Você está aqui
Home > HIV/AIDS > Complicações do HIV não relacionadas à AIDS

Complicações do HIV não relacionadas à AIDS

Complicações do HIV não relacionadas à AIDS
Compartilhe
  • 13
    Shares

Complicações do HIV não relacionadas à AIDS

O HIV é conhecido e temido por destruir o sistema imune dos portadores não tratados adequadamente.

Isso ocorre porque o vírus, entre outras células, ataca as células linfócitos CD4, uma de nossas células de defesa.

(saiba mais sobre como o HIV atua dentro de nosso organismo, clicando aqui)

Quais são as células nas quais o vírus latente pode se esconder?

  • Células linfócitos CD4 ativas, ou seja, que estão correndo pelo sangue;
  • Células linfócitos CD4 de repouso, que são células de memória de longa duração;
  • Monócitos (célula de defesa);
  • Macrófagos (célula de defesa);
  • Células dendríticas (célula de defesa);
  • Células progenitoras hematopoieticas (dessas células se desenvolvem todas as células do nosso sangue);
  • Células do sistema nervoso (micróglias).

Mas o vírus está longe de fazer apenas isso.

Inflamação crônica

O vírus HIV causa uma inflamação em todo o organismo.

O tratamento reduz dramaticamente este processo inflamatório.

Contudo, ele segue acontecendo, mesmo com carga viral indetectável.

Essa inflamação é ainda mais importante naquelas área onde os antirretrovirais não alcançam.

Estas áreas são chamadas de reservatórios do vírus ou santuários.

Existem 2 tipos de reservatórios:

  • Reservatório raso (células infectadas que contêm vírus latentes mais fáceis de ativar)
  • Reservatório profundo (células infectadas que contêm vírus latentes que não são ativados pelas técnicas atuais)

Onde os reservatórios estão localizados?

Complicações do HIV não relacionadas à AIDS

As complicações do HIV não relacionadas à AIDS podem ocorrer até mesmo naqueles com imunidade boa.

Podem ocorrer mesmo naqueles em tratamento contínuo e adequado com carga viral indetectável

Complicações do HIV não relacionadas à AIDS

Complicações do HIV não relacionadas à AIDS:

Como evitar estas complicações

Início do tratamento do HIV o mais cedo possível

O tratamento do HIV deve ser iniciado assim que for identificado carga viral detectável, independente do estado da imunidade.

Manter a Carga Viral indetectável no sangue é importante porque:

  • Evita a transmissão a outras pessoas
  • Evita a progressão para a AIDS
  • Reduz drasticamente o processo inflamatório ocasionado pelo vírus.

Acompanhamento médico periódico

O acompanhamento médico deve ser realizado periodicamente de acordo à orientação médica.

Deve ser realizada a vigilância da toxicidade relacionada à medicação, mesmo que a pessoa não tenha sintomas.

O médico infectologista deve:

  • Vigiar periodicamente o aparecimento de qualquer complicação ou doença crônica, piorada ou não pelo processo inflamatório causado pelo HIV
  • Iniciar o tratamento imediato de qualquer doença silenciosa identificada
  • Buscar ativamente por outras Infecções Sexuais e tratá-las imediatamente
  • Identificar doenças suscetíveis e orientar todas as vacinas no momento mais adequado

Realizar atividade física regular

A realização de atividade física regular é fundamental para:

  • Reduzir a inflamação generalizada
  • Fortalecimento dos ossos
  • Manutenção da massa muscular
  • Redução do risco de doenças cardiovasculares
  • Redução do risco de demência
  • Manter a longevidade

Manter um mente saudável

Muitos transtornos psicológicos e psiquiátricos são genéticos. Ou seja, passam de pai para filho

Além da carga genética, a inflamação do HIV no cérebro aumenta o risco dessas situações

Alguns antirretrovirais também podem aumentar este risco

Estas doenças NÃO PODEM SER NEGLIGENCIADAS

Assim que identificadas, tratamentos medicamentoso ou não medicamentoso devem ser instituídos

Manter sono reparador

A quantidade de sono necessária para recarregar as energias em cada pessoa pode mudar de acordo à idade

Pode-se dormir poucas horas ou pode-se dormir toda a noite, muitas horas com uma péssima qualidade de sono

A qualidade do sono pode ser prejudicada, pois a pessoa acorda muitas vezes à noite, ou possui o sono muito leve.

Cada uma dessas coisas pode ter uma série de causas.

Estas causas devem ser investigadas pelo médico especialista e identificadas, pois cada uma dessas causas possui um tratamento diferente

Problemas de sono nem sempre são fáceis de identificar, eles podem aparecer de várias formas, como:

  • Sonolência durante o dia
  • Descontrole emocional
  • Perda de memória
  • Aumento da pressão arterial durante a noite
  • Etc.

Sono perdido é neurônio morto. Cuide de seu sono.

Alimentação saudável

Alimentação rica em carboidratos e alimentos processados aumentam o processo inflamatório do organismo

Estudos mostram que quem come menos açúcar vive mais e mais saudável

Manter um peso corporal adequado

Alimentação equilibrada com uma vida equilibrada.

Manter o peso corporal adequado é fundamental para uma boa saúde e longevidade.

Reposição de vitaminas quando indicado

Analisar os níveis de vitamina no sangue e repor o que estiver em baixa

Deve ser dada especial atenção para a Vitamina D, pois é uma hipovitaminose muito comum em nosso meio

Repor vitaminas indiscriminadamente, ou seja, repor vitaminas que já estão normais, não traz benefício

Além disso, tomar polivitamínicos aleatoriamente também não traz benefícios, pois se estiver algum deles em falta, a quantidade presente no polivitamínico provavelmente não será suficiente.

Suplementação de probióticos e Ômega 3 ajuda tanto na manutenção da integridade da imunidade quanto na diminuição do processo inflamatório do organismo

 

Fonte:


Compartilhe
  • 13
    Shares
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.

5 thoughts on “Complicações do HIV não relacionadas à AIDS

  1. Dra Keilla é possivel um paciente, não desenvolver essas complicações, pacientes vivendo com HIV diabéticos, hipertensos tem maiores riscos?

    1. Boa tarde. Na verdade isso varia muito de acordo ao organismo de cada pessoa.
      A maior forma de prevenção das complicações relacionadas à AIDS é o diagnóstico precoce do HIV. O tratamento do HIV deve ser iniciado assim que for identificado carga viral detectável, independente do estado da imunidade.
      Para saber mais sobre o tratamento do HIV, sugiro a leitura deste artigo: https://www.drakeillafreitas.com.br/tratamento-do-hiv-o-que-voce-precisa-saber/

  2. Oi Dr. Fiz um teste de HIV método Eletroquimioluminescência, material soro refrigerado, e deu 0,17 não reagente esperei um prazo de 46 dias para fazer esse teste esse prazo já é suficiente pra janela imunológica obrigado boa tarde

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top