Você está aqui
Home > Infecção Viral > Dengue aumenta risco de Zika Grave

Dengue aumenta risco de Zika Grave

Dengue aumenta risco de Zika Grave

Imunidade contra a dengue por infecção prévia ou vacinação pode aumentar risco de complicações em infecções por Zika

Estudos em camundongos identificaram um possível risco aumentado de complicações em infecções pelo Zika Vírus em quem possui imunidade contra a dengue.

Isso poderia ocorrer tanto em imunidade adquirida pela infecção quanto vacinação contra a dengue.

Pessoas que se infectam por um sorotipo do vírus da dengue fica imune aquele sorotipo.

Ou seja, pode se infectar por outros sorotipos da dengue mas está protegida contra aquele sorotipo em específico pelo qual se infectou.

Sabemos que depois da primeira infecção pela dengue existe um maior risco de complicações caso haja nova infecção.

O que ocorre quando nos infectamos pela dengue pela segunda vez ou mais:

  • Os anticorpos criados após a primeira infecção, não são capazes de proteger o organismo contra outro sorotipo.
  • Mas como existe anticorpo já formados, a resposta inflamatória é mais exuberante;
  • os anticorpo de memória (células de defesa), vêm em grande quantidade para tentar combater a nova infecção.
  • Ao não conseguir conter a nova infecção, o vírus entra nas células de defesa.
  • No final das contas o vírus acaba se replicando ( multiplicando) mais rápido dentro das células, causando uma viremia (quantidade de vírus no sangue) maior.

Estudo americano

Como foi feito o estudo:

Pesquisadores da Icahn School of Medicine at Mount Sinai, em Nova York dividiram camundongos em 2 grupos:

  • Em um grupo injetaram plasma de pessoas infectadas pela dengue ou o vírus da febre do nilo ocidental.
  • No outro grupo não.

Depois ambos grupos foram expostos ao vírus da Zika

O plasma é um material vindo do sangue, nestas pessoas, ricos em anticorpos anti-dengue ou Febre do Nilo

Resultados do estudo:

  • Eles observaram quadros mais graves e com maior mortalidade nos que foram previamente expostos aos anticorpos da dengue ou do vírus do Nilo Ocidental
  • Observaram também que quanto maior o número de anticorpos no plasma, piora o quadro clínico apresentado pelo Zika
  • O estudo foi publicado na revista Science 

Qual a importância desse estudo

Esta teoria poderia justificar o porquê das manifestações graves do surto de Zika no Brasil, como microcefalia e casos de Síndrome de Guillan-Barré.

Uma pessoa que se infectou com dengue três ou quatro anos atrás, vai ter uma baixa quantidade de anticorpos circulando no corpo durante vários anos

Mas uma pessoa que se infectou pelo dengue ou acabou de tomar a vacina te, altos níveis de anticorpos o que poderia aumentar o risco de quadros graves se infectada pelo Zika neste momento.

Fonte:

 

CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top