Você está aqui
Home > Notícias > Infecção Gastrointestinal > Como Saber se a Diarreia é de Caráter Infeccioso?

Como Saber se a Diarreia é de Caráter Infeccioso?

Causas da Diarreia Infecciosa
Compartilhe

A diarreia é uma condição comum que afeta pessoas de todas as idades, caracterizada pela alteração na consistência ou frequência das evacuações. Geralmente, não há necessidade de pânico quando ocorre, mas, algumas situações indicam necessidade de intervenção médica imediata

Identificar se a diarreia é de caráter infeccioso é crucial para determinar o que se espera do quadro em si e das medidas que devem ser adotadas para prevenir complicações. Continue a leitura deste artigo e saiba mais sobre como saber se a diarreia é de caráter infeccioso.

##A Diarreia

Embora a diarreia possa ser causada por uma variedade de fatores, como alterações na dieta, intolerâncias alimentares, uso de medicamentos e condições crônicas como até mesmo doenças auto-imunes, muitas vezes especialmente as iniciadas de forma súbita e intensa, são resultados de uma infecção no trato gastrointestinal.

A diarreia aguda tem duração de até 14 dias e geralmente tem causas infecciosas ou medicamentosas ou toxinas alimentares

Você Suspeita Estar com Alguma Infecção?

Agende Hoje mesmo uma Consulta com infectologista.

A diarreia persistente tem uma duração entre 14 e 30 dias e geralmente tem como causa as mesmas causas das diarreias crônicas em sua fase inicial

Já a diarreia crônica tem uma duração de mais de 30 dias, tem uma possibilidade maior de causas não infecciosas como doenças inflamatórias intestinais, síndromes de má absorção, intolerâncias alimentares, doenças endócrinas ou outras condições crônicas. Mas existem uma grande variedade de agentes infecciosos que podem causar diarreias mais persistentes, especialmente em pessoas com imunidade mais baixa.

A propósito, uma mesma causa de diarreia pode ter evolução mais ou menos grave em menos ou mais tempo dependendo da idade, imunidade e condições prévias da pessoa doente.

Como se Transmite diarreias infecciosas

A transmissão das diarreias infecciosas se dá através do contato do micro-organismo com a mucosa oral, isso pode ocorrer através da ingestão de alimentos ou água contaminada ou mesmo levando à boca objetos ou mãos contaminados.

##Causas da Diarreia Infecciosa

Diarreia infecciosas podem ser causadas pelos mais diferentes agentes como vírus, bactérias e parasitas.

#Vírus

Os vírus são uma das causas mais comuns de diarreia infecciosa, especialmente em crianças.

Na grande maioria das vezes, as causas virais de diarreia aguda são auto-limitadas, ou seja, não tem tratamento específico e passa sozinha. No entanto pode evoluir com complicações seríssimas se não for adequadamente manejada como eu vou explicar mais tarde.

Algumas das causas de diarreia viral:

  • Rotavírus – Principal causa de diarréia severa em crianças pequenas;
  • Norovírus – Causa surtos de gastroenterite em todas as idades, especialmente em ambientes fechados como navios de cruzeiro e escolas;
  • Adenovírus e Astrovírus – Menos comuns, mas ainda significativos em infecções pediátricas. em adultos com imunidade baixa pode causar quadros mais arrastados
  • Hepatite A – apesar de ser um vírus que ataca bastante o fígado um dos sintomas mais proeminentes dessa infecção é a diarreia, geralmente de cor bastante clara associado a uma urina bastante escura. não tem tratamento específico mas possui vacina
  • Citomegalovírus -OU CMV é um vírus bastante prevalente na população mundial e pode causar uma infinidade de quadros que na grande maioria das vezes é auto-limitado ou mesmo assintomático. em pessoas com imunidade baixa os quadros de CMV costumam ser mais graves podendo facilmente levar ao óbito se não forem adequadamente tratados. um dos quadros que pode evoluir de forma mais arrastada inclusive como forma de reativação em imunodeprimidos é a diarreia por CMV frequentemente associada a outros sintomas como dor abdominal, febre e perda de peso.

#Bactérias

Infecções bacterianas também podem ser causas comuns de diarreia. As principais bactérias que podem fazer com que uma pessoa desenvolva quadros de diarreia, são:

  • Salmonella – Adquirida por meio de alimentos contaminados, como ovos, carne e frango;
  • E. Coli – Certas cepas dessa bactéria podem produzir toxinas que ocasionam quadros graves de diarreia.
  • Shigella – uma infecção intestinal que causa diarreia sanguinolenta, febre e cólicas abdominais

#Parasitas

Existem alguns parasitas que podem causar diarreia prolongada e debilitante, sendo eles:

  • Giardia lamblia: Transmitida através da ingestão de água contaminada, é uma causa comum de diarreia prolongada;
  • Entamoeba histolytica: Causa amebíase, uma infecção que pode ser grave;
  • Cryptosporidium: Um parasita que pode causar diarreia severa, especialmente em indivíduos imunocomprometidos.

##Sintomas da Diarreia Infecciosa

Os sintomas da diarreia infecciosa podem variar de leves a graves. O principal sintoma da diarreia é a presença de fezes soltas e aquosas, que ocorrem mais de três vezes ao dia. Além disso, outros sinais podem se manifestar como por exemplo:

  • Sintomas prévios: algumas doenças infecciosas não apresentam diarreia como seu primeiro sintomas, diarreia de causa viral, por exemplo, podem frequentemente se apresentaram primeiramente como um quadro de coriza, mal estar, ou mesmo tosse e logo após evoluir com a diarreia.
  • “Dor abdominal e cólicas”: A dor abdominal é comum e pode ser intensa, dependendo da causa subjacente; Ela pode ser difusa espalhada em todo o abdome ou localizada, em peso, tipo cólica ou fincada. A dor também pode ser constante ou aparecer apenas durante a vontade de evacuar
  • ”Distensão abdominal”: indica produção aumentada de gases e geralmente está associada a dor difusa ou sensação de empanzinamento ou plenitude
  • “Incontinência fecal”: perda involuntária do controle da evacuação, em outras palavras, não conseguir segurar as fezes e acabar evacuando antes de chegar ao banheiro
  • Tenesmo retal: persistência da vontade de evacuar mesmo quando acabou de fazê-lo como se as fezes não houvesse saído totalmente.
  • Febre: Apesar de não ser específico a presença de febre sempre nos deve fazer pensar em infecção. Temperaturas elevadas sugerem antes de mais nada uma situação inflamatória, mas frequentemente indica que o sistema imune está combatendo algum patógeno;
  • Náusea e vômitos: Estes sintomas frequentemente acompanham a diarreia infecciosa, especialmente em infecções virais;
  • Sangue ou muco nas fezes: A presença de sangue ou muco nas fezes é um sinal de infecção bacteriana ou parasitária;
  • Desidratação: A perda excessiva de líquidos pode levar a desidratação, manifestando-se por sede extrema, boca seca, tontura e redução da produção de urina.

##Como Diagnosticar Diarreia Infecciosa

Para determinar se a diarreia em questão é, ou não, de caráter infeccioso, é essencial realizar uma avaliação médica que pode incluir uma análise do histórico médico do paciente levando em consideração parâmetros como os sintomas, a duração da diarreia, a presença de febre, vômitos e outros sinais de infecção, bem como histórico de viagens recentes, contato próximo com outras pessoas adoentadas e consumo de alimentos ou água de procedência duvidosa.

Após esse primeiro contato, exames laboratoriais e de sangue podem ser necessários para fechar o diagnóstico, entre eles podemos citar:

  • Coprocultura: A cultura de fezes pode identificar bactérias específicas que causam diarreia;
  • Exame Parasitológico de Fezes: Detecta a presença de parasitas ou seus ovos nas fezes;
  • Testes de Antígenos Virais: Utilizados para identificar infecções virais específicas, como rotavírus;
  • Testes Moleculares (PCR): Podem detectar DNA de patógenos específicos em uma amostra de fezes.

Em casos severos ou prolongados de diarreia, pode ser necessária uma endoscopia para visualizar diretamente o trato gastrointestinal e colher amostras para a realização de uma biópsia.

É Possível Tratar e Prevenir a Diarreia

Muitas pessoas sentem como se precisasse interromper a diarreia, por isso recorrem a medicamentos que prendem o intestino. Em caso de diarreia infecciosa, essa prática não é aconselhada pelo fato de não eliminar o agente infeccioso aumentando as chances de complicações.

Para controlar a diarreia é fundamental conhecer seu agente causador. Após estar com todos os resultados em mãos, o médico responsável pelo caso poderá indicar o uso de medicamentos antibióticos, antiparasitários ou medicação sintomática para alívio das náuseas, vómitos e dores abdominais.

A prioridade em casos de diarreia é prevenir a desidratação do paciente. Com isso, soluções de reidratação oral são geralmente recomendadas, e em casos graves, pode ser necessária reidratação intravenosa.

A prevenção da diarreia infecciosa envolve práticas de higiene adequadas, como lavar as mãos regularmente, consumir água potável, evitar alimentos crus ou mal cozidos e garantir o saneamento adequado. Em caso de dúvidas, consulte seu médico infectologista de confiança.

Mais informações sobre este assunto na Internet:

Compartilhe

Não tenha vergonha do HIV!

'Reserve a sua Consulta Hoje.

Dra. Keilla Freitas
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.


https://www.drakeillafreitas.com.br/quem-somos/

Deixe um comentário

Top