Você está aqui
Home > Coronavírus > Falsa segurança ao tomar a primeira dose da vacina – Entrevista R7

Falsa segurança ao tomar a primeira dose da vacina – Entrevista R7

pessoas com uma dose da vacina podem sentir falsa segurança - entrevista portal r7
Compartilhe

Falsa segurança ao tomar a primeira dose da vacina – Entrevista R7

No dia 16 de abril de 2021, o Portal de notícias R7 publicou uma matéria com o nome “Pessoas com uma dose da vacina podem sentir ‘falsa segurança'” e contou com a participação da Dra. Keilla.

O artigo fala sobre o grande número de pessoas que não retornaram aos postos de saúde para tomar a segunda dose da vacina devido a sensação de falsa segurança que tomar a primeira dose deixa nas pessoas, fazendo com que elas fiquem mais relaxadas em relação à segunda dose.

Na notícia podemos ver alguns alertas de especialistas sobre a importância de tomar a segunda dose e as consequências de quem não tomar a vacina corretamente. Inclusive a Dra. Keilla comenta sobre isso. Segundo ela, as pessoas acabam ficando sem tomar a segunda dose e por isso ficam doentes antes, mencionando até casos de óbitos de pessoas que tomaram a primeira dose mas não tomaram a segunda e acabaram pegando Covid-19 por causa disso.

Pra finalizar, a Dra. Keilla Freitas alerta que a vacinação é imprescindível para combater o Covid-19, mas que não podemos nos esquecer do distanciamento social, de se higienizar sempre e manter as orientações da OMS em relação ao Coronavírus.

Clique aqui para ler a matéria completa no portal de notícias R7.

Quer ver outros artigos relacionados ao Covid-19 ? Clique aqui para ver todos os artigos da Dra. Keilla sobre esse assunto.


Compartilhe
Dra. Keilla Freitas
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.


https://www.drakeillafreitas.com.br/quem-somos/

Deixe uma resposta

Top