Você está aqui
Home > Infecção Bacteriana > Infecção em Idosos Podem Ser Diferentes dos Observados em Adultos

Infecção em Idosos Podem Ser Diferentes dos Observados em Adultos

Infectologista - Infecção em Idosos Podem Ser Diferentes dos Observados em Adultos
Compartilhe

Sinais de Infecção em Idosos Podem Ser Diferentes dos Observados em Adultos – Quando falamos de infecções, o primeiro sinal que vem em nossa mente é a febre alta. No entanto, vários sinais diferentes podem ser percebidos de acordo com a idade do paciente. Naqueles mais novos como nos mais velhos a atenção deve ser dobrada quando falamos de enfermidades no geral, isso porque o sistema imunológico ainda não está totalmente formado ou já está danificado e frágil.

No caso dos idosos, confusão mental e delírios nem sempre podem ser associados a uma demência repentina, e sim a algum tipo de infecção. Continue a leitura deste artigo e saiba mais sobre como identificar uma infecção.

Infecção em Idosos – As Mais Comuns

A manifestação das infecções em pessoas mais velhas, decorre pelo fato desses pacientes não terem um sistema imunológico fortalecido, seja por conta da idade avançada ou pelo uso de diversos medicamentos ao longo dos anos. As principais doenças infecciosas que acometem os idosos são:

  • Pneumonia;
  • Infecção de trato urinário;
  • Infecção de Pele.

Sinais de Alerta

infeccao-em-idosos
infeccao-em-idosos

Diferente dos Adultos mais jovens, idosos tendem a apresentar sintomas completamente diferentes quando estão enfrentando uma infecção. Os principais sinais que devem ser observados atentamente e informados ao seu médico de confiança são:

  • Sonolência Excessiva;
  • Fraqueza;
  • Falha na Memória;
  • Alucinações e confusão mental;
  • Redução dos níveis de consciência;
  • Mudança comportamental;
  • Agitação e agressividade;
  • Hipoglicemia;
  • Hipotermia.

Este último sendo considerado como o ponto chave para identificar rapidamente uma infecção em idosos, uma vez que geralmente o paciente adulto com doenças infecciosas apresenta quadros febris. Já os idosos podem apresentar hipotermia, que é caracterizada pela redução da temperatura corporal para menos de 35ºC.

Diagnóstico e Prevenção

Nem sempre é fácil diagnosticar uma doença infecciosa em pacientes com mais idade. Os principais sinais de que algo está errado acabam sendo confundidos com outras condições. Por isso, é muito importante que familiares e cuidadores tenham em mente que as mudanças tanto de comportamento quanto de rotina de um idoso sempre tem uma causa mascarada. Por mais que esses sintomas acabam os confundindo, é necessário buscar ajuda médica o quanto antes a fim de não atrasar o diagnóstico e consequentemente o tratamento.

Dica: Todas as mudanças causadas pelo envelhecimento não aparecem de uma hora para outra. Caso você note algum comportamento anormal em um curto período de tempo, busque ajuda especializada.

Pessoas que tenham outras doenças simultâneas a infecção capazes de provocar baixa imunidade ou debilitação, por exemplo diabetes, doenças cardíacas e pulmonares e também demência, tem mais chances de apresentarem sintomas atípicos de infecção como em adultos jovens.

Os cuidados com a saúde em geral são a melhor forma de prevenir uma infecção em qualquer idade. Uma alimentação saudável, prática de atividades e exercícios físicos e também checkups médicos e de vacinação podem ser aliados principalmente na saúde da terceira idade.

Para mais informações sobre o assunto, entre em contato com seu médico infectologista de confiança. Ele poderá estabelecer o diagnóstico e o melhor tratamento de acordo com o seu caso.


Compartilhe
Dra. Keilla Freitas
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.


https://www.drakeillafreitas.com.br/quem-somos/

Deixe uma resposta

Top