Você está aqui
Home > Infecção Viral > Eritema Infeccioso

Eritema Infeccioso

Infectologista - Eritema Infeccioso
Compartilhe

O Eritema infeccioso é um exantema febril. Doença infecciosa viral, causada pelo Parvovírus B 19

Transmissão

  • Contato direto com secreções respiratórias de pessoa a pessoa.
  • Contato indireto por fômites infectados
  • Transmissão vertical (de mãe para filho durante a gestação)
  • Transfusão de sangue e seus derivados

Período de transmissão

A transmissão começa a partir de 5 a 10 dias após a exposição

O período máximo de transmissibilidade é antes do aparecimento do exantema (manchas vermelhas na pele)

Sintomas do eritema infeccioso

25% das pessoas infectadas pelo parvovírus B 19 não apresentam nenhum sintoma

50% das pessoas infectadas apresentam apenas sintomas virais inespecíficos

O período de incubação varia de 4 a 20 dias

Sintomas inespecíficos podem ocorrer de 7 a 10 dias antes do exantema

  • Cansaço
  • Febre baixa
  • Mialgia (dor nos músculos)
  • Cefaleia (dor de cabeça)
  • Dor de Garganta
  • Coriza
  • Náusea
  • Diarreia
  • Conjuntivite
  • Artralgia e/ou artrite (dor e/ou inchaço nas articulações)
  • Prurido (coceira)

Exantema

O exantema aparece de 2 a 5 dias após o surgimento dos primeiros sintomas. 2 a 3 semanas após o primeiro contato com o vírus

Ele é maculopapular, confluente, forma padrões reticulares ou rendados de áreas manchadas e ligeiramente levantadas com clareiras centrais, geralmente mais proeminentes em áreas expostas.

Exantema do Eritema Infeccioso: “Face esbofeteada” 

Se inicia primeiro na face (bochechas) um exantema de um vermelho intenso, confluente, em forma de asa de borboleta ou lembrando o aspecto de “face esbofeteada”

Vários dias depois, um exantema simétrico espalha-se por membros e tronco, especialmente em braços e pernas em áreas extensoras

geralmente poupa as palmas das mãos e plantas dos pés.

Não há descamação

O quadro inteiro dura de 5 a 10 dias

Posteriormente, o exantema pode reaparecer ou intensificar-se com irritantes cutâneos, alteração de temperatura, exercício,  exposição ao sol ou estres por semanas a meses após a infecção.

Em adultos, quadro de dor articular e inchaço pode persistir por semanas após o quadro agudo

síndrome purpúrico papular em “luvas e meias”

 

 

Alguns pacientes podem apresentar a síndrome purpúrico papular em “luvas e meias”.

Trata-se de lesões papulares, purpúricas ou petequiais limitadas às mãos e pés.

É frequentemente acompanhada de febre e lesões orais e / ou genitais

Diagnóstico

  • Avaliação clínica
  • Teste moleculares com detecção do vírus Parvovírus B 19 (mais usado em pacientes imunodeprimidos)
  • Sorologia evidenciando anticorpos específicos contra o Parvovírus B 19

Sorologia IgM reagente (ELISA) em amostras de sangue de fase aguda

Incremento de títulos de IgG em sorologias de amostras pareadas (fase aguda e convalescente).

Tratamento

Não há tratamento específico

  • Sintomáticos
  • Imunoglobulina pode ser usada para diminuir a viremia (vírus no sangue) em pacientes imunodeprimidos

Prevenção

Não existe vacina, apenas controle dos sintomas.

Prevenção de contato com pessoas possivelmente infectadas.

 

Fonte:


Compartilhe
Dra. Keilla Freitas
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.


https://www.drakeillafreitas.com.br/quem-somos/

Deixe uma resposta

Top