Você está aqui
Home > Infecção Viral > Vacinação contra a gripe em gestantes pode ter menor eficácia

Vacinação contra a gripe em gestantes pode ter menor eficácia

vacinação

A vacinação contra o vírus da gripe em gestantes, pode ter sua resposta comprometida dependendo do período da gestação

Isso ocorre devido a mudanças hormonais, que interferem na imunidade da paciente e, consequentemente, na capacidade de seu organismo em produzir anticorpos específicos.

O estudo foi conduzido pela Universidade de Duke em Durham (Carolina do Norte) e apresentado na reunião anual da Sociedade de Medicina Materno-Fetal (Society for Maternal-Fetal Medicine, SMFM) em Atlanta (Geórgia).

Ele incluiu 36 gestantes nas temporadas de gripe entre 2012 e 2014.

As mulheres foram vacinadas contra influenza e amostras de sangue foram colhidas antes e 14 dias depois da vacinação.

O estudo mostrou que a resposta foi melhor durante o primeiro trimestre.

Isso em nada invalida a necessidade da vacinação durante o período de campanha, independente da idade gestacional.

Mesmo que a vacina não proteja a gestante completamente, ela previne a evolução para quadros graves caso a gestante seja infectada.

Fonte:

CRM-SP 161.392 RQE 55.156-Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top