Você está aqui
Home > HIV/AIDS > Viajando com HIV

Viajando com HIV

Infectologista - Viajando com HIV
Compartilhe

Viajando com HIV

Para a maioria das pessoas, viajar é um aspecto fundamental da vida. Seja para diversão, estudo ou trabalho.

Pessoas que vivem com HIV podem ter uma vida normal, inclusive em relação a projetos de viagem ou mudanças de país.

No entanto, é importante averiguar se o país de destino possui alguma restrição para entrada de pessoas vivendo com HIV. Outro detalhe que deve-se levar em conta é sobre a entrada no país com antirretrovirais, especialmente para estadias mais longas onde se precisará levar grande quantidade de medicação.

Deixar de tomar os remédios do HIV durante a viajem não é algo aconselhável, uma vez que possibilita não apenas a evolução da doença, como o aumento da situação inflamatória generalizada causada pela circulação do vírus pelo corpo.

Direito de Ir e Vir

O direito de ir e vir é um direito básico do ser humano. Atualmente, 48 países e territórios ainda possuem alguma forma de restrição de viagens relacionadas a pessoas vivendo com HIV.

Os Estados Unidos removeram as restrições de entrada para pessoas vivendo com HIV desde 2010.

Categorias de Restrição

  • Países sem restrição
  • Países com barreiras de entrada
  • Países com pequenos termos de restrição
  • Países com grandes termos de restrição
  • Países sem restrições bem definidas
  • Países sem informação
  • Países que deportam pessoas com HIV
Viajando com HIV
UNAIDS – 2019

Viajando com HIV – Dicas Importantes

  • Sempre carregue sua medicação em bagagem de mão (bagagens despachadas podem ser atrasadas ou perdidas);
  • Leve sempre alguns dias de medicação extra, para o caso de algum imprevisto que atrase a data de regresso;
  • Leve a receita médica em inglês com você. A prescrição não precisa mencionar o HIV;
  • Leve o seu medicamento na embalagem original, preferencialmente lacrado e rotulado com o seu nome;
  • Não divulgue o seu diagnóstico de HIV desnecessariamente para outros viajantes, funcionários de alfândega ou de imigração.

Seguro de Viagem

O seguro de viagem é algo indicado para qualquer pessoa em qualquer viagem, especialmente ao exterior. Sua importância aumenta de acordo com o destino e objetivo da viagem.

Mas para pessoas vivendo com HIV que permanecerão por longos períodos ou que possuem uma situação frágil de saúde, isso é anda mais importante. Os planos mais básicos cobrem:

  • Despesas médicas, hospitalares e odontológicas;
  • Regresso sanitário (quando o passageiro não é capaz de retornar em voo regular por motivos de acidente ou outro);
  • Translado médico;
  • Translado do corpo em caso de morte;
  • Invalidez permanente total ou parcial por acidente em viagem.

Viagens de Longos Períodos

Uma pessoa de sua confiança pode pegar os remédios em seu nome na farmácia que você tem registro e enviá-los por transportadoras internacionais. Nesse caso, é interessante verificar regulamentos aduaneiros específicos no país em que você estará.

Informe-se sobre a existência de clinicas locais especializadas em HIV ou entre em contato com grupos de apoio a pessoas vivendo com HIV.

 

Fonte:


Compartilhe
Dra. Keilla Freitas
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.


https://www.drakeillafreitas.com.br/quem-somos/

78 thoughts on “Viajando com HIV

  1. Ola Dra, Faço usso de Dolutegravir + tenofovir + Lamivudina. Pretendo ir para Orlando Florida (EUA) estudar por 1 ano. Eu consigo dispensação no SUS, da medicação para esse período ?
    Caso eu estenda o período por mais 1 ano por exemplo, consigo comprar esses medicamentos por lá? Desde já agradeço pela ajuda.

    1. A principio você consegue medicação para 6 meses sem maiores esforços, apenas mostrando passagem de viagem e relatórios. Para mais tempo é mais complicado. Se você tiver alguém de sua confiança aqui, essa pessoa pode pegar a medicação para você e te enviar por empresas internacionais de entrega.
      Com relação a pegar a medicação lá. sugiro se informar melhor melhor na embaixada.

  2. olá, pretendo fazer faculdade em Buenos Aires e não consigo achar informações sobre o tratamento com o uso de antirretrovirais para brasileiros lá, eu consigo os medicamentos gratuitos assim como aqui no brasil? obrigado

    1. Para saber uma informação confiável, sugiro perguntar no próprio consulado. neste artigo há um site que fala sobre viagens para vários locais do mundo e pode te ajudar em suas dúvidas também.

  3. Boa tarde! Pretendo morar na Itália definitivamente. A medicação lá é de fácil acesso e gratuita ?!

    Obrigado!🙏🏼

  4. Ola doutora sou brasileiro. E sou soropositivo e pretendo me mudar para europa mais preciso para valencia como faço para dar continuidade no meu tratamento de hiv

  5. Olá Doutora, tudo bem? Primeiramente parabenizar seu artigo, segundo , queria saber se é possível , eu residir fora do Brasil e conseguir de alguma forma os remédios de forma gratuita, seja por envio de uma pessoa de confiança ou de qualquer outra forma. Agradeço .

  6. Ola, então eu estou pretendendo morar nos EUA, na Flórida. Eu posso comprar medicamentos por lá? Ou tem uma ONG que possa me ajudar com isso.

  7. Boa noite estou de mudança para os EUA .para Miami . Alguém aqui que possa me orientar se consigo comprar os medicamentos por lá ou se consigo retirar em alguma ong ?

  8. Boa tarde Dra. Keilla!
    Sou tripulante e gostaria de saber se há algum problema em passar os medicamentos com frequência pelas maquinas de raio-x de inspeção dos aeroportos. Faço uso do FUMARATO DE TENOFOVIR DESOPROXILA + LAMIVUDINA e DULOTEGRAVIR.
    Mandei essa pergunta aos laboratórios mas não retornaram com a resposta.
    Grato pela sua atenção!

  9. Dra Keila, pretendo morar por um ano na Irlanda e gostaria de saber se posso retirar minha medicação anti retroviral diretamente lá. Tenho cidadania européia. Isso facilita as coisas? Obrigado!

    1. Bom dia. O que você não deve fazer é interromper o tratamento, mas você precisa pesquisar sobre a política do país com relação ao assunto. Nesse artigo, tem um site que fala sobre esses problemas em varias países do mundo e acho que você pode inclusive tentar trocar alguma experiencia por lá.

      Outra opção é tentar saber mais detalhes sobre isso no consulado, ou diretamente com algum conhecido que já viva lá e seja de sua confiança.

  10. Olá tudo bem?

    Obrigado pelo post, muito interessante!!
    Sou soropositivo e estou com uma dúvida. Estou em processo seletivo para trabalhar em navio ( contrato de 9 meses, viajando pelo mundo) a minha condição de saúde me permite para tal… porém, meu stress nesse momento é como vou conseguir a medicação para 9 meses, sendo que minha data de embarque saíra com apenas 1 mês de antecedência à viagem. Você teve alguma experiência que queira compartilhar comigo?

    Obrigado!!

Deixe uma resposta

Top