Você está aqui
Home > Vídeos > Campanhas > Sintomas da Dengue: Fique Atento aos Sinais

Sintomas da Dengue: Fique Atento aos Sinais

Infectologista - Sintomas da Dengue: Fique Atento aos Sinais
Compartilhe

Sintomas da Dengue: Fique Atento aos Sinais

Dengue é uma infecção viral.

Existem quatro tipos diferentes de vírus do dengue: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4.

A infecção por dengue pode ser assintomática, leve ou causar doença grave, levando à morte.

Mesmo pessoas assintomáticas podem infectar o mosquito se picadas

Transmissão

  • Pela picada de mosquito infectado (especialmente o Aedes aegypti)
  • Transmissão vertical (de mãe para filho durante a gestação)
  • Transfusão de sangue

Não há como se transmitir o vírus por contato direto pessoa a pessoa

Apenas a fêmea do mosquito se infecta, pois é ela quem se alimenta de sangue

Uma vez infectado o mosquito transmite o vírus por toda a sua vida e ainda passa para os seus filhotes

Os primeiros sintomas%20da%20dengue são:

  • Febre alta (39° a 40°C), de início abrupto, que geralmente dura de 2 a 7 dias,
  • Dor de cabeça,
  • Dores no corpo, nos músculos e articulações (juntas),
  • Prostração (sonolência),
  • Astenia (fraqueza),
  • Dor atrás dos olhos,
  • Erupção (vermelhos na pele)
  • Prurido (coceira) na pele.
  • Perda de peso, náuseas e vômitos são comuns.

Na fase febril inicial da doença pode ser difícil diferenciá-la.

Sintomas da dengue em sua forma grave

Normalmente ocorrem entre o terceiro e sexto dia do inicio dos sintomas

  • Dor abdominal intensa e contínua,
  • Vômitos persistentes
  • Hipotensão postural e/ou lipotimia (Tonturas ao se levantar / desmaios)
  • Acúmulo de líquidos
  • Letargia ou irritação
  • Sonolência ou irritabilidade
  • Oliguria (diminuição do volume da urina)
  • Hipotermia (Diminuição repentina da temperatura do corpo)
  • Desconforto respiratório
  • Hepatomegalia dolorosa (aumento do fígado)
  • Vômitos com sangue
  • Fezes com sangue de cor escura
  • Sangramento na gengiva e no nariz

Diagnóstico

Exame de sangue sorológico (identificação de anticorpos)

Tratamento

Não existe tratamento específico para dengue.

O tratamento é feito para aliviar os sintomas, controle das complicações e hidratação abundante

Em alguns casos, é necessário hidratação por via endovenosa

Quando aparecer os sintomas, é importante procurar um serviço de saúde mais próximo, fazer repouso e ingerir bastante líquido.

Importante não tomar medicamentos por conta própria.

 

Prevenção

Vacinas

Desde o fim de 2015 a primeira vacina contra dengue foi registrada. Ela pode ser usada em pessoas de 9 a 45 anos.

De modo geral as vacinas têm mostrado uma efetividade muito variável (entre 50% e 80%) dependendo do tipo de vírus que causa a infeção, do tipo de indivíduos vacinados e do local onde tem sido implementada.

Outras vacinas com diferentes tipos do vírus se encontram em período de desenvolvimento.

O tempo de duração da proteção vacinal também está sendo estudado.

Controle de vetores (combate ao mosquito)

Atualmente, a principal forma de prevenção é o combate aos mosquitos.

  • Eliminar os criadouros

  • Estruturação de políticas públicas efetivas para o saneamento básico e o uso racional de inseticidas

 

 

 

Fonte de Pesquisa SP: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/saude/dengue/


Compartilhe
Dra. Keilla Freitas
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.


https://www.drakeillafreitas.com.br/quem-somos/

Deixe uma resposta

Top