Você está aqui
Home > Coronavírus > Ordem de Vacinação Contra a Covid-19 Entre os Grupos Prioritários

Ordem de Vacinação Contra a Covid-19 Entre os Grupos Prioritários

Ordem de Vacinação Contra a Covid-19 Entre os Grupos Prioritários
Compartilhe

Ordem de Vacinação Contra a Covid-19 – Desde o início da pandemia, muitos pesquisadores têm tentado achar uma vacina eficaz contra o novo coronavírus. Após muitos estudos e meses de trabalho, o antídoto foi finalmente aprovado e já está sendo distribuído em diversas partes do mundo.

A maioria dos países optou por iniciar a vacinação por profissionais da saúde que ocupam a linha de frente, além dos idosos, grupo considerado de maior risco. Continue a leitura deste artigo e saiba mais sobre a ordem de vacinação contra a Covid-19 entre os grupos prioritários no Brasil.

Ordem de Vacinação Contra a Covid-19

Covid-19

Há pouco mais de um ano, o primeiro caso de Covid-19 foi identificado na China. A doença respiratória se disseminou rapidamente ao redor do mundo e já fez mais de 2 milhões de vítimas fatais.

Sua transmissão ocorre por meio de gotículas de saliva contaminada expelidas pela tosse ou espirros. Tosse, falta de ar, febre, cefaleia, dor muscular, entre outros, são alguns dos sintomas. Em alguns casos, o paciente pode ser considerado como assintomático, caso seja comprovada a existência do vírus no organismo e ele não apresente qualquer um dos sintomas citados acima.

Vacinação

No Brasil, o Ministério da Saúde definiu um plano nacional de operacionalização da vacina contra o novo coronavírus baseado nos princípios da Organização Mundial da Saúde (OMS), feita em acordo com entidades como o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

O plano prioriza a vacinação de certos grupos visando garantir a proteção dos cidadãos com mais risco de serem infectados pela Covid-19. Com isso, a população será dividida em 27 grupos, sendo eles:

  1. Pessoas com 60 anos ou mais e que estejam institucionalizadas;
  2. Pessoas com deficiência institucionalizadas;
  3. Povos indígenas vivendo em terras indígenas;
  4. Trabalhadores da saúde;
  5. Pessoas de 80 anos ou mais;
  6. Pessoas de 75 a 79 anos;
  7. Povos e comunidades tradicionais ribeirinhas;
  8. Povos e comunidades tradicionais quilombolas;
  9. Pessoas de 70 a 74 anos;
  10. 65 a 69 anos;
  11. 60 a 64 anos;
  12. Pessoas com comorbidades;
  13. Quem apresenta deficiência permanente grave;
  14. Pessoas em situação de rua;
  15. População privada de liberdade (Presidiários);
  16. Funcionários do sistema de privação de liberdade;
  17. Trabalhadores da educação do Ensino Básico (creche, pré-escolas, ensino fundamental, ensino médio, profissionalizantes e EJA);
  18. Trabalhadores da educação do Ensino Superior;
  19. Forças de segurança e salvamento;
  20. Forças Armadas;
  21. Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros;
  22. Pessoas que trabalham em transporte metroviário e ferroviário;
  23. Trabalhadores de transporte aéreo;
  24. Trabalhadores de transporte aquaviário;
  25. Caminhoneiros;
  26. Trabalhadores portuários;
  27. Trabalhadores industriais.

Com essas informações, basta o estado ou município determinar a ordem que as doses serão distribuídas à população.

As Vacinas

O Governo Brasileiro possui três acordos de encomenda tecnológica que juntos garantem aproximadamente 354 milhões de doses de vacina ao longo do ano de 2021. Sendo que destas, 102,4 milhões são pertencentes à vacina Fiocruz (AstraZeneca) que serão entregues até julho deste ano, somadas a outras 110 milhões de doses previstas para o segundo semestre que serão fabricadas diretamente no Brasil.

Também fabricadas em solo nacional, as doses da CoronaVac, desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório Sinovac, somam 46 milhões de doses ainda no primeiro semestre, e outras 54 milhões no segundo.

Pelo consórcio internacional Covax Facility, o Brasil espera receber aproximadamente 42,5 milhões de doses, ainda sem cronograma de entrega. Para confirmar o calendário de vacinação na sua cidade, busque ajuda local. A vacina pode salvar vidas.

Mais Informações sobre Ordem de Vacinação Contra a Covid-19 na Internet:


Compartilhe
Dra. Keilla Freitas
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.


https://www.drakeillafreitas.com.br/quem-somos/

Deixe uma resposta

Top