Você está aqui
Home > Infecção Viral > Herpes gestacional e herpes neonatal

Herpes gestacional e herpes neonatal

Compartilhe
  • 13
    Shares

Herpes gestacional e herpes neonatal

A Infecção pelo Vírus Herpes simples (HSV) é muito frequente em todo o mundo.

O herpes tipo 1 (HSV-1) é classicamente relacionado às lesões orais e o tipo 2 (HSV-2) às genitais.

Contudo, ambos podem causar lesões nos dois lugares e até mesmo aparecer primeiro em uma região e em uma segunda crise em outra.

Durante a gestação, a herpes que pode causar maior preocupação é a genital, devido ao maior risco de transmissão ao feto.

Diagnóstico

  • Para gestantes que nunca apresentaram lesões de herpes e aparecem com lesões sugestivas, o ideal é realizar a confirmação diagnóstica.
  • Essa confirmação é feita através de pesquisa viral direta ou sorológica da lesão.
  • Exame de sangue positivo para herpes não confirma que a lesão em questão seja causada pelo vírus.

Como ocorre a transmissão ao bebê?

  • Na hora do nascimento
  • Durante a gestação

Transmissão na hora do nascimento

A transmissão do HSV da mãe para o bebê geralmente ocorre durante o Trabalho de parto.

Isso pode ocorrer quando existe lesão ativa no canal do parto, ou região peri genital e o bebê tem contato direto com a lesão.

O maior risco é quando a infecção ocorre pela primeira vez, com lesões genitais visíveis, no final da gestação.

Transmissão durante a gestação

Ocorre quando a mãe se infecta pelo herpes pela primeira vez durante a gestação.

Nesse caso, a transmissão ao feto pode ocorrer mesmo que não haja lesões visíveis na mãe.

Infecções de repetição pelo herpes simples não estão relacionadas com maior risco de transmissão vertical

O risco de transmissão  fetal em mães com história de lesões genitais prévias, mesmo que de repetição, é muito baixa.

Fatores que aumentam o risco de transmissão da herpes ao bebê:

  • Primeiro da mãe com o vírus da herpes durante a gestação
  • Duração do rompimento da bolsa (quanto maior o tempo, maior o risco)
  • Via de parto (maior risco em partos normais, se houver lesões ativas)

Sintomas da Herpes neonatal

Existem formas de apresentação da herpes neonatal (herpes em recém nascidos)

  • Doença pele, olhos e boca (do inglês, SEM – Skin, Eyes and mouth)
  • Doença de Sistema Nervoso Central com SEM
  • Doenças do Sistema Nervoso Central sem SEM
  • Doença disseminada

Herpes neonatal – Doença pele, olhos e boca:

Os sintomas começam geralmente a partir da 2° semana de vida.

Inicia com lesões vesiculares, com alto risco de evoluir para acometimento do sistema nervoso central ou doença disseminada.

Fonte: MedScape

Herpes neonatal- infecção em sistema nervoso central:

Os sintomas começam após a 2° ou 3° semana de vida:

  • Tremores
  • Má alimentação
  • Letargia (sonolência extrema)
  • Instabilidade de temperatura (febre alta ou hipotermia)
  • Abaulamento de fontanela

Herpes neonatal disseminada:

Quadro de sepse neonatal com falha múltipla de órgãos.

>> 8 em cada 10 bebês com essa apresentação morrem se não tratados adequadamente.

Complicações da transmissão vertical no HSV

A Transmissão intra útero ocorre quando a mãe transmite o HSV para o bebê ainda durante a gestação.

Isso pode causar complicações muito graves:

  • Aborto espontâneo
  • Anomalias congênitas, como microcefalia
  • Nascimento prematuro
  • Crescimento Intrauterino retardado – CIUR
  • Autismo 

Como prevenir a transmissão do HSV ao bebê:

  • Para mulheres sem história de infecção prévia pelo herpes, que apresente lesão genital suspeita durante a gestação, o tratamento com aciclovir deve ser iniciado o quanto antes.
  • Se houver lesão genital no momento do parto, o parto por cesariana é o mais seguro para o bebê.
  • Gestantes com crises de repetição não têm indicação de tratamento para supressão viral para prevenir transmissão vertical.
  • Caso a paciente opte por essa estratégia para redução dos sintomas, o tempo deve ser por 35 semanas com as mesmas opções e doses usados em mulheres não gravidas.

 

Fonte:

 

 


Compartilhe
  • 13
    Shares
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.

8 thoughts on “Herpes gestacional e herpes neonatal

  1. A mae que ja teve e que sumiu …e nem lembrava pois pensou que tava curada e depois qie o bb nasce vem no exame que ele tbm tem o vírus nao reagente…essa crianca tem que fazer algum tratamento ou ele pode ter algum problema no futuro com a vida sexual.. ex:passar para outras pessoas ou ate pros filhos no futuro??

    1. Bom dia. Não consigo dar um parecer sem examinar pessoalmente. Sugiro que procure um médico infectologista de sua confiança, juntamente com o histórico de exames, para que possa analisar e solicitar os exames cabíveis para o caso.

  2. Olá doutora
    Estou grávida de 12 semanas e tive pela primeira vez umas bolhas no lado da vagina,bem.pequenos mas doloridas,fui no.pronto socorro a médica disse ser herpes. No entanto sou casada há 8 anos, será que meu marido me traiu? Ele nunca teve nada..estou com medo do meu BB ter pego a doença..estou desesperado.

    1. Não ter tido as lesões da herpes anteriormente, não significa que você acabou de contrair o vírus. De fato, uma pessoa pode ter o contato com o herpes por muitos anos e não apresentar nenhuma crise até que em algum momento,por alguma baixa da imunidade, como por exemplo, gestação, a crise aparece.

  3. Nunca tive sintomas da herpes,mas no entanto tive um aborto aos oito meses de gestação, o médico disse que foi devido a essa doença,é possível isso,ou será que adquiri o virus na gestação

    1. Nem sempre se pode definir quando foi o primeiro contato com o herpes. para para dizer algo desse tipo, deve-se avaliar os exames realizados no inicio da gestação e após o aborto. sugiro que procure um médico infectologista de sua confiança para te avaliar assim como os seus exames.

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top