Você está aqui
Home > Infecção Bacteriana > Meningite Bacteriana: O que Você Deve Saber

Meningite Bacteriana: O que Você Deve Saber

Infectologista - Meningite Bacteriana: O que Você Deve Saber
Compartilhe

Meningite Bacteriana: O que Você Deve Saber!

Meninge é uma membrana que reveste o cérebro e a medula espinhal (que fica dentro da coluna).

Meningite é a inflamação da meninge. Ela pode ter várias causas: fungos, vírus, bactérias.

As bacterianas, em especial, podem ser muito perigosas e são mais frequentes na população geral.

Todos os anos ocorrem cerca de 1 milhão e 200 mil casos de meningite bacteriana em todo o mundo.

Sintomas da Meningite Bacteriana:

Os sintomas Meningite Bacteriana aparecem muito rápido, em geral, com menos de 24 horas depois da infecção.

Mas o período de incubação (tempo entre o contato com a bactéria e o início dos sintomas da doença) pode variar de 1 hora a 14 dias.

  • Febre (geralmente alta, > 38ºC), alguma pessoas podem ter hipotermia
  • Dor de Cabeça (intensa e afeta toda a cabeça)
  • Pescoço Rígido
  • Náusea ou Vômito (o vômito em especial pode ser em jato)
  • Rash (manchas na pele)

As manchas de pele não estão presentes em todos os casos e podem ser mais comuns dependendo da causa.

Exemplos: manchas vermelhas, manchas roxas, forma maculopapular, petéquias (manchas que não somem quando pressionadas)

Meningite Bacteriana
 Rash da meningite (note que a lesão não desaparece ao ser pressionada contra um vidro)
  • Artrite (inflamação das juntas – mais comum na meningite meningocócica)
  • Confusão mental ou sonolência extrema
  • Fotofobia (incômodo dos olhos pela luz)
  • Convulsões
  • Desmaios
  • Mudança brusca de comportamento
  • Ataxia (caminhada parecido ao de um bêbado)

  • Alterações neurológicas focais (parecidas ao derrame)

Diagnóstico:

  • Exames de sangue
  • Tomografia do crânio
  • Análise do liquor (líquido que passa no meio da coluna)

Complicações:

Comprometimento neurológico permanente como:

  • Paralisia cerebral
  • Convulsões
  • Diminuição da capacidade intelectual
  • Deficiências focais (similar a sequelas de derrame)
  • Inchaço constante dentro da cabeça (edema intracerebral)
  • Alterações da circulação cerebral
  • Hidrocefalia

O que causa meningite bacteriana?

As bactérias mais comuns são os Streptococcus pneumoniae, que também podem causar pneumonia e a Neisseria meningitidis (ou meningococo)

Algumas condições, como idade ou outros fatores de risco, podem facilitar o aparecimento da doença por outros tipos de bactérias.

Muitas vezes estas bactérias podem viver em nossa própria pele, mas por alguma razão acabam atingindo o sistema nervoso central.

veja a tabela abaixo:

Meningite Bacteriana: O que Você Deve Saber

Como ocorre a transmissão?

Algumas bactérias, como o meningococo, podem ser transmitidas diretamente através de gotículas.

As gotículas respiratórias são partículas muito pequeninas que medem menos que 5 μm (não podem ser vistas a olho nu) e saem do corpo do doente através de tosse, espirro ou fala.

As gotículas entram no corpo penetrando nas mucosas de olhos, nariz ou boca.

Saiba mais sobre o meningococo aqui.

Outras bactérias que já vivemos em contato, mas em geral, causam doenças apenas em quem têm fatores de risco para tal.

Fatores de Risco para Desenvolvimento de Meningite Bacteriana:

  • Idosos
  • Pessoas que foram submetidas a cirurgias neurológicas
  • Historia prévia de acidentes com traumas na cabeça
  • Imunodepressão
  • Infecção recente (principalmente respiratória ou nos ouvidos)
  • Uso de Drogas injetáveis

Prevenção

Algumas bactérias que causam meningites graves e são preveníveis por vacinas são:

  • Meningococcus
  • Pneumococcus
  • Haemophilus influenzae tipo b
Portador Assintomático

Muitas pessoas podem ser colonizadas pelas bactérias, vivendo em nariz e garganta sem desenvolver nenhum sintoma.

Mas estas pessoas podem transmitir a outras que desenvolverão problemas

Ou seja, não são apenas pessoas doentes que podem infectar outras.

Medidas de prevenção das meningites bacterianas:
  • Vacinando todas as crianças na idade certa e adultos que possuem indicação
  • Lavar as mãos antes de comer
  • Não compartilhar copos e talheres

Quando existe suspeita ou confirmação de meningite por meningocócica, o médico infectologista deve avaliar as pessoas que tiveram contato com o doente e verificar a necessidade de tomar antibióticos para prevenir a doença caso esteja indicado para esta situação.

O que é meningite?

A meningite é um processo inflamatório das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Pode ser causada por diversos agentes infecciosos, ou também por processos não infecciosos como, por exemplo, medicamentos e neoplasias.

Entre os agentes infecciosos, as meningites bacterianas e virais são as mais importantes do ponto de vista da saúde pública e clinico, devido a sua magnitude, capacidade de causar surtos e, no caso da meningite bacteriana, a gravidade.

Aqui em nosso pais, no Brasil, a meningite é considerada uma doença endêmica, deste modo, casos da doença são esperados ao longo de todo o ano, com a ocorrência de surtos e epidemias ocasionais. A ocorrência das meningites bacterianas é mais comum no outono-inverno, e das virais na primavera-verão.

Crianças, jovens e adolescentes precisam de vacinar contra meningite!

Todas as faixas etárias podem ser acometidas pela doença, porém o maior risco de adoecimento está entre as crianças menores de 05 (cinco) anos, especialmente as menores de 01 (um) ano de idade. Na doença causada pela bactéria Neisseria meningitidis, além das crianças, os adolescentes e adultos jovens têm o risco de adoecimento aumentado em surtos.

Na meningite pneumocócica (causada pelo Streptococcus pneumoniae) idosos e indivíduos portadores de quadros crônicos ou de doenças imunossupressoras também apresentam maior risco de adoecimento. O sexo masculino também é o mais acometido pela doença.

Meningite tem Cura?

Sim, a maioria dos casos evoluem para cura. No entanto, é necessário assitencia médica na vigência dos sintomas.

A depender do agente etiológico causador da doença, em alguns casos, podem ocorrer sequelas como: surdez, crises de epilepsia, danos cerebrais, amputação de membros, dificuldades de aprendizagem além de problemas comportamentais.

Meningite Mata?

Sim. Principalmente as causadas por bactérias, como por exemplo, a meningite pneumocócica e a meningite meningocócica, que pode apresentar-se associada à meningococcemia. Nesse último caso, a doença pode evoluir de forma fulminante, levando ao óbito em poucas horas.

Nas meningites causadas por vírus, geralmente a evolução é mais branda e o prognóstico da doença é menos grave que na meningite bacteriana.

Sorosgrupos da Meningite

O termo “sorogrupo” diz respeito a classificação da bactéria Neisseria meningitidis (também chamada de meningococo) que causa a doença meningocócica.

A doença meningocócica (DM) caracteriza-se por uma ou mais síndromes clínicas, sendo a meningite meningocócica a mais frequente delas e a meningococcemia a forma mais grave.

São, ao todo, 12 diferentes sorogrupos: A, B, C, E, H, I, K, L, W, X, Y e Z. No Brasil, os principais sorogrupos circulantes (que causam a maioria dos casos de DM) são o B, C, W e Y.

Estes sorogrupos já foram identificados em praticamente todas as Unidades Federadas, em maior ou menor frequência. Entretanto, o sorogrupo C permanece sendo o principal sorogrupo causador de doença meningocócica no Brasil, responsável por 60% dos casos da doença meningocócica.

No Brasil, a doença meningocócica é endêmica, com ocorrência de surtos esporádicos. Embora os casos de DM sejam esperados ao longo de todo o ano, a maioria deles ocorre nas estações mais frias, no outono-inverno.

Acomete indivíduos de todas as faixas etárias, porém aproximadamente 30% dos casos notificados ocorrem em crianças menores de 5 anos de idade. Os maiores coeficientes de incidência da doença são observados em lactentes, no primeiro ano de vida. Nos surtos e epidemias, observam-se mudanças nas faixas etárias afetadas, com aumento de casos entre adolescentes e adultos jovens.

O tratamento para a doença meningocócica (independente do sorogrupo) é hospitalar, por meio de antibioticoterapia, que deve ser instituída o mais precocemente possível. O uso de antibiótico deve ser associado a outros tipos de tratamento de suporte, como reposição de líquidos e cuidadosa assistência.

A proteção contra o meningococo é conferida por vacinas que são “sorogrupo específicas”. Existem vacinas contra os principais sorogrupos que causam a doença meningocócica, a saber: A, B, C, W, Y.

A vacina conjugada contra o meningococo do sorogrupo C (MenC) está disponível no Calendário de Vacinação do Programa Nacional de Imunização (PNI/MS) nas seguintes circunstancias:

1) imunização primária: duas doses, aos 3 e 5 meses de vida, e o reforço, preferencialmente, aos 12 meses de idade, podendo ser administrado até os 4 anos de idade;

2) adolescentes entre 11 e 14 anos;

3) pessoas em condições especiais de saúde atendidas nos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIE/PNI/MS).

O que Causa a Meningite?

A meningite de origem infecciosa pode ser causada por diferentes agentes etiológicos, como as bactérias, os vírus, os fungos e os parasitas, conforme a seguir.

Existem muitos tipos de bactérias que podem causar meningite. As principais causas no Brasil são:

  • Neisseria meningitidis (meningococo)
  • Streptococcus pneumoniae (pneumococo)
  • Haemophilus influenzae
  • Mycobacterium tuberculosis
  • Streptococcus sp., especialmente os do Grupo B
  • Listeria monocytogenes
  • Escherichia coli
  • Treponema pallidum
  • Entre outras

As causas mais comuns de meningite bacteriana variam de acordo com o grupo etário:

Recém-nascidos: Streptococcus do grupo B, Streptococcus pneumoniae, Listeria monocytogenes, Escherichia coli

Bebes e crianças: Streptococcus pneumoniae, Neisseria meningitidis, Haemophilus influenzae, Streptococcus do grupo B

Adolescentes e adultos jovens: Neisseria meningitidis, Streptococcus pneumoniae

Idosos: Streptococcus pneumoniae, Neisseria meningitidis, Haemophilus influenzae, Streptococcus do grupo B, Listeria monocytogenes

Fonte:


Compartilhe
Dra. Keilla Freitas
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.


https://www.drakeillafreitas.com.br/quem-somos/

36 thoughts on “Meningite Bacteriana: O que Você Deve Saber

  1. Olá ! minha mae faleceu há 20 dias de meningite bacteriana a senhora acha nescessario tomar remedio e vacina . Tenho 40 anos . obrigado

    1. Uma pessoa morta não pode contrair nenhuma doença, pois já está morta.
      Agora uma pessoa morta pode transmitir algumas doenças, mesmo depois de morta, como o vírus Ebola, mas isso não ocorre na meningite bacteriana.

  2. Meu filho teve uma vermelhidão na perna e alguns furunculos e a médica indicou tratamento homeopático para staphylococus. Se não tratasse, poderia virar uma meningite bacteriana ?

  3. Olá doutora minha filha tem 1 mes e 7 dias ela e considerada recém nascida ela contraiu a menigite bacteriana iniciou o tratamento com antibióticos no segundo dia dos sintomas ela está mamando bem não tem manchas na pele hoje e o 4 dia de tratamento e não tem mais febre mas estou com uma dúvida e provável que ela tenha sequelas ?

    1. Bom dia. Não consigo dar um parecer sem examiná-la pessoalmente. Sugiro que procure um médico infectologista de sua confiança, para que possa analisá-la e solicitar os exames necessários.

  4. Olá bom dia. Meu marido passou mal e foi diagnosticado com hidrocefalia e uma lesão. Iria fazer a biopsia quarta feira. Porém a 10 dias colocou a válvula até a barriga par ao dreno da água. Apos a valvula no dia seguinte comecou umas.mancjar no tronco ate a barriga somente A 3 dias começou apresentar febre acima de 38, fizeram 3 liquor
    Todos alterados.o último o médico disse Q foi o mais preocupante e iria tratar como meningite. Mas não disse mais nada. Seria a bacteriana certo?deveria

  5. Deveria isolamento?ele pode ter pego na corugia?
    Antes DDa colocação da válvula ele ficava em pe,andava como bêbado. Tinha febre, visão dupla e não sentia o braço. Já deviam ter tratado como.meningite?obrogada

    1. Bom dia. Não condigo dar um parecer sem examiná-lo. Sugiro que procure um médico infectologista de sua confiança, para que possa ser avaliado pessoalmente e solicitar os exames cabíveis para o caso.

  6. Boa tarde Dra. Minha irmã fez uma cirurgia de tumor no cérebro. Depois de uma semana sentiu se fortes dores de cabeça. Voltando ao hospital detectaram meningite bacteriana. Se encontra hospitalizada a 1 mês e ainda não conseguiram combater essa bactéria. Por favor me ajude. DraKeila.

  7. uma amiguinha do meu filho foi pro hospital e dois dias antes ele estava na casa dela brincando. e disse a irmã que o medico falou que era meningite bacteriana . mais ela só ficou 24 horas nop hospital, pode ser mesmo que ela estivesse com meningite bacteriana? falou que ficou tomando antibiotico.

    1. Bom dia. Não consigo emitir um parecer sem examiná-la, juntamente com o histórico de exames. Caso haja alguma dúvida quanto ao diagnóstico, sugiro que a leve a um médico infectologista de confiança para que possa ser avaliada pessoalmente e seja feita a análise completa do histórico de exames.

  8. Qual a diferença dos antibióticos profiláticos de dose única e o de 12/12 por dois dias? Algum é mais eficiente que o outro?
    Depois de quanto tempo pode beijar o companheiro, ou ingerir bebida alcoólica?

    1. São esquemas diferentes, com a mesma eficácia.

      Não há tempo minimo para ingesta de bebida alcoólica e nem para contato com outras pessoas, pois se trata de uma profilaxia e não de uma pessoa com suspeita de infecção.

      Mas se for para ter um zelo a mais, como a maioria dos casos de infecção aparecem após 24 horas da exposição, esperaria no máximo, 48 horas e depois, seguir a vida normalmente.

  9. Eu passei sentir muita dor de cabeça doia tudo pescoço espinhaço me deu febre sem dizer que antes disso estava com afta..e por último. Pareceu um bolinha como se algum bixo tinha picado a cima do meu ceio alguns na bariga e naa costa…fui no médico fiz exames d sangue nao deu nada o que acha ?? Dois dia indo e voltado com muita dor na cabeça me passarão outro medicamento melhorou

  10. Ola minha amiga trabalha com uma moça que foi diagnosticada com meningite bacteriana, elas tem um contato muito proximo, no mesmo dia ela viu minha filha beijou abraçou fez de tudo, tem algum risco para minha filha? Depois de quanto tempo que foi exposto a bacteria que ocorre os sintomas? Obriģada

  11. Boa noite, dra keila. No carnaval, ha 130 dias, tive relação com uma mulher, que se limitou a beijos de lingua. Tenho notado desde entao uma mancha vermelha em meu peito que some em alguns dias e volta algumas semanas depois, sendo que fiz check up de DSTs e nao acusou nada. Passado todo esse tempo, pode ainda se tratar de um virus ou bacteria que cause meningite, ou ja pode ser descartado?

  12. DR. boa tarde fui ao um pronto atendimento levar minha filha pois ela estava com inflamação de garganta, no mesmo local havia uma bebe de 1 mês com suspeita de meningite. Minha filha corre algum risco de pegar a doença?

  13. Boa noite… Estou a 3 dias com dor na nuca… E vermelhidões com picada de inseto nas pernas. Não sei se tive febre, mas estou com calafrios, as vezes mtu calor e as vezes frio… Devo procurar um infectologista?

  14. Oi boa noite….meu pai começou acom febre e vômitos e dor d cabeça daí minha madrasta m ligou um dia depois e o levamos para o hospital …foi constatado meningite bacteriana mas ela ta conversando normal só tem febre e dor d cabeça, e já faz uma semana que ele está internado e hoje fizeram exames nele e ele esta com a bactéria na cabeça meu pai ainda corre rosco de vida ou de ficar com seqüelas?

  15. Boa noite Dra, eu e minha filha (9 meses) tivemos contato com uma garotinha de 5 anos em uma sexta-feira, contato de beijos eu peguei um pedaço de banana que a garotinha estava comendo e deu para minha bebê contato de aproximadamente 2 horas e meia, no domingo ela foi diagnosticada com meningite meningocócica b. Fomos em um hospital de infectologia onde não nos passaram a profilaxia, dizendo que não era considerado um contato de risco. Desde

    1. Quando existe suspeita ou confirmação de meningite por meningocócica, o médico infectologista deve avaliar as pessoas que tiveram contato com o doente e verificar a necessidade de tomar antibióticos para prevenir a doença caso esteja indicado para esta situação, que foi exatamente o que você fez.
      Você precisa verificar também se as vacinas, sua e de sua filha, estão em dia.

  16. Sobre meningite meningocócica b .A minha dúvida é, qto tempo a bactéria pode ficar incubada? Ouvi dizer que são 15 dias, até o final desse prazo, eu corro o risco de desenvolver a doença? A profilaxia protege quem teve contato com a doença de nao desenvolve-la? Ou apenas de nao transmiti-la? Qual o risco de quem teve contato com alguém doente mas não ficou infectado tomar a profilaxia?

    1. Quando existe suspeita ou confirmação de meningite por meningocócica, o médico infectologista deve avaliar as pessoas que tiveram contato com o doente e verificar a necessidade de tomar antibióticos para prevenir a doença caso esteja indicado para esta situação, que foi exatamente o que você fez.
      Você precisa verificar também se as vacinas, sua e de sua filha, estão em dia.

Deixe uma resposta

Top