Você está aqui
Home > Infecção Viral > Epidemia de Sarampo em Nova York

Epidemia de Sarampo em Nova York

Infectologista - Epidemia de Sarampo em Nova York
Compartilhe

A cidade de Nova York declarou, em fevereiro deste ano, emergência pública devido à epidemia de sarampo que atacou a população, especialmente na região do Brooklyn.

Este foi o maior surto do vírus já registrado na cidade, somando 285 casos confirmados desde outubro de 2018.

Destes, 246 foram detectados em pessoas com menos de 18 anos, enquanto apenas 39 casos registrados afetava adultos.

Vale ressaltar que o vírus já estava praticamente erradicado em Nova York, sem novos casos registrados desde 1991.

Epidemia de Sarampo em Nova York

Como parte da medida de controle da epidemia, a prefeitura de Nova York exigiu que os moradores não vacinados do bairro de Williamsburg – onde se concentra a população mais afetada – recebessem a vacina para se imunizar contra o sarampo e ajudar a minimizar o surto.

Aqueles que recusassem a imunização seriam obrigados a pagar multas de até US$ 1 mil. De acordo com autoridades de saúde, essa é a primeira vez na história que a cidade de Nova York impõe vacinas obrigatórias.

A vacina tríplice viral (contra sarampo, caxumba e rubéola) tornou-se obrigatória.

Membros do Departamento de Saúde e Saúde Mental revisaram as cartelas de todas as pessoas que estiveram em contato com pacientes infectados pelo vírus.

Bill de Blasio, o prefeito de Nova York, manifestou-se durante uma coletiva de imprensa sobre o surto e a importância da vacinação: “não há dúvida de que as vacinas são seguras, efetivas e salvam vidas.

Peço a todo mundo, especialmente aos que estão nas áreas afetadas, que se imunizem para proteger suas crianças, famílias e comunidades”.

O prefeito afirmou ainda que “esse é o epicentro de um surto de sarampo que é muito, muito preocupante, e que precisa ser enfrentado imediatamente”.

Reincidência do Sarampo em Nova York

Segundo dados dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, este surto é resultado de um ressurgimento mais amplo do vírus no país, que contabiliza 465 casos registrados em 19 Estados até o momento.

Especialistas em doenças infecciosas afirmam que esse reaparecimento do vírus ocorreu devido ao declínio de vacinação observado nos últimos anos.

O sarampo havia sido eliminado nos Estados Unidos, até então, devido à ampla vacinação da época.

Segundo o Departamento de Saúde da cidade de Nova York, a epidemia de sarampo foi associada à presença de uma criança não vacinada que contraiu a doença durante uma visita à Israel – que também está em meio a um surto de sarampo.

Como mais uma tentativa de controlar a epidemia na região, o condado de Rockland, no norte do estado de Nova York, proibiu pessoas não vacinadas de frequentar espaços públicos, como parques infantis.

Embora não tenha sido registrado nenhum óbito na cidade, 21 pessoas foram hospitalizadas e cinco estiveram em UTIs (Unidades de Tratamento Intensivo).

Agora que você já foi alertado sobre a reincidência do vírus na cidade norte-americana e a importância da vacinação contra o sarampo, não deixe de se prevenir contra a doença.

A única maneira de imunizar-se contra o vírus é recebendo as duas doses da vacina tríplice viral.

Importância da Vacina na Prevenção Contra o Sarampo

O esquema vigente do Ministério de Saúde voltado às crianças é:

  • Uma dose da tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) no primeiro ano de vida
  • Uma dose da quádrupla viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela) ao 1 ano e 3 meses de idade.

Para as demais pessoas, a recomendação é de duas doses da vacina contra o sarampo após os primeiros 12 meses de vida.

Essa é a única maneira de estar protegido contra a doença. Se você não tem certeza que recebeu as duas doses da vacina quando criança, pode receber agora; não há risco.

Os possíveis efeitos colaterais afetam menos de 0,1% dos vacinados e incluem vermelhidão, ardência, dor e formação de nódulo no local de aplicação da vacina. Entre 5-15% dos vacinados apresentam febre alta de 5 a 12 dias após a aplicação.

A contraindicação da vacina se dá para pessoas com suspeitas de sarampo, crianças com menos de 6 meses de idade, imunocomprometidos e gestantes – estas só devem receber a vacina após o parto.

Surtos de Sarampo no Brasil

Atualmente, existem surtos de sarampo em alguns estados brasileiros: Amazonas, Roraima e Rio Grande do Sul, que contabilizam 506 casos confirmados, além dos mais de 1 mil em investigação.

Há suspeitas também no Rio de Janeiro. Vale ressaltar que, independente do estado brasileiro em que você resida, você deve imunizar-se contra o sarampo.

Transmissão do Sarampo

A transmissão do sarampo ocorre por meio do contato direto com pessoas infectadas – quando o indivíduo tosse, fala ou espirra perto de outro com imunidade mais baixa ou não vacinado.

Além dos sintomas típicos, a doença pode provocar complicações respiratórias graves e até óbito. Isso reforça a importância da prevenção.

Uma vez infectado, o paciente recebe imunidade permanente – ou seja, quem já contraiu a doença não poderá contraí-la novamente.

Vacine-se!

A vacinação oferece cerca de 97% de proteção contra o sarampo; portanto, não negligencie sua importância. Se você ainda não se vacinou, não perca mais tempo: confira as contraindicações e, caso você não se enquadre em nenhum dos perfis citados, previna-se imediatamente contra o sarampo!

Epidemia de Sarampo em Nova York
5 (100%) 11 voto[s]


Compartilhe
Dra. Keilla Freitas
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.


https://www.drakeillafreitas.com.br/quem-somos/

2 thoughts on “Epidemia de Sarampo em Nova York

  1. Fiz exame anti hiv geração 4, 30 dias após a relação duvidosa, o mesmo deu não reagente, porém índice de 0,26…
    No caso: 0,0 até 0,90 = Não reagente
    0,90 até 5,0 = Duvidoso
    5,0 + = Reagente
    Devo me preocupar com esses 0,26? O que pode ser eles? Posso estar infectado?

    Obrigado.

Deixe uma resposta

Top