Você está aqui
Home > Notícias > Quais São as Vacinas Recomendadas para o Idoso?

Quais São as Vacinas Recomendadas para o Idoso?

Vacinas Recomendadas para o Idoso
Compartilhe

Vacinas Recomendadas para o Idoso. A terceira idade é conhecida pela fragilidade da saúde e corpo de uma pessoa. Após tantos anos de vida, sabemos que o sistema imunológico é o principal afetado pela idade, com isso, mantê-lo saudável por meio da vacinação pode ajudar a prolongar a longevidade e qualidade de vida.

Para esse grupo específico,existem alguns imunizantes mais importantes que devem ser tomados para garantir um reforço no sistema imunológico. Continue a leitura deste artigo e saiba quais são as vacinas recomendadas para o idoso.

O Sistema Imunológico

O sistema imunológico é responsável pela defesa contra agentes externos e que podem nos fazer mal. Nossa imunidade começa a ser formada nos primeiros anos de vida e se aperfeiçoa com o passar do tempo. Em contrapartida, o avanço da idade acaba desgastando, danificando e tornando-o frágil.

Existem 2 tipos de imunidade, a natural (inespecífica e inata) e a adquirida (específica e adaptativa). A primeira é desenvolvida pelo próprio corpo humano, já a segunda é desenvolvida por meio de imunizantes.

Vacinas Recomendadas para o Idoso

A aplicação de imunizantes começa ainda na infância para prevenir que crianças desenvolvam certos tipos de doenças. E assim uma pessoa vai construindo imunidade ao longo da vida.

A vacinação para pessoas acima de 60 anos é tão importante quanto para recém nascidos, uma vez que certas doenças infecciosas podem levar a quadros crônicos de gripe, por exemplo, que evoluem para uma pneumonia e aumentam o risco de morte em quem tem diabetes, problemas cardíacos ou pulmonares.

A Sociedade Brasileira de Imunização recomenda que idosos tomem de forma rotineira 5 imunizantes para condições específicas, sendo elas:

Além dessas, existem outras 4 vacinas que podem ser aplicadas em situações de alto risco ou durante surtos. Sendo elas:

Atualmente, a vacina contra o novo coronavírus também deve ser aplicada nessa faixa etária para evitar complicações e quadros graves da doença.

Calendário de Vacinação

Pessoas com mais de 60 anos devem seguir rigorosamente os calendários de vacinação sempre acompanhados de perto por um geriatra, que poderá apontar contra indicações se for o caso.

  • Vacina da Gripe – Deve ser tomada 1 vez ao ano após o 55 anos (preferencialmente antes do início do outono);
  • Vacina Pneumocócica – Deve ser feita em um esquema de três doses com um intervalo de seis a doze meses entre a primeira e a segunda dose e cinco anos entre a primeira e terceira dose.
  • Vacina de Herpes zoster – Deve ser administrada uma única vez em pessoas acima de 60 anos;
  • Vacina de Difteria e tétano – Deve ser tomada a cada 10 anos. Em casos de idosos que não foram vacinados ou não têm esse registro, deve ser feito um esquema de três doses com um intervalo de dois meses entre elas, fazendo o reforço único a cada 10 anos.
  • Vacinas de Hepatite B – Deve ser administrada uma única vez. Em casos de idosos que não foram vacinados ou não têm esse registro, deve ser feito um esquema de três doses com 1 e 6 mês de diferença em cada aplicação.

As vacinas não rotineiras podem ser aplicadas em qualquer fase da vida. Consulte seu médico infectologista de confiança e saiba mais sobre quais vacinas merecem sua atenção.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:

Compartilhe
Dra. Keilla Freitas
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.


https://www.drakeillafreitas.com.br/quem-somos/

Deixe uma resposta

Top