Você está aqui
Home > HIV/AIDS > Profilaxia pré-exposição é tão segura quanto aspirina

Profilaxia pré-exposição é tão segura quanto aspirina

Compartilhe
  • 12
    Shares

Um artigo, publicado em janeiro de 2016, no Open Forum of Infectious Diseases, traz uma contribuição importante para a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP), feita por meio do uso do medicamento Truvada®.

Os pesquisadores revisaram estudos importantes sobre o Truvada®, empregado na prevenção do HIV, e sobre o uso da aspirina, empregada na prevenção do ataque cardíaco.

Eles descobriram que os dois medicamentos têm baixas taxas de efeitos secundários graves.

Os usuários de aspirina raramente tem sangramento ou morte em função do seu uso e os usuários de Truvada® raramente apresentam danos renais ou ósseos sérios.

Ao mostrar que a PrEP pode ser tão segura quanto o uso de aspirinas, os médicos podem se sentir mais confortáveis para prescrever essa estratégia de prevenção e os pacientes podem se sentir mais confortáveis para usá-la, defendem os autores do estudo.

A PrEP funciona muito bem para prevenir o HIV quando tomada todos os dias.

Entenda melhor

A Profilaxia Pré-exposição (PrEP) ao vírus da imunodeficiência humana, o HIV, é uma estratégia de prevenção que envolve a utilização de um medicamento antirretroviral (ARV), por pessoas não infectadas, para reduzir o risco de aquisição do HIV através de relações sexuais.

O medicamento ARV irá bloquear o ciclo da multiplicação desse vírus, impedindo a infecção do organismo. Há duas formas principais de PrEP: a PrEP Oral em forma de comprimido e a PrEP Tópica em forma de gel.

Os resultados iniciais dos ensaios clínicos de PrEP Oral indicam que essa estratégia de prevenção pode ser extremamente útil para a mudança de cenário no combate  à infecção pelo vírus HIV

PrEP no Brasil

Contudo, o medicamento ainda não está disponível no Brasil,

mas é aprovado pelo Food and Drugs Administration (FDA), órgão semelhante à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

O produto está à venda nos Estados Unidos e pode ser importado, contudo, o custo ainda é muito elevado

Estudo PrEP-Brasil:

No Brasil está em curso um estudo, conduzido pela LapClin Aids da Fiocruz.

O objetivo é  avaliar a aceitação, a viabilidade e a melhor forma de oferecer a PrEP à população brasileira como prevenção ao HIV.

Neste estudo estão incluídos 500 homens gays e travestis.

Os participantes são orientados a ingerir um comprimido de Truvada® por dia. Esse medicamento é uma combinação de dois antirretrovirais (tenofovir e emtricitabina) em um único comprimido.

Hoje sabemos que, se a pessoa tomar o Truvada® todos os dias, a proteção contra o HIV chega próximo de 100%.

Todos os participantes são acompanhados por uma equipe especializada de médicos, enfermeiros e psicólogos durante todas as visitas do estudo.

Além do Truvada®, que deve ser usado diariamente, os participantes do estudo possuem:

  • Aconselhamento para gerenciamento do risco de adquirir a infecção pelo HIV,
  • Testes de HIV e de outras doenças sexualmente transmissíveis (DST).
  • Exames laboratoriais detectar eventuais efeitos colaterais.
  • Testes que detectam material genético do HIV são utilizados para identificar precocemente a infecção pelo HIV.
  • Preservativos e lubrificantes são sempre fornecidos e o uso deles é fortemente incentivado.

Enquanto a pesquisa brasileira caminha, os infectologistas seguem seu trabalho de conscientização nos consultórios.

O Truvada® não pode ser o único método de prevenção

O Truvada® é uma ótima esperança para a prevenção da doença, num futuro próximo.

No entanto, quando falamos de prevenção é preciso combinar métodos.

É a combinação de métodos que permite alcançar o maior nível de proteção.

O Truvada® deve ser utilizado adicionalmente ao uso do preservativo. É uma proteção adicional.

O Truvada®, ao contrário da camisinha, não protege de outras infecções transmitidas pelo sexo, como a gonorreia, a sífilis e as hepatites.

  • O Truvada®, não deve ser usado como um substituto do preservativo.

Ele é um método adicional de prevenção do HIV.

Especialmente para aqueles que apresentam um risco aumentado de adquirir a infecção


Compartilhe
  • 12
    Shares

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top