Você está aqui
Home > DSTs > Cancro mole ou Cancroide: Conheça

Cancro mole ou Cancroide: Conheça

cancro mole ou cancroide
Compartilhe
  • 13
    Shares

Cancro mole ou cancroide é uma Infecção mais frequente nos países tropicais.

Trata-se de Infecção Sexualmente Transmissível – IST , não se transmite de outra maneira além do sexo.

É causada pela bactéria Haemophilus ducreyi, que pode penetrar na mucosa, pele machucada ou íntegra

Denomina-se também cancro venéreo ou cancro de Ducrey.

O período de incubação (período entre o primeiro contato e início dos sintomas) é geralmente de três a cinco dias, podendo se estender por até duas semanas.

O risco de infecção em uma relação sexual é de 80%.

Essa doença é 7 vezes mais comum em homens que em mulheres

Como são as lesões do Cancro Mole ou Cancroide?

  • Caracteriza-se por lesões múltiplas (podendo, no entanto, haver uma única lesão)
  • As lesões são dolorosas,
  • Geralmente múltiplas e devidas à auto inoculação.
  • A borda é irregular, apresentando contornos eritemato-edematosos e fundo irregular, recoberto por exsudato necrótico, amarelado,
  • Odor fétido e que, quando removido, revela tecido de granulação com sangramento fácil.
Cancro mole ou cancroide
Cancro mole ou cancroide na mulher
Cancro mole ou cancroide
Cancro mole ou cancroide no homem
cancro-em-boca
Cancro mole ou cancroide oral

Onde podem aparecer?

  • Homem: mais frequentes são no frênulo e sulco bálano-prepucial;
  • Mulher, na fúrcula e face interna dos pequenos e grandes lábios.
  • A lesão anal também podem ocorrer em homens ou mulheres que praticaram relação anal receptiva

Em 30% a 50% dos pacientes, o bacilo atinge os linfonodos inguino-crurais (bubão).

2/3 desses casos surgem em um lado só.

 

 

Evolução da lesão do Cancro mole ou cancroide :

No início, ocorre tumefação (bolinha) sólida e dolorosa,

Essa bolinha amolece e fistuliza (começa a drenar pus) em 50% dos casos, tipicamente por um único buraquinho.

Após a drenagem a lesão vira uma úlcera dolorida, irregular, com extremidades não definidas e bordas moles (daí o nome da doença)

A base da úlcera encontra-se frequentemente coberta por uma secreção purulenta e necrótica, sangrando facilmente quando raspada ou limpada

É comum haver múltiplas lesões, que podem se fundir e formar úlceras grandes

Raramente, apresenta-se sob a forma de lesão extragenital ou doença sistêmica.

A cicatrização pode ser desfigurante.

A linfadenite inguinal supurativa (íngua inguinal que inflama e supura) pode acontecer caso haja atraso no inicio do tratamento

Diagnóstico:

A suspeita é clinica é muitas vezes o tratamento é feito com isso.

Para a comprovar diagnóstico pode-se realizar exames de cultura ou se detecção de material genético da bactéria.

 

 

A aspiração, com agulha de grosso calibre, dos gânglios linfáticos regionais comprometidos, pode ser indicada para alívio de linfonodos tensos e com flutuação.

Este procedimento também pode ser realizado para coleta de materiais para diagnóstico

São contraindicadas a incisão com drenagem ou excisão dos linfonodos acometidos.

 

Opções de tratamento:

  • Azitromicina
  • Ceftriaxone
  • Ciprofloxacino
  • Tetraciclina
  • Eritromicina
  • Sulfametoxazol/Trimetroprim

 

Diagnóstico diferencial

Erosões traumáticas infectadas.

 

Fonte:

 


Compartilhe
  • 13
    Shares
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.

4 thoughts on “Cancro mole ou Cancroide: Conheça

  1. Dr. Procurei o medico e ini iei o tratamento ha 4 dias e meio… as feridas permanecem e agora doem e sangram. Uso azitromicina e satou preocupada… não sei se o o nao fechamento da ulcera no quarto dia eh nornal (ele indicou 5 dias). Nao tive nenhum outro sintoma alem de 6 pequenas ulceras… oq fazer????

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top