Você está aqui
Home > Febre > Sarampo na Gravidez – Conheça os Riscos

Sarampo na Gravidez – Conheça os Riscos

Infectologista - Sarampo na Gravidez – Conheça os Riscos
Compartilhe

A gravidez pode ser um dos momentos mais esperados por uma mulher, e quando ocorre é normal que venha junto com um combo de sentimentos, inseguranças e medos. A partir deste momento, a mulher sabe que sua saúde precisa de mais cuidados. Por isso é tão importante se atentar a diversos aspectos, como a carteira de vacinação.
O sarampo pode ser perigoso para pessoas de todas as idades, e apesar de ser raro em mulheres grávidas, ainda é considerado uma ameaça para este grupo. Continue a leitura deste artigo e saiba mais sobre a relação e os perigos do sarampo na gestação.

Sarampo na Gravidez

Sarampo – O Que é?

O sarampo é uma doença viral muito grave, de extremo contágio, responsável por atingir principalmente crianças com menos de 5 anos de idade, mas que também pode afetar adultos não vacinados. O vírus é passado facilmente de pessoa para pessoa por meio de secreções, ou seja, apenas um espirro ou um beijo pode ser responsável pela transmissão.

Sarampo na Gravidez – Quais os Riscos?

Apesar de ser raro, algumas mulheres grávidas e não vacinadas contra o sarampo podem acabar sendo infectadas pelo vírus causador da doença devido a queda natural da imunidade nesse período. Além disso, estão mais suscetíveis a sofrer com as complicações causadas pela evolução da doença, sendo elas:

  • Aumento do risco de aborto espontâneo;
  • Acometimento do sistema nervoso central;
  • Infecções secundárias, como pneumonias e obstruções das vias aéreas;
  • Parto prematuro.

Sarampo na Gravidez – Como Saber se Tenho Risco de ser Contaminada?

Se você não lembra se foi ou não imunizada contra o Sarampo, é imprescindível consultar sua carteira de vacinação, uma vez que as vacinas anti-sarampo e a tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba) não são recomendadas para gestantes por se tratar de um antivírus produzido com o vírus ainda vivo, o que pode causar contaminação ou complicações na gestação. É importante garantir a vacinação na pré-gravidez.

Caso você não tenha certeza das doses tomadas peça ao seu médico para realizar exames que avaliam a presença de anticorpos específicos.

Se estiver grávida e for suscetível a estas infecções, o ideal é se manter longe de qualquer pessoa que esteja apresentando quaisquer sintomas de sarampo. Evite também o contato com estrangeiros, especialmente em momentos de surtos localizados, para evitar assim a contaminação pelo sarampo na gravidez.

Sarampo – Sintomas

Um dos sintomas mais conhecidos do sarampo são manchas avermelhadas que não geram coceira, ao contrário de outras doenças como a dengue ou rubéola.

Febre alta, tosse seca e persistente, dores musculares acompanhadas de cansaço excessivo, dor de garganta, lesões dolorosas na boca e conjuntivite podem ser fortes indícios de sarampo. Neste caso, o ideal é buscar ajuda médica especializada o mais rápido possível.

Sarampo na Gravidez – Tratamento

O tratamento do sarampo na gravidez tem como objetivo controlar os sintomas, proporcionando assim um maior bem estar para dar continuidade a uma gestação tranquila. Todo o processo deve ser indicado e acompanhado por médicos de confiança. Caso haja a presença de febres, é recomendado providenciar banhos de água fria e compressas com toalhas molhadas na testa, também é preferível não frequentar lugares muito quentes.

A aplicação de um soro que contém anticorpos específicos contra os antígenos dos vírus também é bem vinda nesses casos, pois promove o combate a doença, diminuindo seus sintomas sem representar riscos para a mulher ou bebê. Para mais informações consulte seu médico.

Sarampo na Gravidez – Conheça os Riscos
5 (100%) 1 voto[s]


Compartilhe
Dra. Keilla Freitas
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.


https://www.drakeillafreitas.com.br/quem-somos/

Deixe uma resposta

Top