Você está aqui
Home > Infecção Viral > Gripe Ameaça Saúde das Gestantes

Gripe Ameaça Saúde das Gestantes

Infectologista - Gripe Ameaça Saúde das Gestantes
Compartilhe

Gripe Ameaça Saúde Das Gestantes. Infecções respiratórias virais são bastante prevalente, principalmente em tempos mais frios quando há maior circulação dos mais variados tipos de vírus. No entanto, infecções causadas pelo vírus tipo Influenza podem ameaçar a saúde das futuras mamães. Além disso, o adoecimento durante a gestação tem sido associado a um maior risco de morte ao nascer ou a partos prematuros.

Continue a leitura deste artigo e saiba mais sobre como a gripe pode se tornar uma grande vilã para as gestantes.

Gripe Ameaça Saúde Das Gestantes

Gripes como H1N1 Colocam as Gestantes em Risco:

O que comumente chamamos de gripe são na verdade, resfriados comuns, geralmente quadros benignos e autolimitados.

Gripe, na verdade, é uma infecção causada por vírus de tipo Influenza

Quando afetadas por uma gripe, as gestantes apresentam maior risco de desenvolver comorbidades como:

  • Insuficiência Respiratória Aguda Grave;
  • Pneumonia.

Além disso, o adoecimento durante a gestação tem sido associado a um maior risco de morte ao nascer ou a partos prematuros.

Pesquisadores na Austrália Ocidental avaliaram 58.000 nascimentos ocorridos entre Abril de 2012 e Dezembro de 2013. Foram desconsiderados outras causas de morte ao nascer, como o tabagismo materno, que poderiam alterar os resultados.

Entre as gestantes vacinadas houve uma incidência de 3 mortes ao nascer para cada 100.000 gestantes/dia.

Já entre as não vacinadas, houve uma incidência de 5 mortes ao nascer para cada 100.000 gestantes /dia.

Esses dados são significativos e embasam a orientação de vacinar todas as gestantes contra a gripe.

O que Diz o Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde publicou uma nota técnica de Nº 05/2010. Nela descreve-se a estratégia de vacinação contra o vírus Influenza A (H1N1) em gestantes.

Orientam que elas devem ser vacinadas contra a Gripe, independente da sua idade gestacional.

Reações adversas graves à vacina da gripe são bastante raras (veja mais aqui)

Quem não pode tomar a vacina da gripe:

  • Pessoas com Doença Febril Aguda;
  • Pessoas com Doença Neurológica em Atividade;
  • Pessoas com antecedentes de alergia grave a componentes do ovo, ao timerosal (Merthiolate®) ou à neomicina;

Nos casos de doença febril aguda, passada esta fase, a vacina poderá ser administrada normalmente.

O Comitê Consultivo em Práticas de Imunizações (ACIP), do Centro de Controle de Doenças (CDC), assim como o Comitê Técnico Assessor em Imunizações (CTAI) do Ministério da Saúde e a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO) recomendam a vacinação de rotina contra a influenza para todas as mulheres gestantes durante o inverno.

Durante a epidemia da influenza sazonal, pandemias anteriores e a pandemia pela influenza A (H1N1)pdm09, a gravidez colocou as mulheres saudáveis em risco aumentado, sendo as gestantes consideradas de alto risco para a morbidade e a mortalidade, reforçando a necessidade da vacinação.

As puérperas, ou seja, aquelas que acabaram de dar a luz, apresentam risco semelhante ou maior do que as gestantes, de ter complicações em decorrência da influenza.

Risco de Complicações Graves Associadas à Influenza

Mertz et al (2013)30 publicaram uma revisão sistemática e metanálise de 63.537 artigos sobre o risco de complicações graves associadas à influenza.

Eles verificaram que a presença de qualquer fator de risco/comorbidade aumentou o risco de morte por influenza sazonal em:

  • 2,77 vezes quando a infecção foi causada pela cepa A(H1N1) pdm09 (pandêmica);
  • Duas vezes, quando a doença foi causada por outros vírus A ou B.

As puérperas tiveram um risco de morte por influenza A (H1N1)pdm09 4,4 vezes maior. No Brasil, desde 2013, as puérperas, no período de até 45 dias após o parto, foram incluídas no grupo alvo de vacinação.

O Que Fazer Se Gripar

Caso você comece a se sentir doente e apresente os sintomas típicos da gripe como tosse, febre, dores pelo corpo, fadiga e dor de cabeça, entre em contato com o seu médico de confiança imediatamente. Ele analisará seu caso e definirá a melhor forma de tratamento para que seu bebê não seja afetado.

Previna-se, tome a vacina da gripe, evite contato com pessoas doentes, higienize suas mãos regularmente e siga todas as instruções passadas pelo seu médico.

Referências:

Artigo Publicado em: 13 de jun de 2016 e Atualizado em: 08 de setembro de 2020


Compartilhe
Dra. Keilla Freitas
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.


https://www.drakeillafreitas.com.br/quem-somos/

Deixe uma resposta

Top