Você está aqui
Home > Notícias > Herpes Zoster: Saiba mais

Herpes Zoster: Saiba mais

Herpes Zoster: Saiba mais

O Herpes Zoster, também conhecido como cobreiro, é a reativação da infecção pelo vírus da varicela zoster.

Quando a pessoa tem o primeiro contato com este vírus, ela geralmente apresenta um quadro de Varicela (Catapora).

Depois que o sistema imune controla a infecção, o vírus se aloja na raiz dos nervos na coluna ou da face.

Lá eles ficam escondidos por muitos anos em estado de latência.

Em algum momento da vida, quando a imunidade abaixa, o vírus pode “acordar” fazendo o caminho inverso causando as lesões na pele exatamente no trajeto do nervo.

O Vírus ativo causa inflamação das fibras nervosas. É essa inflamação que causa a dor.

O Herpes zoster não é nada mais que a reativação do vírus da catapora.

Dados dos Centers for Disease Control and Prevention (CDC), nos Estados Unidos, mostram que uma a cada três pessoas desenvolverá herpes zoster em algum momento da vida.

No Brasil, não há dados específicos, mas segundo o Sistema de Informações Hospitalares do SUS, aproximadamente 10 mil pessoas são internadas por ano em virtude de complicações causadas pelo vírus Varicella zoster.

Quem pode desenvolver a Infecção pelo Herpes Zoster

O Zoster atinge idosos com bastante frequência.

Mas pessoas de qualquer idade com a imunidade baixa, independente do motivo e que já tenham tido contato com o vírus da Varicela Zoster em algum momento da vida, podem desenvolver a doença.

Transmissão:

A transmissão ocorre através do contato direto com as lesões ativas.

E ocorre até que todas as lesões estejam secas

Agora, pessoas bastante imunodeprimidas e/ou que possuem mais de um nervo afetado, podem transmitir a infecção também pelo ar.

Fonte: Jornal da USP

Sintomas

  • Dor

A Dor pode aparecer antes das lesões em 75% dos casos, muitas vezes confundindo o diagnóstico.

Ela pode começar dias ou semanas antes do aparecimento das lesões.

O vírus atinge o nervo que inerva a nossa pele e é responsável pela sensibilidade de nossa pele.

A dor pode ser em queimação, pulsátil, coceira ou até mesmo dando a sensação de esfaqueamento.

Às vezes, a dor pode se manifestar apenas quando a pele é tocada ou mesmo ser contínua.

Por isso, a dor é em faixa, correspondendo à área de inervação do nervo atingido.

  • Rash (erupção cutânea)

A erupção cutânea começa com um eritema papular distribuído em faixa assim como a dor que acaba evoluindo para vesículas ou bolhas que se agrupam

3 a 4 dias depois, as vesículas se transformam em pústulas

Herpes Zoster: Saiba mais

Diagnóstico

Geralmente apenas a avaliação e exame físico são suficientes para realizar o diagnóstico.

Contudo, pessoas que apresentam Herpes Simples de repetição em locais fora da região oral ou genital podem ser erroneamente diagnosticadas como Herpes Zoster.

Em caso de dúvida diagnóstica pode-se realizar culturas virais, testes moleculares, entre outros.

Tratamento

O tratamento é realizado com antivirais orais ou endovenosos específicos.

Não se trata Herpes Zoster com antivirais em creme.

É importante ter em mente que o tratamento trata apenas a crise e não o vírus.

Após a crise, o Vírus volta a ficar latente e pode retornar.

Zoster recorrente

O Zoster pode retornar tanto em pessoas com imunidade normal quanto naquelas com doenças de imunidade baixa.

Em imunocompetentes a recorrência é bem rara, já nas imunocomprometidas a recorrência é mais frequente.

Zoster sem Herpes

Algumas pessoas podem sim apresentar dores sem lesões, o que torna o diagnóstico muito difícil.

Ele é mais provável quando ocorre em quem já teve a crise clássica prévia.

Complicações do Herpes Zoster

(por ordem de frequência)

  • Neuralgia pós-herpética

É quando a dor permanece 4 meses após o início das lesões.

De 10 a 15 % das pessoas com herpes podem permanecer com dor crônica.

Entre as pessoas com mais 60 anos, 50% podem sofrer esta complicação.

A principal forma de prevenir esta complicação é iniciar o tratamento o mais rápido possível.

Alguns médicos também associam corticoide no início do tratamento para diminuir a inflamação do nervo mais rapidamente.

  • Infecção secundária da pele

Existem bactérias que vivem naturalmente em nossa pele e não nos causam mal porque a pele serve como escudo protetor.

As lesões do herpes, enquanto ativas, são portas de entrada para estas bactérias que podem aproveitar esse momento para causar infecções de pele.

Quando isso ocorre, antibióticos devem ser associados ao tratamento específico do herpes.

  • Complicações oculares

Quando o Herpes Zoster se manifesta na face, existe a possibilidade do vírus atingir as estruturas do olho.

Os sintomas nesse momento podem não ser fáceis de definir e o ideal é realizar uma avaliação com o oftalmologista sempre que houve vesículas próximas à área dos olhos.

Pode causar até a perda da visão.

  • Acometimento do ouvido

Conhecida como síndrome de Ramsay Hunt.

Paralisia do metade do rosto, dor de ouvido e vesículas no canal auditivo e auricular do mesmo lado da paralisia.

Algumas pessoas podem sentir alteração do paladar, zumbidos ou hiperacusia (sensibilidade ao barulho), vertigens (tonturas)

Pode causar até a perda da audição

Outras complicações neurológicas:

  • Neuropatia motora

  • Mielite transversa

  • Meningite

  • Encefalite pós-herpética

  • Encefalite auto-imune

  • Síndrome de Guillain-Barré

  • Acidente Vascular Encefálico

Vacina contra o Herpes Zoster

A vacina é a ÚNICA forma de se prevenir contra a crise de herpes Zoster para quem nunca teve e contra novas quadros para quem já teve.

Mesmo para os que tem crises após a vacina, a mesma previne quados mais graves e suas complicações.

Para saber sobre a Vacina contra o Herpes Zoster acesse aqui.

 

Referências:

 

CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.

10 thoughts on “Herpes Zoster: Saiba mais

  1. Olá! Uma paciente de 34 anos apresentou quadro de Herpes Zoster agudo com muitas erupções cutâneas na região dorsal, foi tratada com aciclovir comprimidos e pomada. Ela deve fazer uso da vacina de Zoster mesmo tendo menos de 50 anos? Deve tomar um ano após o aparecimento das lesões?

    1. A vacina contra o Zoster está indicada também para pacientes que já tiveram crise anterior, mas orienta-se recebê-la após os 50 anos.
      No caso de pacientes com crise mais novos, é fundamental a consulta com o infectologista buscando causas de imunidade baixa para evitar novas crises

    2. Olá, Dr(a) Keilla . Gostaria de saber se o resultado positivo do Herpes Zoster, também possa dar no Herpes Simples I e II . Tenho 34 anos e o exame acusou q tenho o vírus Zoster ..

  2. Gostaria de saber se em caso de pacientes com baixa imunidade em que pode haver recorrência da herpes zoster de forma mais frequente, o indicado seria incluir medicação no sentido de aumentar a imunidade ?

    1. Bom dia. Cada caso deve ser avaliado de forma individual. O indicado é que o paciente procure um médico infectologista de confiança para que possa ser avaliado pessoalmente, junto com histórico de exames, a fim de verificar qual melhor tratamento para o caso em questão.

      1. Dra,meu vizinho está com herpes zoster, más foi diagnosticado com HIV, más a espesa e os filhos não está, pesquisamos sobre a doença e vimos alguns casos que,pode ter dado positivo por conta,da herpes zoster, é verdade?

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top