Você está aqui
Home > Hepatites Virais > Doença Cardiovascular em Pacientes com Hepatite C

Doença Cardiovascular em Pacientes com Hepatite C

Doença Cardiovascular em Pacientes com Hepatite C
Compartilhe

Doença Cardiovascular em Pacientes com Hepatite C. A hepatite C é conhecida por ser uma doença silenciosa que pode ficar anos sem se manifestar. No entanto, pacientes que possuem a condição têm maior risco de sofrer com doenças cardiovasculares.

A inflamação causada pelo vírus VHC é causada principalmente pelo contato direto com o sangue contaminado por meio de seringas, agulhas, entre outros apetrechos. A hepatite C em sua forma crônica faz com que os pacientes abriguem placas anormais de gordura e cálcio dentro das veias e artérias. Continue a leitura deste artigo e saiba mais sobre a relação entre a hepatite tipo C e as doenças cardiovasculares.

O Que É Hepatite

A hepatite nada mais é do que a inflamação do fígado.

Esta inflamação pode ter várias causas, inclusive não infecciosas

Dentre as causas não infecciosas destacam-se as hepatites medicamentosas, auto-imunes, gordura no fígado

Já das causas infecciosas, a mais comum é a trans infecciosa, causada pelas mais diversas infecções e não pelos vírus que se alojam no fígado.

As hepatites virais são causadas por vírus que alojam diretamente, mas não apenas, no fígado as hepatites virais podem ser de 5 tipos (Hepatite A, B, C, D e E).

O Que São Doenças Cardiovasculares

Doenças cardiovasculares são quaisquer alterações patológicas que afetam diretamente o coração e/os vasos sanguíneos de uma pessoa. As condições mais conhecidas são o AVC (acidente vascular cerebral), aterosclerose, hipertensão, infarto e trombose.

Riscos da Hepatite

Alguns dos riscos aos quais Pessoas com Hepatite C Crônica estão expostas são:

  • Maior Risco de Morrer de Doença Cardiovascular;
  • Maior Risco de Sofrer um Derrame;
  • Acidente Vascular Cerebral – AVC;
  • Maior risco de desenvolver problemas cardiovasculares.

Doença Cardiovascular em Pacientes com Hepatite C

Aponta uma metanálise, publicada no Gastroenterology, em janeiro de 2016.

Os resultados reúnem dados de 22 estudos epidemiológicos.

Recomendação Para Evitar Segundo AVC – Especialistas

Anteriormente, diversos estudos haviam produzido resultados inconsistentes a respeito do risco de doenças cardiovasculares em pessoas com hepatite C.

Como o Estudo Foi Feito

Pesquisadores da Universidade de Palermo analisaram dados de estudos já publicados sobre pessoas que vivem com hepatite C.

O objetivo era produzir estimativas mais robustas sobre:

  • Riscos de Ataque Cardíaco;
  • Acidente Vascular Cerebral – AVC.

Os investigadores identificaram 22 (vinte e dois) Estudos que relataram aumento do risco cardiovasculares em pessoas com hepatite C.

A metanálise considerou 03 (três) aspectos fundamentais:

  • A mortalidade Cardiovascular
  • – Morte por qualquer causa cardiovascular:
    • – A mortalidade cardiovascular foi calculada a partir dos resultados de três estudos de coorte que acompanharam 68.365 pessoas e onde foram registrados 735 óbitos. A estimativa reunida mostrou um aumento de 65% no risco de morte por causa cardiovascular para pessoas com hepatite C;
  • Aterosclerose carotídea medida por placas carotídeas (placas, compostas de colesterol, cálcio e tecido fibroso, acumular-se nas artérias e sua presença aumenta o risco de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral): a prevalência de aterosclerose carotídea foi calculada a partir de nove estudos de caso-controle, combinando dados de 9.083 pessoas, 1.979 tinham placas na artéria carótida. As estimativas reunidas mostraram que as pessoas com hepatite C tinham quase duas vezes e meia mais chances de ter uma placa na carótida;
  • Acidente Vascular Cerebral;
  • Ataque Cardíaco;
  • Eventos Cérebro e Cardiovasculares:
    • O impacto da hepatite C sobre a incidência de eventos cardiovasculares, incluindo acidente vascular cerebral, foi calculado a partir de oito estudos, combinando dados de 390.602 pessoas e 18.388 acontecimentos. A hepatite C aumentou o risco de qualquer evento modestamente em 30%. O efeito foi semelhante quando a análise limitou-se ao acidente vascular cerebral sozinho: 35%.

Os autores sugerem que as anormalidades metabólicas comuns em pessoas com hepatite C podem proporcionar uma explicação para o aumento do risco, mas também apontam para a evidência recente que mostra que a hepatite C promove a inflamação, o que contribui para o desenvolvimento da doença cardiovascular.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:

Artigo Publicado em: 3 de fev de 2016 e Atualizado em: 22 de março de 2022


Compartilhe

Deixe uma resposta

Top