Você está aqui
Home > HIV/AIDS > Vacina Italiana contra HIV com Resultados Promissores

Vacina Italiana contra HIV com Resultados Promissores

Infectologista - Vacina Italiana contra HIV com Resultados Promissores
Compartilhe

Vacina terapêutica italiana contra HIV reduz 90% do vírus latente

“Tat” é uma proteína chave na virulência do vírus HIV.

Ela tem sido visada na formação de uma vacina terapêutica. Ou seja, uma vacina para quem vive com o vírus HIV.

Vacinas terapêutica são medicações usadas no tratamento para melhor controle de doença e não como prevenção.

Um estudo clínico de fase II feito na Itália e África do Sul indica que a vacina “Tat” promove o aumento dos linfócitos CD4.

Com isso, ocorre o equilíbrio da imunidade reduzindo o reservatório do vírus HIV de pessoas em tratamento com antirretrovirais

O estudo é de fase 2, objetivo nessa fase é definir segurança do medicamento e definição de dose adequada.

Como foi feito o estudo

Vacinou-se um grupo de voluntários com a vacina Tat e foi realizado um seguimento.

Os participantes tiveram uma média de 120 semanas de seguimento.

A meta primária avaliada foi a persistência de anticorpos vacinais em quem recebeu pelo menos 3 doses da vacina.

A meta secundária avaliada foi a presença de biomarcadores imunológicos e de doença virológica que eram medidos a cada 3 ou 6 meses.

Os testes foram feitos em 92 voluntários (59% do total de voluntários avaliados ao final do ensaio) em

8 instituições de saúde Italianas.

 

Fonte:


Compartilhe
Dra. Keilla Freitas
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.


https://www.drakeillafreitas.com.br/quem-somos/

Deixe uma resposta

Top