Você está aqui
Home > Vídeos > Infecções urinarias > Menopausa e o risco de infecção urinária: aumenta?

Menopausa e o risco de infecção urinária: aumenta?

Menopausa e o risco de infecção urinária

Menopausa e o risco de infecção urinária

Menopausa e o risco de infecção urinária

A Infecção do Trato Urinário ou Infecção Urinária já é mais frequente em mulheres que em homens, mesmo as mulheres jovens e sem comorbidade.

A menopausa leva a grandes mudanças no organismo feminino e com eles, o aumento do risco de Infecção Urinária.

Até mesmo mulheres que não sofriam de Infecções Urinárias de Repetição na juventude, podem começar a sofrer este problema quando idosas.

Causas do aumento da Infecção Urinária na pós menopausa:

  • Incontinência Urinária
  • Presença de cistocele
  • Urina residual pós miccional
  • Alteração da flora vaginal devido a alteração hormonal

Outros fatores que podem aumentar o risco de infecção urinária em idosos:

  • Pouca ingesta de líquidos
  • Uso frequente de antibióticos, levando a alteração da flora vaginal normal
  • Diabetes Mellitus associada, especialmente se estiver descompesada
  • Obesidade
  • Uso de fralda
  • Uso de sonda vesical

Compartilhe nas redes sociais:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Dra. Keilla Freitas
Dra. Keilla Freitas
Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.
http://www.drakeillafreitas.com.br/

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top