Você está aqui
Home > Vídeos > Especial Febre Amarela: Como Avaliar o Risco-benefício da Vacinação

Especial Febre Amarela: Como Avaliar o Risco-benefício da Vacinação

Risco-benefício da Vacinação

Pessoas com contra indicações à vacinação contra a Febre Amarela possuem maior risco de evoluir com complicações vacinais graves.

Risco-benefício da Vacinação

Para definir Quem pode ou não pode se vacinar contra a Febre Amarela, existem as Contra indicações absolutas (pessoas que NÃO PODEM receber a Vacina Contra a Febre Amarela em NENHUMA CIRCUNSTÂNCIA) e as Contra indicações relativas (pessoas que, em situações de risco aumentado de infecção devem ser avaliadas pelo seu médico)

Assista a este vídeo e saiba quais são estes casos e como o médico que acompanha a pessoa deverá avaliar o risco e benefício de receber a vacina.

 

O que devemos considerar antes de vacinar contra a Febre Amarela:

  • A pessoa é suscetível à doença?
  • A pessoa apresenta alguma doença aguda?
  • A pessoa possui história de alergia a componentes da vacina?
  • A pessoa é portadora de alguma doença crônica?
  • A pessoas faz algum tratamento que abaixa a imunidade?
  • Outras condições

Pessoa suscetível

Pessoas suscetíveis são aquelas que estão em risco de se infectar.

Para estar suscetível à infecção pelo Vírus da Febre Amarela, a pessoa deve estar nestas 2 situações abaixo:

  • Nunca recebeu nenhuma dose da vacina na vida
  • Moram, visitam ou irão viajar para áreas de risco.

Doença aguda

Pacientes com infecções agudas como quadros gripais, devem preferencialmente aguardar para se vacinar após a resolução desses quadros.

Histórico de alergias:

Pessoas sabidamente alérgicas ao ovo deverão ser avaliadas por um médico antes de serem vacinadas para verificar o risco benefício desta vacinação.

Caso o médico oriente a vacinação, ela deverá ser realizada em local com estrutura adequada para atendimento de urgência e emergência e deverá permanecer em observação na unidade por pelo menos duas horas após receber a vacina.

Doenças crônicas:

Doenças que possuem restrições para o recebimento da vacina (ou seja, devem ser autorizadas pelo médico antes de vacinar)

  • Diabetes Mellitus
  • Doenças Reumatológicas
  • Doenças neurológicas
  • Cardiopatas (doença do coração em fase avançada)
  • Nefropatas (doença do rim em fase avançada )
  • Doenças pulmonares crônicas (doença do pulmão em fase avançada)
  • Hepatopatas (doença do fígado em fase avançada)
  • Pacientes portadores de HIV
  • Pacientes com doenças oncológicas (câncer)
  • Pacientes transplantados

Outras condições:

  • 20
  • Mulheres que estejam amamentando
  • Vacinação recente com outra vacina de vírus vivo atenuado (aguardar pelo menos 15 dias, mas preferencialmente 30 dias para se vacinar contra a Febre Amarela)
CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top