Você está aqui
Home > HIV/AIDS > Neuropatia relacionada ao HIV

Neuropatia relacionada ao HIV

Neuropatia relacionada ao HIV

A polineuropatia é a alteração neurológica mais frequente em pacientes com HIV.

Metade dos pacientes que vivem com HIV possuem algum grau de acometimento do sistema neurológico periférico.

O que é sistema nervoso?

O sistema Nervoso é um sistema complexo que forma uma cadeia de estruturas que conectam todo o nosso corpo ao cérebro.

Em última estância, ele é o responsável pelo funcionamento de todo o nosso organismo, e nossa interação com o mundo que nos rodeia.

Ele se divide em sistema nervoso central e periférico

 

Como pacientes com HIV desenvolvem neuropatias?

Lesão direta do HIV

Inflamação diretamente causada pela agressão do vírus HIV aos neurônios  (células do sistema nervoso)

Inflamação nas células nervosas causada pelo nosso próprio sistema imune, que tenta destruir o vírus que se encontra no sistema nervoso.

Toxicidade dos ARVs

Inibidores da Transcriptase Reversa Análogos de Nucleosídeo como estavudina e lamivudina são sabidamente neurotóxicos.

Pacientes com neuropatia e em uso dessas medicações devem ter seu esquema antirretroviral trocado.

Fatores de risco para o desenvolvimento de neuropatia relacionada ao HIV:

  • CD4 baixo no momento do diagnóstico do HIV
  • Co-infecção com o vírus da Hepatite C
  • Diabetes Mellitus

Quais são as neuropatias associadas ao HIV:

Neuropatia simétrica distal

  • É uma doença dos nervos periféricos que afeta os dois lados do corpo igualmente e de progressão lenta
  • Redução dos reflexos neurológicos
  • Alterações das sensações são geralmente em extremidades e simétricas (afetam ambos lados igualmente)
  • Entorpecimento
  • Hipoestesia (Diminuição das sensações)
  • Parestesia (sensação de formigamento)
  • Disestesia (sensação desagradável ao toque)
  • Dor
  • Queimação
  • Cãimbras
  • Fraqueza e atrofia das extremidades (muito raras)

Mononeuropatias

Sintomas acometem áreas isoladas no corpo. Afeta mais pessoas que já possuem neuropatia simétrica distal

Mononeuropatia mediada do punho, como a síndrome do túnel do carpo, neuropatia ulnar do cotovelo, paralisia de Bel, etc

Mononeurite múltipla

  • Dor progressiva
  • Déficits sensoriais e motores em distribuições de múltiplos nervos que podem confluir.
  • Podem ser auto-limitados (se curam sozinhas), ou rapidamente progressiva (quando associada a infecção dos nervos periféricos pelo CMV em pacientes em fase AIDS)

Polineuropatia inflamatória desmielinizante

  • Apresentação aguda com sintomas rapidamente progressivos: Síndrome de Guillain-Barré
  • Apresentação crônica com progressão lenta ou evolução tipo recaída-remissão
  • Fraqueza e arreflexia muscular ascendente associado a parestesias.

Polirradiculopatia progressiva

  • Mudanças sensoriais, motoras e reflexas progressivas em uma distribuição radicular (seguindo a inervação do nervo)
  • Pode ser secundária a neoplasias, Sífilis, Citomegalovírus (CMV) ou tuberculose

Neuropatia autonômica

O sistema nervoso autonômico é o responsável pela regulação de nossos órgãos. Se lesionados, os sintomas podem ser vários:

  • Hipotensão ortostática (pressão cai com facilidade ao se levantar ou mudar de posição)
  • Gastroparesia (mau funcionamento do estômago, que fica parado, levando a vômitos)
  • Diarreia
  • Constipação (intestino preso)
  • Xerostomia (boca seca)
  • Incontinência urinária
  • Disfunção sexual
  • Anormalidades do suor
  • Reação pupilar

Tratamento:

  • Mudança do esquema antirretroviral, se necessário
  • Anticonvulsivantes
  •  Analgesicos
  • Antidepressivos

 

Fonte:

CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.

Dúvidas em: “Neuropatia relacionada ao HIV

  1. Boa noite. Após 70 dias de uma situação de risco realizei CMIA 4G +PCR+WB e todos negativos. O problema é que estou sentindo parestesia nos membros inferiores. Nesse caso o HIV está descartado? Estou esperando completar 90 dias semana que vem para realizar novo teste CMIA de 4G. Fui a dois infectologistas que disseram que não fui contaminado pelo HIV. O que devo fazer?

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top