Você está aqui
Home > Vídeos > Infecções urinarias > Infecção Urinária ou IST – Como Saber a Diferença

Infecção Urinária ou IST – Como Saber a Diferença

Infectologista - Infecção Urinária ou IST – Como Saber a Diferença
Compartilhe

Infecção Urinária ou IST – Como Saber a Diferença – Queimação, dor pélvica e ao urinar, parecem ser sintomas comuns de uma infecção do trato urinário, certo? No entanto, há outras condições que podem levar uma pessoa a se queixar dos mesmos sintomas. ITUs e ISTs são dois tipos de infecções relativamente comuns. Por afetarem regiões próximas como os órgãos genitais, a bexiga e o trato urinário, algumas vezes pode ser difícil distingui-las.

Continue a leitura deste artigo e saiba mais sobre as diferenças entre uma infecção urinária e uma infecção sexualmente transmissível.

O Que É Uma Infecção do Trato Urinário?

Conhecida também como ITU, a infecção do trato urinário é causada por bactérias que estão naturalmente instaladas em todas as quatro partes do trato urinário, sendo elas a bexiga, uretra, ureteres e rins.

É mais comum que essa infecção se aloje na bexiga, o que pode ser chamado de Cistite. Apesar de ser uma condição leve, quando não tratada pode alcançar proporções graves, uma vez que pode se espalhar para todas as outras áreas e ocasionar danos permanentes aos rins por exemplo.

O Que É uma Infecção Sexualmente Transmissível?

Como o próprio nome já diz, uma IST é uma infecção adquirida, na grande maioria das vezes, por meio do ato sexual sem proteção. As infecções sexuais são mais comuns do que se imagina.

Entre os exemplos clássicos de ISTs podemos citar o HIV, clamídia, sífilis, gonorreia, herpes genitais e muitos outros. Geralmente, os sintomas iniciais dessas condições se apresentam de modo semelhante aos de uma infecção do trata urinário.

Como Saber a Diferença Entre uma ITU e uma IST?

Ao contrário do que ocorre nas ISTs, a pessoa não precisa de contato com outra pessoa para se infectar. Pois as próprias bactérias existentes na pessoa como as bactérias do intestino podem causar a infecção. No entanto, existem certas situações onde o contato sexual pode acabar contribuindo para o aumento do risco de contrair uma ITU, como não urinar após o ato sexual.

Como já mencionado acima, as duas condições podem apresentar sintomas semelhantes, e é justamente esse motivo que causa dúvida de qual diagnóstico é o correto para o quadro. É comum que pacientes em ambas as infecções se queixem de micção dolorosa ou frequente, coloração anormal da urina assim como o forte odor.

Outros sintomas podem ajudar a diferenciar uma IST de uma ITU. Alguns dos fatores que podem estar presentes em uma infecção sexualmente transmissível e que não estão associados a infecção do trato urinário são:

  • Dores de garganta;
  • Sangramentos ou manchas entre os ciclos menstruais;
  • Erupções genitais, bolhas ou feridas na pele;
  • Náuseas;
  • Dor durante a relação sexual;
  • Febre.

Como Diferenciar uma Condição da Outra? – Infecção Urinária ou IST

Se você estiver apresentando os sintomas comuns das duas doenças, a forma mais eficaz de saber qual o diagnóstico correto no seu caso é por meio dos testes que identificam os agentes responsáveis pela infecção.

Com o teste em mãos e de acordo com os resultados, seu médico de confiança poderá lhe recomendar o tratamento necessário para sua condição.

Tratamentos Disponíveis Para Cada Caso – Infecção Urinária ou IST

Em nenhum dos casos a infecção desaparecerá sozinha. Após diagnosticado, você entrará em regime de tratamento.

Fontes.

NHS

 


Compartilhe
Dra. Keilla Freitas
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.


https://www.drakeillafreitas.com.br/quem-somos/

Deixe uma resposta

Top