Você está aqui
Home > Notícias > Toxoplasmose na Gestação: Saiba Mais

Toxoplasmose na Gestação: Saiba Mais

Infectologista - Toxoplasmose na Gestação: Saiba Mais
Compartilhe

Toxoplasmose na gestação: saiba mais – A toxoplasmose, popularmente conhecida como “doença do gato”, é umas das condições mais temidas por aqueles que tem o felino dentro casa. Causada pelo protozoário Toxoplasma gondii, a doença não apresenta sintomas claros em 90% dos casos.

Transmitido por meio das fezes de animais infectados, o protozoário pode ser encontrado em alimentos e água contaminados, além de poder ser encontrado cistos da doença em carnes cruas e mal cozidas. No caso das gestantes, a contaminação vai muito além. Uma vez que pode desencadear no bebê danos neurológicos, retardo mental e convulsões.

Continue a leitura desse artigo e saiba mais sobre a toxoplasmose na gestação.

Quando está Indicado o Tratamento da Toxoplasmose na Gestação?

O risco da futura mamãe passar toxoplasmose para o seu bebê (toxoplasmose congênita) existe principalmente nos casos em que a gestante tem infecção aguda durante o primeiro trimestre da gestação.

Isso ocorre porque a gestante ainda não teve tempo de criar nenhum anticorpo contra o protozoário. Assim, ele pode atravessar a placenta e infectar o bebê.

Apesar de ser conhecida popularmente como doença do gato, a incidência de toxoplasmose não foi comprovada ser maior em pessoas que têm gatos como animal de estimação.

Problemas que Podem ser Ocasionados pela Toxoplasmose Congênita:

  • Malformações;
  • Doenças oculares;
  • Doenças neurológicas;
  • Morte fetal.

Como Saber se eu Tenho a Condição e Qual a Forma de Tratamento?

Por ser uma doença assintomática, ou seja, não apresentar qualquer tipo de sintoma, a descoberta se dá com os exames durante o acompanhamento pré-natal. Em alguns casos, a mulher pode apresentar fatores inespecíficos como febre, dores de cabeça, suor excessivo, calafrios e faringite.

Quando testado positivamente, deve-se verificar diversos fatores antes de começar um tratamento. Além da doença estar ativa na mãe, é preciso identificar se o feto também foi contaminado.

Caso o feto não tenha sido infectado pelo parasita, a mãe deve fazer o uso de medicamento antibiótico até o final da gestação. Caso contrário, a mãe precisará tomar medicamentos danosos ao feto ou reivindicar ao tratamento.

Veja o que Significa cada Resultado no Teste Sorológico para Toxoplasmose:

  • IgM (+) e IgG (-) indica contato agudo com a toxoplasmose

Nesse caso, o tratamento deve ser dado à gestante, independente de ter sintomas ou não, justamente para evitar a transmissão ao feto.

  • O IgM (+) não necessariamente indica contato agudo pois em algumas pessoas ele pode levar anos até ficar negativo.
  • IgM (+) e IgG (+) indicam contato não tão recente, pois houve tempo para o IgG (indicador de contato antigo) aparecer.

Além disso, em algumas pessoas o IgM pode levar até 18 meses para ficar negativo.

Logo, o indicado neste caso é realizar o teste de Avidez de IgG para Toxoplasmose.

Interpretação do Teste de Avidez de IgG para Toxoplasmose na Gestação:

  • Se a avidez é grande, ficamos tranquilos e sabemos que o contato foi antes da gestação.
  • Mas se a avidez do IgG é baixa, está indicada a profilaxia.
  • Se a sorologia for IgM (-) e IgG (+), nem precisamos realizar o teste de avidez do IgG pois sabemos que o contato foi antigo, já que houve tempo até do IgM ficar negativo.

Nestes casos o tratamento da gestante não está indicado.

Prevenir a Toxoplasmose na Gestação?

De modo geral, a infecção tem como principal porta de entrada a via oral. Portanto, para evitar a doença, é recomendado que a gestante evite a ingestão de carnes cruas ou mal cozidas, comer vegetais e frutas lavados em água corrente e evitar o contato com fezes de gato. Neste caso, é importante:

  • Evitar o consumo de carnes cruas e lavar bem as mãos após manipular este alimento;
  • Congelar a carne por 3 dias, a 15° negativos;
  • Lavar bem frutas, legumes e verduras antes de ingeri-las;
  • Sempre manter seu gato bem alimentado para que ele não saia para caçar o que comer em ambientes externos;
  • Não deixar seu gato ter contato com a rua;
  • Lave bem as mãos após passá-las em seu felino;
  • Renove a caixa de dejetos dos gatos a cada 3 dias e a coloque ao sol com frequência;
  • Cães também podem transmitir a doença ao sujarem o pelo no solo onde haja fezes de gato;
  • Descartar corretamente o lixo doméstico a fim de controlar o aparecimento de insetos e ratos.
  • Manter os reservatórios de água bem fechados e se a água não for tratada, deve ser fervida antes do consumo.

Conheça mais sobre a toxoplasmose.

Artigo Publicado em: 28 de fevereiro de 2016 e Atualizado em: 25 de Março de 2020


Compartilhe
Dra. Keilla Freitas
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.


https://www.drakeillafreitas.com.br/quem-somos/

2 thoughts on “Toxoplasmose na Gestação: Saiba Mais

  1. Meu exame de toxoplasmose Sempre dá indeterminado,sendo o I g m 1,99 . Estou grávida de seis semanas,corro algum risco?

    1. Se você tem IgG positivo e IgM indeterminado desde antes da gestação não há risco.
      O risco é especialmente para quem nunca teve contato com o toxoplasma e o tem pela primeira vez durante a gestação.

Deixe uma resposta

Top