Você está aqui
Home > DSTs > HIV na Terceira Idade – Como se Prevenir?

HIV na Terceira Idade – Como se Prevenir?

Infectologista - HIV na Terceira Idade – Como se Prevenir?
Compartilhe

HIV na Terceira Idade – Como se Prevenir? – Febre, cansaço, dores de cabeça, garganta ou musculares, tosse seca, úlceras dolorosas. Esses sintomas parecem familiares? É verdade que em muitos casos a infecção por HIV não apresenta sintomas, principalmente nos primeiros estágios. No entanto, com o avanço da doença, começa-se a notar sintomas como estes citados acima.

Para muitos o rótulo ditado pela sociedade para uma pessoa portadora de hiv é uma visão antiquada. Um exemplo disso é achar que apenas homens gays, mulheres com uma vida sexual rotativa e jovens mal instruídos podem ser os únicos infectados pelo vírus da imunodeficiência.

O fato é que qualquer pessoa que possua uma vida sexual ativa, está sujeita a ter um diagnóstico positivo para o HIV, seja ela homem, mulher, jovem ou idoso, que no caso é a faixa etária mais negligenciada quando o assunto é sexo e ISTs.

Continue a leitura deste artigo e saiba mais sobre como acontece, quais as consequências e formas de prevenção em pessoas com idade mais avançadas.

O Que É HIV?

O HIV, sigla derivada do inglês human immunodeficiency virus, é uma infecção que ataca o sistema imunológico e consequentemente, diminui as defesas do organismo humano. O HIV também é responsável pela AIDS, esta interfere na capacidade do corpo de combater infecções.

A transmissão do vírus se dá por meio do contato com sangue, sêmen, fluidos pré-ejaculatórios, lubrificações vaginais e até mesmo pelo leite materno de pacientes que contenham o vírus circulando no organismo.

HIV na Terceira Idade - Como se Prevenir?

Como É Feito o Diagnóstico de HIV na Terceira Idade?

Ficar atento a comportamentos considerados de risco como por exemplo ter feito sexo desprotegido ou ter tido contato com objetos cortantes ou espetantes sem conhecer a procedência, pode acelerar o processo de diagnóstico da doença. Uma vez que em muitos casos, o HIV não apresenta sintomas específicos, fazendo com que a pessoa o tenha em seu corpo por um certo período de tempo sem saber que esteja infectada.

O diagnóstico da infecção pelo HIV é feito a partir de exames por coleta de sangue ou por fluido oral. Também há a possibilidade de adquirir testes rápidos na farmácia conhecidos como auto teste do HIV.

O Que Muda Quando O Paciente Tem HIV na Terceira Idade?

Sexo na terceira idade ainda é um grande tabu a ser debatido na sociedade. E é por isso, que essa faixa etária é bastante negligenciada quando se trata de ISTs. Nos últimos dados do Boletim Epidemiológico divulgados pelo ministério da saúde, é possível notar o crescimento no número de diagnóstico da doença em idosos, principalmente do sexo feminino.

Entre os anos de 2007 a 2017, os diagnósticos de HIV em pessoas acima de 60 anos cresceram sete vezes. Em mulheres, esse aumento chegou a 21,2% quando comparado ao mesmo período.

Por terem o sistema imunológico mais frágil, os idosos com HIV podem perceber um avanço mais rápido da doença, o que a torna muito mais graves se não controladas desde o início. Sintomas de Aids, doenças oportunistas, intensificação de quadros como a osteoporose, insuficiência renal e pressão alta podem ser observadas em pacientes com essa faixa etária.

Qualidade De Vida Do Idoso Com HIV – HIV na Terceira Idade

Cada organismo tem suas particularidades e, por isso, é normal cada pessoa reagir de forma diferente ao tratamento. No entanto, com os avanços medicinais e científicos, hoje já é possível que qualquer pessoa que siga o tratamento indicado por seu médico viva bem com o vírusHIV na Terceira Idade – Como se Prevenir?

Manter o acompanhamento médico principalmente quando se tem a idade mais avançada é um passo fundamental para garantir a melhora dos sintomas causados pela doença. Sexo não tem idade, segurança e prevenção contra o HIV também não!


Compartilhe
Dra. Keilla Freitas
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.


https://www.drakeillafreitas.com.br/quem-somos/

2 thoughts on “HIV na Terceira Idade – Como se Prevenir?

  1. Dra, Um rapaz na empresa onde trabalho se feriu e o sangue dele caiu sobre a mesa, passamos o pano para limpar mas notamos que ainda havia ficado um mancha seca sobre a mesa. Me apoiei nesta mesa e posteriormente levei acidentalmente as mãos nos olhos. Isto é uma condição de risco? Lembrando que o sangue ja estava seco?!

  2. Dra, Um rapaz na empresa onde trabalho se feriu e o sangue dele caiu sobre a mesa, passamos o pano para limpar mas notamos que ainda havia ficado um mancha seca sobre a mesa. Me apoiei nesta mesa e posteriormente levei acidentalmente as mãos nos olhos. Isto é uma condição de risco? Lembrando que o sangue ja estava seco?!

Deixe uma resposta

Top