Você está aqui
Home > HIV/AIDS > Novo Subtipo do Vírus HIV é Identificado

Novo Subtipo do Vírus HIV é Identificado

Infectologista - Novo Subtipo do Vírus HIV é Identificado
Compartilhe

Novo Subtipo do Vírus HIV é Identificado – Em relatório de pesquisa recém publicado pela revista Journal of Acquired Immune Deficiency Syndromes, estudiosos revelam a descoberta de um novo subtipo do Vírus HIV.
Encontrado pela primeira vez após o sequenciamento do genoma de três paciente infectados, o subtipo “L” pertence a um grupo da doença que mais atinge seres humanos no mundo (Grupo M) totalizando 90% dos casos da enfermidade.

Continue a leitura deste artigo e saiba mais sobre a nova cepa recém descoberta do vírus HIV.

Vírus da Imunodeficiência Humana

O HIV, é a sigla em inglês para denominar o vírus da imunodeficiência humana, causador da AIDS. Responsável por atacar e enfraquecer o sistema imunológico humano, esse vírus já atinge cerca de 40 milhões de pessoas ao redor do mundo.

A infecção faz parte das chamadas ISTs, ou seja,pode ser contraída durante o ato sexuall desprotegido. Por ter o vírus circulando no organismo, outras maneiras de transmissão são:

  • Transfusões de sangue;
  • Uso de seringas contaminadas;
  • Instrumentos cortantes e perfurantes sem esterilização;
  • Transmissão vertical (Quando a mãe transmite a infecção durante a gestação, parto ou amamentação.).

Felizmente para os portadores do vírus, hoje já é possível alcançar uma maior expectativa e qualidade de vida do que a alguns anos atrás. Com o uso de PEP e PrEP, os riscos e sintomas da doença podem ser retardados, evitando assim o desenvolvimento da AIDS.

Novo Subtipo do Vírus HIV é Identificado

Grupos – Novo Subtipo do Vírus HIV é Identificado

O vírus do HIV apresenta diversas variações, assim, o vetor infectante responsável pela Aids pode ser dividido em 4 grupos, cada qual com outros diversos subtipos, sendo eles:

  • Grupo M – Os vírus que se enquadram nesse grupo são os responsáveis pela maioria das infecções por HIV. Ao todo pode ser subcategorizadas em 13 subtipos diferentes.
  • Grupo N – É o grupo menos comum, com vírus encontrados apenas em pacientes camaroneses.
  • Grupo O – Apesar de ter sido encontrado inicialmente no oeste e centro do continente Africano, esse grupo já se espalhou globalmente.
  • Grupo P – Esse grupo já foi encontrado em vetores Camaroneses e Franceses, havendo potencial para se espalharem globalmente, segundo cientistas especializados na doença.

A nova cepa do vírus do HIV, identificada por cientistas, é uma das diversas variações do grupo majoritário. O subtipo “L” se encaixa no grupo “M” da doença.

Subtipo L

Por não ser um agente infeccioso estático, o vírus do HIV está em constante evolução. A pesquisa se iniciou por meio do sequenciamento genético da amostra de três pacientes, coletadas desde a década de 1980 até 2001.

Com a disseminação das informações sobre o novo subtipo, a comunidade científica poderá avaliar seu impacto tanto no diagnóstico, quanto no tratamento e até mesmo pensar em potenciais vacinas contra o vírus.

Sempre que uma nova variação do vírus surge há uma grande preocupação em torno do seu potencial de resistência aos remédios já existentes e a não identificação desse novo tipo nos exames.

O subtipo L já circula desde os anos 1980, no entanto só pôde ser identificado agora, por conta do avanço de equipamentos e de estudos na área do mapeamento do DNA humano e viral. Por enquanto, as medidas a serem tomadas para a prevenção contra esse subtipo da doença continuam sendo os mesmos:

  • Uso de camisinha durante o sexo oral, anal e vaginal;
  • Evitar o contato com materiais cortantes e perfurantes não esterilizados;
  • Em caso de transfusões, certificar-se de que o material hemoderivado foi devidamente testado pela equipe laboratorial.

A prevenção e o diagnóstico precoce, podem garantir uma melhor qualidade de vida. Ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Procure seu médico infectologista de confiança e marque uma consulta.


Compartilhe
Dra. Keilla Freitas
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.


https://www.drakeillafreitas.com.br/quem-somos/

Deixe uma resposta

Top