pep é indicada?Estou preocupada

  4. Bom dia Dra se fazer uso da PEP desnecessário oque acontece ( fazer uso e depois a parceira comprovar não ter nada) o fato do uso desnecessário causa algum sintoma ou expõem o organismo a algo ?

    1. O uso de vários esquemas antirretrovirais pode fazer com o vírus desenvolva resistência aos remédios usados no esquema.
      Se a pessoa fonte teve exposição ao risco de pegar HIV nos últimos 30 dias prévio à realização do exame, poderia estar na janela imunológica e nesse caso, mesmo com o teste dela dando negativo, você teria a indicação do uso da PEP.
      SE ela não teve exposição de risco nos ultimos 30 dias que antecedem a realização do exame. você poderia interromper o uso da PEP.

  5. Comecei o PEP 5 dias dps da ultima relação (tranzamos 10vzs em 4 dias), a mando de um infecto; ele disse p/ tentar o remédio mesmo assim. Sou só ativo/sexo. Faço o teste após 30 dias de exposição, mesmo em uso do PEP? Medicação pode clamuflar resultados do Elisa ou WBlott? Farei aos 60/90 dias, mas é a ansiedade pq a pessoa dps contou que é soro+

    1. vc pode fazer o teste após 30 dias da ultima exposição, independente de estar usando a PEP ainda. o WB só é feito se o teste de 4ª geração for positivo. mas nem precisa ser feito, pois em caso de exame de 4ª geração já se pode confirmar o diagnóstico com teste moleculares, sem a necessidade de realizar o WB.

  6. Olá Dra.. ja relatei aqui minha historia… entao o rapaz que tive contato fez teste rapido com 75 dia, 109 dias e no laboratorio fez o teste mas era imunocromatografico, com 120 dias, tudo deu negativo, e eu fiz o teste de quarta geração com 88 dias negativo tb… eu corro risco de ter pego hiv dele… mesmo diante destes fatos? Obrigada

  7. boa noite, Dra keila! estou conhecendo um rapaz soropositivo que tem carga viral indetectavel há 3 anos e nao aceita transar com preservativo, corro algum risco nessa exposição se nao usar o preservativo?

  8. Dra., tive relações sexuais sem proteção com um outro rapaz de sorologia desconhecida. No dia seguinte procurei ajuda e comecei a tomar os remédios para pós-exposição. O mesmo rapaz fez hoje exames para saber se tem alguma DST ou não. Caso ele não tenha, teria algum problema parar de tomar os remédios antes dos 28 dias ou teria que completar mesmo assim? O organismo pode criar algum tipo de resistência à medicação caso eu venha precisar um dia, ou não tem perigo?
    Obrigado.

  9. Dra., masturbei um garoto de programa, passei a língua em partes de seu corpo e seus testículos. Passei os lábios pela sua glande. Também fui masturbado. Não observei se suas mãos estavam limpas. Depoipos isso percebi que havia uma pequena ferida em minha mão, que tinha sido do dia anterior. Notei também uma pequena afita. Devo fazer PEP ou não há risco?

  10. Doutora é possivel se contaminar com HIV usando um brinquedo sexual após ser limpo com sabão neutro e esterelizado com álcool , sendo que faz mais de uma semana que a ultima pessoa que usou? Obrigada.

  11. Olá Doutora,
    É possível se infectar com HIV limpando uma mancha de sangue seco com um pano pouco umedecido com removedor para limpeza?

  12. Procurei em varios site e blog, sobre pessoas que se infectaram com HIV fazendo unica e exclusivamente sero oral . independente se ha ou nao ejaculaççao .nao acheia. Nada . ha algum site que comprove esta estatistica de risco que varia 0.00 a 0.04 % para sexo oral ?

  13. Com realacao a sexo oral insertiva . com homens de sorologia desconhecida . sem haver nitidamente ejaculaçao e nem ferimentos na boca da pessoa que fez . ha risco generalizado para HIV . o Pep e indicado nesses casos ?

  14. Boa tarde Dra.
    Uma pergunta: O fato de ter herpes tipo 2 pode prolongar a janela imunológica para um test CMIA de 4ta. geração?
    Obrigado

      1. Comecei o PEP 5 dias dps da ultima relação (tranzamos 10vzs em 4 dias), a mando de um infecto; ele disse p/ tentar o remédio mesmo assim. Sou só ativo/sexo. Faço o teste após 30 dias de exposição, mesmo em uso do PEP? Medicação pode clamuflar resultados do Elisa ou WBlott? Farei aos 60/90 dias, mas é a ansiedade pq a pessoa dps contou que é soro+

        1. WB não é usado de rastreio. Ele é feito apenas se o exames de sorologia como o de 4ª geração der positivo. e na verdade, quando o exame de 4ª egração dá positivo e fazemos o de carga viral em seguida, o exame de WB em e necessário.
          com relação ao tempo para repetir o exame, pode repetir os exames diagnóstico com 30 dias após a exposição de risco, independendo de estar usando a PEP ou não, e os de 90 dias após a exposição para para encerrar o caso, com um resultado negativo.

Deixe um comentário

Top