Você está aqui
Home > Notícias > Dengue prévio nas gestantes e risco de Zika em bebês

Dengue prévio nas gestantes e risco de Zika em bebês

Compartilhe
  • 13
    Shares

Dengue prévio nas gestantes e risco de Zika em bebês

Estudo realizado no Rio de Janeiro aponta que mães que tiveram Dengue em algum momento da vida, podem ter maior risco de transmitir Zika ao bebê, caso sejam infectadas pelo Zika durante a gestação.

 

Como foi feito o estudo:

Um trabalho brasileiro realizado no Rio de Janeiro estudou gestantes cariocas entre setembro de 2015 até maio de 2016

Gestantes que apresentaram febre até os 5 dias anteriores à consulta, tiveram seu sangue e urina testado para Zika Vírus com técnicas moleculares (detecção de material genético do vírus)

Gestantes que tiveram a infecção pelo Zika confirmada foram acompanhadas até o parto e seus bebês avaliados ao nascimento.

 

O estudo também avaliou sorologias para dengue mostrando contato antigo com este vírus nas mulheres estudadas.

 

Resultados:

88% das mulheres testadas tiveram anticorpos de contato antigo com dengue positivos.

48 mulheres tiveram Zika comprovada durante a gestação

Dessas 48, 26 gestantes transmitiram Zika para o feto.

Dessas 26, 22 tinham anticorpo contra dengue.

Das que tiveram Zika na gestação e NÃO transmitiram para o feto, apenas 2 possuiam anticorpo contra a dengue.

Das que não transmitiram, só duas tinham anticorpos contra dengue

 

Outros diagnósticos associados:

  • 42% das gestantes sem o vírus da zika foram diagnosticadas com Chikungunya
  • 3% tinham infecção por Zika e Chikungunya ao mesmo tempo.

 

O estudo foi publicado no New-England – revista médica internacional de grande peso.

 

Este efeito que os anticorpos contra a dengue parecem ter em infecções posteriores pelo vírus Zika, podem não estar relacionadas apenas a infecções previas pela dengue mas também em pessoas vacinadas contra a dengue, de acordo ao encontrado em camundongos em estudo feito no Estados Unidos

 

estudo-sobre-transmissao-de-zika-na-gestacao
* Resumo tirado de medscape

 

Outros estudos ampliam ainda mais esse fato, mostrando em camundongos e exposição previa ao vírus da dengue, mesmo sendo vacina, pode aumentar o risco de desenvolver infecções mais graves pelo vírus Zika caso seja infectado. Saiba mais aqui

 

Fonte:


Compartilhe
  • 13
    Shares
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top