Você está aqui
Home > Infecção Viral > Vacina contra a Gripe

Vacina contra a Gripe

Vacina contra a Gripe
Compartilhe
  • 15
    Shares

Vacina Contra a Gripe

A vacina é a principal forma de proteção contra a Gripe. Mas ela precisa ser recebida todos os anos.

É importante deixar claro que muita gente chama de “gripe” o que na verdade é o “resfriado comum”.

Gripe é a infecção causada por um vírus do grupo influenza, como o H1N1.\

A Vacina contra a Gripe protege contra a gripe (Vírus influenza).
Ela não tem efeito contra o resfriado comum.

Como é a Vacina Contra a Gripe?

As vacinas influenza disponíveis no Brasil são todas de vírus inativados (vírus mortos).

Isso significa que a vacina contra a gripe não tem capacidade de causar doença.

O conteúdo da vacina é ajustada todos os anos para melhor proteger a população contra os vírus em circulação naquele ano.

Vacina Trivalente:

Protege contra 3 cepas do vírus Influenza. Em 2018, ela está constituída por:

  • um vírus similar ao vírus influenza A/Michigan/45/2015 (H1N1)pdm09
  • um vírus similar ao vírus influenza A/Singapore/INFIMH-16-0019/2016 (H3N2)
  • um vírus similar ao vírus influenza B/Phuket/3073/2013

Vacina Quadrivalente

Protege contra 4 cepas do vírus Influenza. Em 2018, ela está constituída por:

  • um vírus similar ao vírus influenza A/Michigan/45/2015 (H1N1)pdm09
  • um vírus similar ao vírus influenza A/Singapore/INFIMH-16-0019/2016 (H3N2)
  • um vírus similar ao vírus influenza B/Phuket/3073/2013
  • um vírus similar ao vírus influenza B/Brisbane/60/2008

 

Vacina contra a Gripe

Porque se Vacinar Todos os Anos?

A proteção da Vacina contra a Gripe começa de 2 a 3 semanas após sua administração e dura por no máximo 1 ano.

Sua maior proteção é nos 4 primeiros meses.

Por isso a vacinação deve ser feita pouco antes do período de maior circulação do vírus.

Além disso, os vírus podem sofrer mutações de um ano ao outro o que pode comprometer a proteção, mesmo em pessoas com boa resposta à vacina.

Existe um monitoramento dos tipos de vírus circulando a cada ano e em caso de grande mutações virais, há um ajuste da vacina.

É importante salientar que o vírus mutante não significa mais forte, ou mais nocivo. Significa apenas que é diferente.

Quem já teve Influenza, ainda assim Precisa Tomar a Vacina?

A principio, ter a doença uma vez causa imunidade para toda a vida.

Mas, a proteção é específica para aquela cepa, portanto, a pessoa ainda precisa se vacinar todos os anos para se proteger dos outros vírus que estão na vacina

Além disso, caso o vírus pelo qual a pessoa se infectou sofra uma mutação e mude a cepa, a pessoa também não estará protegida contra o novo vírus.

Como a Vacina atua no Organismo?

A vacina é feita de proteínas virais.

É como se pegassem o vírus, matassem, batessem no liquidificador, pegassem os pedacinhos e dele fizessem a vacina.

Ela age estimulando o nosso sistema imune a criar anticorpos específicos contra as cepas presentes na vacina.

Quais são os perigos da vacina contra a Gripe (Influenza)?

Vacinação em Gestantes e Puérperas Vacina Contra a Gripe

Todas as gestantes devem ser vacinadas contra a gripe independente da idade gestacional

A vacinação contra a gripe na gestação protege:

  • A gestante (que tem maior risco de morte caso se infecte pelo vírus Influenza nesse período)
  • O bebê (que receberá os anticorpos da mãe que irão durar em seu organismo por até 6 meses após o nascimento, período que ainda não pode receber esta  vacina.

Vacina contra a Gripe

Vacinação em Crianças  – Vacina contra a Gripe

Todas as crianças que receberam 1 ou 2 doses da vacina da gripe em 2017, devem, receber apenas uma dose em 2018.

Considerar esquema e duas para crianças entre 6 meses e 9 anos que irão se vacinar pela primeira vez, nestes casos, a segunda dose deve ser programada para 30 dias após a primeira dose.

Vacinação em Imunodeprimidos – Vacina contra a Gripe

Por se tratar de vacina de vírus inativado (morto) qualquer paciente com imunidade baixa DEVE receber a vacina e NÃO POSSUI CONTRAINDICAÇÃO.

Pessoas com imunidade baixa transitória devem discutir junto ao seu médico o melhor momento para receber a vacina por 2 motivos:

1- Quanto menor a imunidade, maior os riscos de complicações no caso de infecção pelo Influenza. logo, mais forte a indicação da vacina.

2- Por outro lado, quanto menor a imunidade, menor a resposta vacinal.

Doação de Sangue  – Vacina contra a Gripe

Pessoas que receberam a vacina devem esperar 48 horas para poderem doar sangue

Quem tem Direito à Vacina nos Serviços Públicos?

  • Pessoas maiores de 60 anos;
  • Presidiários;
  • Funcionários do sistema prisional;
  • Povos indígenas;
  • Crianças com idade entre 6 meses e 5 anos;
  • profissionais da saúde;
  • Professores;
  • Pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis;
  • Pessoas com imunidade baixa como os portadores do HIV mesmo em tratamento adequado;
  • Gestantes;
  • Puérperas (mulheres que acabaram de ter filhos – até 45 dias após o parto).

 Quais Doenças Crônicas dão Direito à Vacinação em Serviços Públicos?

  • Asma
  • Enfisema pulmonar (DPOC)
  • Fibrose cística
  • Bronquectasia
  • Doenças intersticiais do pulmão
  • Displasia broncopulmonar
  • Hipertensão arterial pulmonar
  • Crianças com doença pulmonar crônica da prematuridade
  • Doenças cardíacas congênitas
  • Hipertensão arterial sistêmica com comorbidade
  • Doença cardíaca isquêmica
  • Insuficiência Cardíaca
  • Doença renal crônica em estágios mais avançados
  • Síndrome nefrótica
  • Paciente em diálise
  • Atresia biliar
  • Hepatite crônica
  • Cirrose hepática
  • Doenças neurológicas que comprometem a respiração
  • Acidente Vascular Cerebral
  • Paralisia cerebral
  • Esclerose múltipla  e condições similares
  • Doenças hereditárias e degenerativas do sistema nervoso ou muscular
  • Deficiência neurológica grave
  • Diabetes Mellitus em tratamento
  • Imunodeficiência primária
  • Imunodeficiência secundária a doenças (como o vírus HIV, mesmo aqueles com níveis adequados de CD4 e carga viral indetectável
  • Imunodeficiência secundária a medicamentos (tomam remédios que abaixam a imunidade)
  • Obesidade grave
  • Pacientes transplantados
  • Síndrome de Down
  • Síndrome de Klinefelter
  • Síndrome de Wakany, dentre outras trissomias

Fonte: 


Compartilhe
  • 15
    Shares
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.

Dúvidas em: “Vacina contra a Gripe

  1. Keilla, boa noite! Tomei um dose de DT há 12 dias e hoje tomei a vacina da gripe. Por descuido, não comuniquei à técnica que havia tomado uma DT no mesmo braço há 12 dias. Existe alguma interação quando tomamos uma DT e vacina para gripe no mesmo sítio/local com 12 dias de diferença entre elas?

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top