Você está aqui
Home > HIV/AIDS > Efavirenz previne Alzheimer

Efavirenz previne Alzheimer

Compartilhe
  • 13
    Shares

Efavirenz pode ajudar a reduzir os riscos de desenvolvimento da doença de Alzheimer.

Essa descoberta foi feita por pesquisadores do National Insitute of Standards of Technology (NIST) e da Western Reserve University, nos Estados Unidos,

O Efavirenz  é um remédio utilizado há muitos anos no tratamento do HIV, sempre em associação com outros remédios.

Ainda hoje faz parte do esquema de primeira linha no tratamento contra o HIV no Brasil com ótimos resultados.

Como o Efavirenz pode diminuir riscos de desenvolvimento da doença de Alzheimer

A droga se une a uma enzima chamada CYP46A1.

Essa enzima muda sua estrutura, segurando o colesterol presente no cérebro com mais eficiência

Com isso, aumentando sua capacidade em retirar o colesterol do órgão.

A associação entre a redução de colesterol no cérebro e a melhora da memória já está comprovada em modelos animais.

A explicação para isso é que o beta-amiloide, tipo de colesterol encontrado em grandes quantidades no cérebro de pessoas com demência, bloqueia a comunicação entre os neurônios, células de nosso cérebro e de todo o nosso sistema nervoso.

Os Estudos

Em estudos com ratos, o Efavirenz foi capaz de aumentar a capacidade da enzima em tirar o colesterol do cérebro em 40%.

Acredita-se que este efeito seja ainda maior em humanos, mesmo com baixas doses do remédio.

Esse estudo mostra que pacientes vivendo com HIV e que tem o Efavirenz em seu esquema terapêutico, podem ter uma redução do risco de Alzheimer.

Além disso, o seguimento desse estudo pode levar à criação de uma medicação com baixas doses da droga que seja capaz prevenir ou diminuir os sintomas de pacientes que já possuem a doença.

Fonte:


Compartilhe
  • 13
    Shares
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top