Você está aqui
Home > Vídeos > Campanhas > O Que Aumenta o Risco de Transmissão do HIV?

O Que Aumenta o Risco de Transmissão do HIV?

Risco De Transmissão Hiv

O vírus do HIV pode despertar diversas dúvidas a respeito de como é feita sua transmissão e o que pode aumentar o risco de se infectar.

Para que ocorra a transmissão do vírus do HIV, é necessário que haja o contato do vírus de uma pessoa com o organismo de outra pessoa que ainda não tenha o vírus.

É muito importante questionar-se de que forma o vírus pode chegar no organismo dessa pessoa.

A pessoa pode se infectar a partir do contato direto do organismo com algum material potencialmente contaminante, através de feridas abertas, pele machucada, mucosas (que incluem a mucosa do olho, por dentro da boca, região genital e região anal).

Material potencialmente contaminado em pele íntegra não é considerado exposição ao vírus. No entanto, se a pele está íntegra e há uma perfuração da pele com o material contaminado (por exemplo, uma agulha contaminada com o sangue), aí sim é considerado o risco.

Isso é essencial no momento da avaliação pré profilaxia pós-exposição, porque a pessoa pode achar que sofreu exposição ao vírus quando, na verdade, isso não ocorreu de fato.

Deste modo, o indivíduo acaba se submetendo a uma reação adversa ou de toxicidade ocasionada pelos remédios da profilaxia do vírus, sem absorver nenhum benefício, uma vez que este sequer se expôs verdadeiramente ao vírus.

Outro fator igualmente importante é que muitas pessoas tem medo do contato com a saliva. Isto não é justificado, visto que este não é um material contaminante.

A única situação na qual a saliva pode ser considerada um material contaminante para HIV é em ambiente odontológico.

Ainda assim, o que está contaminando na verdade é o sangue, e não a saliva em si. Logo, contato de genitais com saliva, por exemplo, não é uma situação de exposição ao risco para a pessoa que está recebendo o contato com a saliva. 

Clique aqui e saiba mais sobre o HIV vendo mais artigos em nosso site.

CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.

2 thoughts on “O Que Aumenta o Risco de Transmissão do HIV?

  1. Começo o sexo com masturbação mutua e nos meus dedos penso que devem sempre conter alguma qtde de fluidos vaginais. Aí eu pego a camisinha e acabo pegando tanto na parte de dentro e de fora pra colocar. Ou seja, ao encostar o dedo na parte de dentro imagino que pode ficar alguma qtde de fluidos vaginais dentro da camisinha.

    Isso apresenta risco de Aids? Devo fazer PEP por causa disso?

    Se sim, qual é a maneira correta? Lavar as mãos sempre antes de colocar a camisinha?

    1. O risco é baixo, mas dependendo da quantidade de secreção de secreção em contato direto com a mucosa, pode haver algum risco. Na dúvida, faça os exames.
      A PEP está indicada apenas para casos com exposição de até no máximo 72 horas.

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top