Você está aqui
Home > HIV/AIDS > Diarreia em Paciente com HIV

Diarreia em Paciente com HIV

Infectologista - Diarreia em Paciente com HIV
Compartilhe

Diarreia em paciente com HIV

Diarreia é a alteração da consistência das fezes ou do número de deposições (mais de 3 em um dia)

Diarreia em paciente HIV é um quadro bastante comum e pode ter muitas causas, especialmente se a imunidade estiver baixa.

Mesmo pacientes vivendo com HIV e imunidade boa podem ficar doentes por patógenos que dificilmente afetariam pessoas HIV soronegativas.

Isso ocorre porque a microbiota intestinal nos pacientes que vivem com HIV são alteradas

classificação de diarreia de acordo ao tempo de sintomas:

  • Diarreia aguda (até 14 dias)
  • Diarreia persistente ( entre 15 e 28 dias)
  • Diarreia crônica (mais de 28 dias de duração)

Causas:

Causas não infecciosas:

  • Linfoma (especialmente em paciente HIV com imunidade baixa)
  • Sarcoma de Kaposi (especialmente em paciente HIV com imunidade baixa)
  • Medicamentos (especialmente em usuários de Inibidor de protease ou integrase sem outros sintomas associados. Diarreia associada a agente nucleotídeos pode vir associado a inchaço, náusea e dor abdominal devido à toxicidade mitocondrial)
  • Alimentos (intolerância a lactose, glúten, etc)
  • Doenças auto-imunes (doença de Crohn, retocolite ulcerativa)

Causas infecciosas:

  • Bactérias
  • Vírus
  • Protozoários

Como avaliar pacientes com HIV e diarreia

  • características das fezes (consistência, cor, volume, frequência, cheiro)
  • associação com outros sintomas (náusea, vômito, dor abdominal, febre)
  • Ingestão de alimentos diferentes ou em situações não habituais
  • Exame físico
  • Exames laboratoriais
  • Avaliação do status imunológico

Epidemiologia

  • Exposição a água (piscina, ambiente marinho, represas, lagos, enchentes, ingestão de água potencialmente contaminada)
  • História de viagens
  • Exposição a animais
  • exposição sexual (intercurso anal receptivo – risco para Herpes simples (HSV), Neisseria gonorrhea, Chlamydia, ou Entamoebae)
  • Condições de predisposição (hospitalização recente, uso de antibióticos, imunossupressão)
  • Histórico médico (pancreatite crônica)

Sinais e Sintomas

Os sintomas ajudam a avaliar o local do trato gastro intestinal afetado e algumas características ajudam a identificar as causas

  • Queda da pressão arterial e aumento da frequência cardíaca pode sugerir grande perda de líquido pelas fezes
  • Lesões de pele e mucosas secas podem refletir desidratação ou perda de nutrientes que podem estar associados a problemas no Intestino delgado
  • Febre pode indicar replicação do vírus HIV ou infecções oportunistas como citomegalovirus (CMV), Mycobacterium avium complex (MAC), entre outros
  • Febre, perda de peso e hepatoesplenomegalia (aumento de fígado e baço) pode sugerir processo infiltrativo sistêmico como histoplasmose, MAC ou linfoma
  • Dor e endurecimento abdominal pode indicar abscesso abdominal, colite, pancreatite ou doença do trato biliar
  • Endurecimento perirretal pode indicar gonorreia, clamídia, linfogranuloma venéreo
  • Sangue nas fezes em paciente com imunidade baixa pode indicar doenças na mucosa como proctitite por herpes simples, proctite por CMV ou neoplasia

Diagnóstico

  • Exames das fezes
  • Exames de sangue
  • Endoscopia digestiva alta
  • Colonoscopia
  • cultura do sangue
  • exames de imagem

Tratamento

Cortar a diarreia dificilmente é uma boa medida, pois diarreias infecciosas podem complicar se usadas medicações que param o intestino.

O ideal é definir a causa pois sem o tratamento adequado além de sérias consequências à saúde, pode levar a uma importante redução da qualidade de vida.

 

Fonte:

Avalie este Artigo


Compartilhe
Dra. Keilla Freitas
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.


https://www.drakeillafreitas.com.br/quem-somos/

2 thoughts on “Diarreia em Paciente com HIV

  1. Fiz um teste rápido, disponível na unidade básica de saúde, acredito eu q terceira geração.
    O resultado foi não reagente
    Fiz o teste depois de 24 dias após possível exposição ao vírus.
    É preciso refaze-lo após 30 dias ? durante toda minha vida tive apenas 2 relações sexuais, todas elas com preservativo.
    Meu receio é que tenha havido alguma fissura causando assim uma possível contaminação.

Deixe uma resposta

Top