Você está aqui
Home > Vídeos > Geral > Sinais de alerta na febre

Sinais de alerta na febre

Sinais de alerta na febre
Compartilhe
  • 13
    Shares

Sinais de Alerta na febre

 

 

A Febre é um sintoma muito comum.

É comum nos preocuparmos com a febre, e sempre lembrarmos de infecções.

Mas nem toda febre é sinal de infecção e nem toda febre alta é sinal de infecção grave.

Sinais de alerta na febre:

  • Gestantes com febre
  • Febre iniciada loco após viagem recente à lugares com doenças endêmicas, como áreas com histórias de Malária.
  • Inicio de febre logo após alta hospitalar, procedimento cirúrgico, ou outro procedimento médico invasivo
  • Febre durante tratamento com quimioterapia ou outro tratamento imunossupressor (nesses casos, procurar atendimento médico em caso de Temperatura oral maior ou igual a 38ºC por mais de uma hora ou imediatamente após de:
    – Alcançar 38,3ºC)
    – Febre que dura vários dias ou vai embora retorna depois de haver ido embora
  • Febre após picada de inseto.
  • Febre em pessoas com saúde grave como: diabetes, doença cardíaca, câncer, lúpus eritematoso sistêmico ou anemia falciforme
  • Febre associada a algum dos sintomas abaixo:
    – Rash (manchas vermelhas na pele)
    – Falta de ar
    – Dor de cabeça severa ou dor na nuca
    – Crise convulsiva
    – Confusão mental
    – Vômitos severos ou diarreia
    – Dor intensa em barriga, costas ou lados.
    – Qualquer outro sintoma que não seja comum ou te incomode.


Compartilhe
  • 13
    Shares
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top