Você está aqui
Home > DSTs > Tempo de Sobrevivência do HIV Fora do Corpo Humano

Tempo de Sobrevivência do HIV Fora do Corpo Humano

Infectologista - Tempo de Sobrevivência do HIV Fora do Corpo Humano
Compartilhe

HIV Fora do Corpo Humano

Existe uma grande preocupação com relação a possibilidade de transmissão do HIV por contato direto, como ajudar a limpar alguém sujo de sangue, ou indireto, como tocar em superfícies sujas de sangue ou outros materiais biológicos.

Essa preocupação é compreensível mas, na maioria das vezes, infundada. Saber o tempo de sobrevivência do HIV fora do corpo humano ajuda a evitar o preconceito, desgaste psicológico ou mesmo o uso desnecessário de profilaxia pós-exposição (PEP).

O HIV precisa estar dentro de uma célula para sobreviver e morre rapidamente fora dela. Quando o vírus está dentro de uma célula, ou seja, em um material biológico contaminante como sangue, sêmen, etc., mesmo que esteja fora do corpo humano, ele pode sobreviver por um tempo que varia de acordo com vários fatores. Em algumas situações, o vírus pode sobreviver até várias semanas.

Fatores que determinam o tempo de sobrevivência do HIV fora do corpo humano:

  • Tipo do material biológico no qual se encontra o vírus HIV;
  • Volume do material;
  • Concentração do vírus dentro do material;
  • Temperatura;
  • Acidez do material;
  • Exposição à luz solar;
  • Exposição à umidade.

Vale lembrar que apesar do HIV ter sido encontrado vivo nesses materiais, não foi confirmado nenhum caso de transmissão do vírus através do contato direto da pele íntegra com material contaminante.

Condições que matam o HIV fora do corpo humano:

  • Temperaturas acima de 60°C.
  • PH menores que 7 e maiores que 8. 

Materiais biológicos capazes de transmitir o HIV:

  • Sangue, ou materiais contendo sangue;
  • Sêmen ou líquido que sai antes da ejaculação;
  • Fluido vaginal;
  • Líquidos de serosas (peritoneal – capa que reveste os órgãos abdominais, pleural – capa que reveste os pulmões, pericárdico – capa que reveste o coração);
  • Líquido amniótico – líquido que protege o feto dentro da placenta;
  • Liquor – líquido que reveste o sistema nervoso central (cérebro e espinha);
  • Líquido articular – líquido que fica dentro das articulações ou juntas.

Materiais biológicos NÃO capazes de transmitir o HIV:

  • Suor;
  • Lágrima;
  • Fezes;
  • Urina;
  • Vômitos;
  • Secreções nasais;
  • Saliva (exceto em ambientes odontológicos).

Situações nas quais se pode contrair HIV:

  • Comer alimentos que tenham sido pré-mastigados por uma pessoa infectada pelo vírus (raro);
  • Relação sexual entre duas mulheres (se a pessoa infectada estiver menstruada, o risco é maior);
  • Fazer tatuagens com agulhas sujas de sangue ou tinta contaminada;
  • Compartilhar seringas usadas;
  • Relação sexual sem preservativo.

Situações nais quais NÃO se pode ser infectado pelo HIV:

  • Abraço, aperto de mão, beijo no rosto;
  • Beijo na boca;
  • Usar o mesmo banheiro;
  • Usar os mesmos utensílios de cozinha e talheres;
  • Ingerir alimentos que tenham sido tocados por portadores do HIV;
  • Alimentos que contenham pequena quantidade de sangue ou sêmen infectado pelo HIV;
  • Picada de inseto;
  • Receber cuspes ou arranhadura de pessoa infectada;
  • Fazer tatuagens com agulhas e equipamentos descartáveis ou esterilizados.

Importante lembrar:

  • Ainda que uma pessoa seja portadora do vírus HIV, a reinfecção existe. Ou seja, ela pode se infectar com outros vírus se tiver novas exposições de risco e isso aumenta o risco da criação de resistência do vírus aos antirretrovirais, causando assim a falha do tratamento.
  • Pessoas com carga viral indetectável possuem menor possibilidade de transmitir o vírus, mas ainda assim ele existe.

Fontes:


Compartilhe
Dra. Keilla Freitas
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.


https://www.drakeillafreitas.com.br/quem-somos/

1.069 thoughts on “Tempo de Sobrevivência do HIV Fora do Corpo Humano

  1. Exposição à luz solar e exposição à umidade (água) diminuem o tempo de vida do hiv fora do corpo? Não ficou claro se diminui ou aumenta no texto.

  2. Boa noite Dra!
    Passei o dedo indicador em cima de uma mancha de sangue no sofá, pelo visto tinha pouco tempo ali pois o profissional que estava montando se cortou.
    Ao retirar o dedo da mancha que até aquele momento não sabia do ocorrido, percebi que meu dedo estava sujo, amarelado.
    Lavei com água e sabão detergente, álcool gel a 70.
    Ao olhar, a pele do dedo estava intacta, sem nenhummachucado. Corro algum risco?
    Obrigada pela atenção!

  3. ola DRa. eu sai da natacaO E FUI AO BANHEIRO.
    DAI ENCOSTEI MEU PENIS NA BOLSA E FUI LAVAR NA PIA PQ A BOLSA ESTAVA NO CHAO.
    SO Q ACABEI ENCOSTANDO NA PIA Q ESTAVA MUITO SUJA. FIQUEI COM ISSO NA CABECA SE ALGUEM TIVER EJACULADO ALI TEM RISCO ? FIQUEI ASSIM PQ FICOU IRRITaDO HJ DIA SEGUINTE BOTEI ALCOOL E ARDE DEMAIS

  4. Doutora quanto tempo mais ou menos o hiv sobrevive na superficie de uma nota de dinheiro ? Segundos minutos ou horas ? Assim que o sangue seca o vírus morre ?

    Tem algum perigo se a pessoa passar não nessa mancha e é coçar nariz ou olho por mão na boca ?

  5. Dra, pode parecer bobo, mas tenho uma duvida: saí com um rapaz e ele ejaculou se masturbando, e o semem caiu na cama dele. Uns 10 minutos depois, quando estavamos deitados, senti que um pouco da cabeça do meu penis encostou nessa parte onde, talvez, tenha caido o semem. Isso configura risco?

  6. Dra, transei com uma garota de programa, e meu dedo estava cortado. Tinha acabado de cortar. E introduzi os dedos na vagina dela alguns minutos. Corro muito risco?

  7. Bom dia! Dra,se a pessoa estiver menstruada e usar um banheiro público,existe chance de contrair alguns vírus ou até mesmo o HIV?

  8. Existe a possibilidade de contaminação pelo HIV através das máquinas de cortar cabelo dos salões? Caso faça um corte numa pessoa e depois utilize a máquina em outra pessoa e venha a ter um corte mínimo, existe o risco?

  9. Boa tarde doutora , fui em ambulatório ao sair da sala coloquei minha sobre a maçaneta para abrir, minha mão tinha uma pequena ferida( 24 horas) na base do dedo indicador, só que momentos antes(1 minuto)um rapaz usou essa maçaneta para sair da sala após te feito uma coleta de sangue capilar (exame anemia)pontinha do dedo..resumindo encostou com o dedo sangrando na maçaneta .
    Caso esse rapaz for soro ,é considerado exposição de risco para hiv ? Obrigado

  10. Dr peguei uma nota de 50 reais e tinha uma mancha parecia secreção nasal com sangue seco

    Porém a nota está comigo desde o dia anterior estava no meio de outras notas ,
    Ao fazer um pagamento notei que sem querer passei dedo pela mancha seca , na sequência acabei espirrando e coloquei mesmo dedo no nariz , corro risco de pegar hiv ?
    Se fosse sangue vírus já estaria morto de um dia para outro questão de umas 16 horas após ?

    Lembrando que mancha tava seca

Deixe uma resposta

Top