Você está aqui
Home > HIV/AIDS > Estudo sobre PrEP injetável chega a São Paulo

Estudo sobre PrEP injetável chega a São Paulo

PrEP Injetável
Compartilhe
  • 24
    Shares

Medicação injetável para prevenção do HIV

Estudo sobre Profilaxia Pré-exposição ao HIV – PrEP injetável chega a São Paulo

Uma das formas disponíveis de prevenção contra o vírus o HIV atualmente, é a Profilaxia Pré-exposição ao HIV – PrEP.

Esta estratégia consiste em tomar um comprimido por via oral ANTES de se expor ao vírus HIV.

Agora, está em estudo uma estratégia de prevenção através do uso de medicação injetável

Como é o medicamento?

O Cabotegravir é um antiviral pertencente à classe dos Inibidores de Integrase

Tem sido estudado tanto para tratamento injetável do HIV quanto para a prevenção do HIV

A novidade dessa medicação é a sua forma de aplicação.

Trata-se de uma injeção aplicada pela via Intra-Muscular.

Cada injeção contêm 600mg da medicação e tem duração de 2 meses.

Como é o estudo?

O estudo se chama HPTN 083.

Está sendo realizado no Brasil, Estados Unidos, Argentina, Peru, África do Sul, Tailândia e Vietnã

Objetivo do estudo:

O estudo quer definir se a eficácia do Cabotegravir injetável na prevenção do HIV é tão boa quanto à do Truvada© usada todos os dias.

Quem participa desse estudo:

  • Homens e mulheres trans que fazem sexo com homens
  • Maiores de 18 anos
  • HIV soronegativos
  • Em risco de se infectar pelo Vírus HIV.

Passos do estudo

Passo 01 = Comparação entre 2 grupos:

  • Grupo A: uso todos os dias de Cabotegravir Oral (30mg) + Truvada© placebo por 5 semanas
  • Grupo B: uso todos os dias de Truvada© oral + Cabotegravir  placebo por 5 semanas

Passo 02 = Comparação entre 2 grupos:

  • Grupo A: Injeção de Cabotegravir – 2 doses com 4 semanas de diferença e a partir da terceira dose, a cada 8 semanas + Truvada© placebo oral diário.
  • Grupo B: uso todos os dias de Truvada© oral + Cabotegravir injetável placebo 2 vezes com diferença de 4 semanas e depois a cada 8 semanas.

Passo 03 = seguimento dos 2 grupos sorteados no passo 02 e comparação entre eles:

  • Grupo A: Retirada das injeções de Cabotegravir e inicio do Truvada© oral todos os dias por até 48 semanas.
  • Grupo B: Retirara das injeções placebo do Cabotegravir e manter o uso diário do Truvada© por até 48 semanas.

Quais são os centros brasileiros que participarão desse estudo:

  • Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) – São Paulo
  • Centro de Referência e Treinamento DST/Aids (‘Santa Cruz’) – São Paulo
  • Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas (IPEC) da Fiocruz – Rio de Janeiro
  • Hospital Nossa Senhora da Conceição – Porto Alegre.

Como participar do estudo:

O recrutamento dos pacientes para estudo estão começando agora em agosto de 2018.

Quem tiver interesse pode entrar em contato para agendamento de entrevista:

Em São Paulo:

  • Centro de Pesquisa Clínica da FMUSP por meio do agendamento.estudo@gmail.com
  • Centro de Pesquisa Clínica da FMUSP pela página do facebook Programa de Educação Comunitária
  • Em breve  – CRT Santa Cruz pelo e-mail: pesquisa@crt.saude.sp.gov.br

No Rio de Janeiro:

  • Pelo e-mail: hptn083rio@gmail.com

Em Porto Alegre:

 

Fonte:


Compartilhe
  • 24
    Shares
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top