Você está aqui
Home > Infecção Bacteriana > Infecção meningocócica

Infecção meningocócica

Compartilhe
  • 13
    Shares

Infecção meningocócica

Infecção Transmissível causada pela Neisseria menigititis, bactéria que vive naturalmente no sistema respiratório humano. É uma infecção muito perigosa. Ela mata 13% das pessoas doentes.

É a segunda maior causa de meningite bacteriana, em pacientes que não possuem fatores de risco aparentes para meningites.

Sintomas:

Ela pode se apresentar de 3 formas:

  • Apenas como Meningite meningocócica
  • Meningococcemia sem evidência de Meningite
  • Meningite com Meningococcemia

Independente de sua apresentação, sua evolução é dramática, podendo levar uma pessoa de totalmente saudável para gravemente doente e morte em menos de 24 horas.

 

A primeira coisa a aparecer geralmente é a mialgia (dor muscular) – mais intensa que a que vemos na gripe. Outras vezes, o primeiro sintoma é a amigdalite ou faringite.

Outros sintomas iniciais inespecíficos:

  • Sintomas respiratórios como dor de garganta, coriza
  • Febre
  • Dor de Cabeça
  • Perda de Apetite
  • Nauseas, vômitos
  • Dificuldade de concentração

Algumas horas depois da fase inicial, aparecem os sintomas mais especificamente ligados ao tipo de apresentação:

Meningite meningocócica:

  • Rigidez de Nuca
  • Fotofobia (a luz incomoda os olhos)
  • Alteração do nível de conciência (confusão mental, agitação, sonolência extrema)

Meningococcemia:

  • Rash (lesões de pele)

As manchas na pele podem variar do rash típico das meningites às petéquias hemorrágicas

– Não coçam

– Manchas hemorrágicas em mucosas  (céu da boca, olhos, pálpebras)

– Lesões arroxeadas

– Petéquias (lesões discretas, de 1-2 mm, mais comuns em tronco e pernas que NÃO desaparecem ao serem pressionadas).

 

Exemplos de lesões de pele na meningococcemia

 

Sinais de alerta – levar imediatamente ao hospital

  • Dor nas pernas
  • Mãos e pés anormalmente frios
  • Pontas dos dedos com mudança da cor (azulados)
  • Alterações da cor da pele (palidez estranha, aparecimento de manchas ou pele azulada – cianose)

Complicações

  • Delirium, rebaixamento do nível de consciência (pessoa não acorda), convulsões
  • Sinais de Sepse
  • Coagulação intravascular disseminada (Alteração generalizada do sistema de coagulação do sangue)
  • Hemorragias na pele com necrose (morte do tecido da pele)
  • Complicações cardíacas (inflamação do coração, falha do coração que pode levar a líquido nos pulmões)

Sequelas

  • Disfunções neurológicas, como paralisia cerebral
  • Vasculite
  • Pericardite

Fator de risco para doença meningocócica

  • Idosos e crianças
  • Imunidade baixa como pessoas com HIV, mesmo sem AIDS
  • Pessoas que viajam para a Africa

Como se transmite

Ela pode ser transmitida de uma pessoa a outra pela conversa, beijo, compartilhamento de copos e talheres sem lavar, etc.

A pessoa portadora da bactéria pode nunca ter sintomas da doença e ainda transmitir para alguém que a tenha.

O quadro inicial da meningococcemia pode ser facilmente diagnosticado como Gripe, ainda mais porque a época de maior circulação dessa bactéria é justamente durante o Inverno.

Isso é algo que temos que ter em consideração pois este paciente que recebe alta do Pronto Socorro com medicação para a Gripe pode voltar após poucas horas com um quadro clínico muito grave.

É muito importante que as família estejam bem orientadas quanto aos sinais de alerta em qualquer quadro aparentemente viral, para não tardar o retorno ao hospital.

Isolamento:

O Isolamento de uma pessoa doente serve para proteger pessoas suscetíveis (funcionários do hospital, outros pacientes do hospital, familiares, etc) contra a exposição ao agente infeccioso.

Como a doença é transmitida por contato direto, pessoas suspeitas devem ficar em isolamento por gotículas durante todo o período de transmissão.

O período de transmissão ocorre a partir de 7 dias antes das manifestações da doença até 24 horas depois do inicio do tratamento adequado.

Imunização contra a doença meningocócica

A Vacina quadrivalente ACWY pode ser administrada em pessoas entre 9 meses e 55 anos de idade.

Ela faz parte das vacinas pré-viagem para pessoas que viajarão para areas de grande risco, especialmente Africa. Existem tantos casos da África que a área é conhecida como ” Cinturão da Meningite”.

Cinturão da meningite

Quimioprofilaxia

Quem tiver contato com pessoas com suspeita ou confirmação de doença meningocócica deve ser avaliada por um médico infectologista para verificar a indicação de quimioprofilaxia.

A quimioprofilaxia deve ser feita preferencialmente nas primeiras 24 horas após o contato. E depois de 2 semanas não tem nenhuma eficácia.

Fonte:


Compartilhe
  • 13
    Shares
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top