Você está aqui
Home > HIV/AIDS > Neuropatia Relacionada ao HIV

Neuropatia Relacionada ao HIV

Neuropatia Relacionada ao HIV
Compartilhe

Neuropatia Relacionada ao HIV. Pessoas que vivem com o vírus da imunodeficiência humana, ou apenas HIV, presente no organismo podem desenvolver diversas condições ao longo do tempo. Entre elas, estão presentes algumas disfunções neurológicas, conhecidas como neuropatias.

Dores, formigamentos, sensação de fraqueza e dormência nas extremidades como nas mãos e pés podem ser um sinal de alerta para a neuropatia, principalmente quando o paciente é soropositivo. Continue a leitura deste artigo e saiba mais sobre a neuropatia relacionada ao HIV.

O Que São Neuropatias

Neuropatias são doenças de cunho neurológico que afetam diretamente o funcionamento dos nervos provocando a perda de sensibilidade e até mesmo de motricidade de um ou mais membros.

Existem diversas causas para que uma pessoa desenvolva neuropatias como por exemplo o uso de algumas medicações, infecções, traumas nervosos, alcoolismo, exposição a venenos, tumores, deficiência de vitaminas, diabetes, doenças hereditárias e autoimunes, entre outros fatores.

Neuropatia Relacionada ao HIV

A chamada polineuropatia é a alteração neurológica mais frequente presente naqueles pacientes que possuem o vírus da imunodeficiência humana no organismo. Esse tipo de neuropatia pode chegar a afetar até 50% da população soropositiva.

Caracterizada por uma combinação de sinais e sintomas, o paciente acometido pela polineuropatia pode experimentar a diminuição dos reflexos tendinosos profundos na região dos tornozelos, além da diminuição de sensibilidade nas extremidades distais (Mãos e pés), acompanhada de formigamentos, enfraquecimento e dor nas regiões afetadas.

O Sistema Nervoso

O Sistema Nervoso é um conjunto complexo de nervos que formam uma cadeia de estruturas que conectam todo o nosso corpo ao cérebro, ou seja, esse sistema é responsável por coordenar e regular todas as atividades corporais.

Para que todo o organismo seja regulado, esse sistema se divide em 2 subtipos, sendo eles o sistema nervoso central e o sistema nervoso periférico. Cada um deles é responsável por diferentes funções dentro do corpo.

Neuropatia Relacionada ao HIV

Como Pacientes com HIV Desenvolvem Neuropatias

Pacientes com o vírus da imunodeficiência humana podem desenvolver neuropatias de duas formas diferentes, sendo elas as lesões diretas causadas pela infecção e a toxicidade dos antirretrovirais (ARV). Saiba mais sobre cada um desses fatores a seguir:

Lesão Direta do HIV

Inflamação diretamente causada pela agressão do vírus HIV aos neurônios (células do sistema nervoso)

Inflamação nas células nervosas causada pelo nosso próprio sistema imune, que tenta destruir o vírus que se encontra no sistema nervoso.

Toxicidade dos ARVs

Inibidores da Transcriptase Reversa Análogos de Nucleosídeo como estavudina e lamivudina são sabidamente neurotóxicos.

Pacientes com neuropatia e em uso dessas medicações devem ter seu esquema antirretroviral trocado.

Fatores de Risco para o Desenvolvimento de Neuropatia Relacionada ao HIV

  • CD4 baixo no momento do diagnóstico do HIV;
  • Co-infecção com o vírus da Hepatite C;
  • Diabetes Mellitus.

Neuropatias Associadas ao HIV

Neuropatia Simétrica Distal

É uma doença dos nervos periféricos que afeta os dois lados do corpo igualmente e de progressão lenta, gerando a redução dos reflexos neurológicos, alterações das sensações que são geralmente em extremidades e simétricas. Além desses sintomas, o paciente também pode notar:

  • Entorpecimento;
  • Hipoestesia (Diminuição das sensações);
  • Parestesia (sensação de formigamento);
  • Disestesia (sensação desagradável ao toque);
  • Dor;
  • Queimação;
  • Câimbras;
  • Fraqueza e atrofia das extremidades (muito raras).

Mononeuropatias

Sintomas acometem áreas isoladas no corpo. Afeta mais pessoas que já possuem neuropatia simétrica distal.

Mononeuropatia medida do punho, como a síndrome do túnel do carpo, neuropatia ulnar do cotovelo, paralisia de Bell, etc

Mononeurite Múltipla

  • Dor progressiva;
  • Déficits sensoriais e motores em distribuições de múltiplos nervos que podem confluir;
  • Podem ser autolimitados (se curam sozinhas), ou rapidamente progressiva (quando associada a infecção dos nervos periféricos pelo CMV em pacientes em fase AIDS).

Polineuropatia Inflamatória Desmielinizante

  • Apresentação aguda com sintomas rapidamente progressivos: Síndrome de Guillain-Barré;
  • Apresentação crônica com progressão lenta ou evolução tipo recaída-remissão;
  • Fraqueza e arreflexia muscular ascendente associado a parestesias.

Polirradiculopatia Progressiva

  • Mudanças sensoriais, motoras e reflexas progressivas em uma distribuição radicular (seguindo a inervação do nervo);
  • Pode ser secundária a neoplasias, Sífilis, Citomegalovírus (CMV) ou tuberculose.

Neuropatia Autonômica

O sistema nervoso autônomo é o responsável pela regulação de nossos órgãos. Se lesionado, os sintomas podem ser vários:

  • Hipotensão ortostática (pressão cai com facilidade ao se levantar ou mudar de posição);
  • Gastroparesia (mau funcionamento do estômago, que fica parado, levando a vômitos);
  • Diarreia;
  • Constipação (intestino preso);
  • Xerostomia (boca seca);
  • Incontinência urinária;
  • Disfunção sexual;
  • Anormalidades do suor;
  • Reação pupilar.

Tratamento

Para iniciar um tratamento adequado ao seu quadro, o ideal é buscar ajuda de um médico infectologista de sua confiança. Ele poderá analisar seu caso individualmente e prescrever a melhor forma de tratá-lo. No entanto, os métodos terapêuticos mais utilizados para tratar neuropatias em pacientes com HIV, são:

  • Mudança do esquema antirretroviral, se necessário;
  • Anticonvulsivantes;
  • Analgésicos;
  • Antidepressivos.
Mais Informações sobre este assunto na Internet:

Artigo Publicado em: 21 de ago de 2017 e Atualizado em: 24 de maio de 2022


Compartilhe
Dra. Keilla Freitas
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.


https://www.drakeillafreitas.com.br/quem-somos/

4 thoughts on “Neuropatia Relacionada ao HIV

  1. Quando eu deito de um lado do me dá formigamento
    Parece que o sangue não passa para o braço.
    E tenho HIV por 18 anos

    1. O primeiro exame a ser feito é uma eletromiografia e outros exames de imagem. a entrada da um médico neurologista te avaliando junto ao seu infectologista deve te ajudar a investigar e controle este processo

  2. Boa noite. Após 70 dias de uma situação de risco realizei CMIA 4G +PCR+WB e todos negativos. O problema é que estou sentindo parestesia nos membros inferiores. Nesse caso o HIV está descartado? Estou esperando completar 90 dias semana que vem para realizar novo teste CMIA de 4G. Fui a dois infectologistas que disseram que não fui contaminado pelo HIV. O que devo fazer?

Deixe uma resposta

Top