Você está aqui
Home > DSTs > Vírus Herpes Simples Tipo 1 e 2

Vírus Herpes Simples Tipo 1 e 2

Last updated on outubro 31st, 2017 at 08:40 pm

Vírus Herpes Simples Tipo 1 e 2

Estes vírus podem provocar lesões em qualquer parte do corpo.

Contudo, há predomínio do tipo 2 nas lesões genitais e do tipo 1 nas lesões periorais.

Como se transmite:

  • Contato direto por relação sexual

Não é apenas uma Infecção Sexualmente Transmissível  (IST). Existem outras formas de transmissão do vírus, geralmente por contato direto com a lesão.

A pessoa pode ser portadora do vírus sem nunca ter desenvolvido lesões.

Apesar da transmissão ser mais importante durante o contato direto com as lesões, relações sexuais sem preservativo com pessoas portadoras, mesmo sem lesões, também podem causar infecção.

O uso do preservativo evita a transmissão sexual sem as lesões, mas não previne a transmissão por relação se houver lesões visíveis.

  • Contato direto pelo beijo

Apenas se tiver lesões visíveis (a saliva em si não é um material infectante)

  • Contato indireto através do compartilhamento de objetos de uso comum

– Utensílios de cozinha sem lavar

– Beber na mesma garrafa

– Usar o mesmo objeto

Esse tipo de transmissão ocorre apenas se houver lesões visíveis.

  • Transmissão vertical  (de mãe para filho durante a gestação)

Não precisa de ter lesões visíveis, mas geralmente ocorre apenas quando a gestante tem a primeira infecção durante a gestação.

Saiba mais sobre herpes gestacional e herpes neonatal aqui.

  • Transmissão perinatal

Ocorre de mãe para filho quando o bebê passa pelo canal do parto (parto normal), e a mãe possui lesões ativas neste momento.

Como fazer o diagnóstico:

Apenas entre 13% e 37% dos portadores desenvolvem alguma lesão em algum momento da vida.

O diagnóstico da lesão não pode ser feito por exame de sangue.

Exames de sangue determinarão apenas que a pessoa teve contato com o vírus (exames sorológicos) ou que possui vírus circulando no sangue (testes moleculares).

Os anticorpos específicos contra o herpes costumam aparecer no sangue após 12 semanas do contato.

Mas uma pessoa pode ter tido contato com o herpes há muitos anos sem nunca ter apresentado lesões.

É por isso que a suspeita diagnóstica se faz pelo puro exame físico e a confirmação apenas por exame da lesão.

 

Tipos de Infecção:

  • Primária
  • Não primária
  • Recorrente

Infecção primária:

Primeiro aparecimento de lesões em indivíduos que nunca tiveram contato com o herpes simples tipo 1 (HSV-1) ou herpes simples tipo 2 (HSV-2).

O período entre o contato com o vírus e os sintomas da primeira crise é de 4 dias em média (entre 2 e 12 dias).

Infecção não primária:

Aparecimento de lesões referentes ao herpes tipo 1 em indivíduo que já possui anticorpos para herpes do tipo 2 ou vice-versa.

Suspeitamos do diagnóstico quando indivíduos com história prévia de lesões em orais aparece com lesões genitais ou vice-versa.

Infecção recorrente:

Novo aparecimento de lesões ou novo aumento de vírus no sangue após a primeira infecção, sendo o vírus de mesmo tipo que a infecção anterior.

Sintomas:

Vírus Herpes Simples Tipo 1 e 2
Exemplos de lesões pelo Vírus Herpes Simples Tipo 1 e 2

Apresentação sub-clínica

87,4% das infecções pelo vírus herpes simples não apresentam sintomas.

O número de vírus do herpes simples 1 e 2 aumenta no sangue sem a presença de lesões na pele.

O indivíduo pode não tomar conhecimento da infecção ativa, mas pode transmiti-la, principalmente em casos de relação sexual sem preservativo.

Infecção primária (primeira infecção):

O quadro se inicia de 2 a 12 dias (no geral 4 dias) após o primeiro contato com vírus.

O quadro pode se iniciar com febre, mal-estar, dor de cabeça ou mialgia (dor muscular).

Disúria (dor para urinar), com ou sem retenção urinária (especialmente nas mulheres).

A dor e/ou coceira local começam antes do aparecimento das lesões.

Linfadenopatias (ínguas ou aumento dos gânglios) aparecem em 50% dos casos. Elas podem aparecer de um só lado ou ambos. Elas rapidamente evoluem para vesículas (bolinhas) sobre base eritematosa (vermelhas), muito dolorosas e de localização variável.

O conteúdo dessas vesículas é geralmente citrino (como água), raramente turvo.

Quando há acometimento do colo do útero, é comum o corrimento vaginal, que pode ser abundante.

Entre os homens, o acometimento da uretra pode provocar corrimento uretral e raramente é acompanhado de lesões extragenitais.

O quadro pode durar de duas a três semanas.

Após a infecção genital primária pelo Vírus Herpes Simples Tipo 1 e 2, o vírus ascende pelos nervos periféricos sensoriais, penetra nos núcleos das células dos gânglios sensitivos e entra em um estado de latência.

A ocorrência de infecção do gânglio sensitivo não é reduzida por qualquer medida terapêutica.

Primeira infecção em portadores de HIV:

Entre as pessoas com infecção pelo HIV, as manifestações tendem a ser dolorosas, atípicas e de maior duração.

Em geral, é uma manifestação mais severa caracterizada pelo surgimento de lesões eritemato-papulosas de um a três milímetros de diâmetro.

 

Vírus Herpes Simples Tipo 1 e 2
Exemplos de lesões pelo Vírus Herpes Simples Tipo 1 e 2

Infecção não primária

Após a infecção genital primária por HSV-2 ou HSV-1, respectivamente, 90% e 60% dos pacientes desenvolvem novos episódios nos primeiros 12 meses, por reativação viral.

As infecções seguintes costumam apresentar menos sintomas gerais que a primária.

Apresenta sintomas basicamente locais com menos lesões que a primeira.

É comum iniciar com quadro de dor local antes do aparecimento das lesões.

Infecção recorrente (herpes simples de repetição)

Quantidade de lesões e quadro clínico são mais brandos que as primeiras.

O tempo do quadro também é menor.

Em geral dura de 2 a 5 dias, mesmo sem tratamento específico.

Fatores que podem aumentar o risco de novas crises:

  • Exposição a radiação ultravioleta,
  • Traumatismos locais,
  • Menstruação,
  • Estresse físico ou emocional,
  • Depressão,
  • Insônia,
  • Uso prolongado de antibióticos (imunodeficiência),
  • Tratamentos que diminuem a imunidade, como comprimidos de corticoides ou imunossupressores,
  • Outras causas de imunodeficiência.

O tratamento de uma crise não diminui o risco de novas crises.

Não existe vacina para prevenção.

O uso de remédios profiláticos são adotados em último caso, uma vez que a profilaxia é feita com o mesmo remédio do tratamento com uma dose menor.

Essa medicação, pode ser tóxica para o organismo e o seu custo-benefício deve ser muito bem avaliado.

Na maioria das situações, o tratamento dos fatores que levam à queda da imunidade, como o tratamento da ansiedade e depressão, é a melhor estratégia para prevenção das crises.

Outras apresentações do herpes simples:

O vírus da Herpes pode causar quadros bem variados, não apenas as vesículas que são tão típicas.

Inclusive, quadros bastante graves, principalmente em imunodeprimidos (pessoas com imunidade baixa)

Tratamento:

O vírus não tem cura, o tratamento é apenas da crise.

Lesões herpéticas com infecção secundária

Lesões ativas do herpes são também uma porta aberta para a entrada de bactérias em nosso organismo

Bactérias próprias da pele entram na pela lesionada pelo herpes e causam quadros infecções que podem ser exuberantes.

O tratamento antibiótico nestes casos é mais importante que o próprio tratamento da crise herpética.

Exemplos de infecção bacteriana secundaria em pacientes com herpes simples

Fonte:

 

 

Compartilhe nas redes sociais:
  •  
  •  
  • 781
  •  
  •  
  • 3
  •  
  •  
  •  
  •  
    784
    Shares
Dra. Keilla Freitas
Dra. Keilla Freitas
Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.
http://www.drakeillafreitas.com.br/

49 thoughts on “Vírus Herpes Simples Tipo 1 e 2

    1. Varia de pessoa para pessoa mas em geral com algumas semanas já é suficiente, contudo o IgM é o primeiro a aparecer e quando o IgG já está positivo o IgM ainda está presente. Com o passar do tempo os níveis de IgM vão abaixando até ficarem negativos e os IgG vão subindo.

  1. Caso o portador da herpes genital receba sexo oral sem camisinha ele pode passar a herpes pra boca da pessoa q faz o oral?

  2. Tive uma relaçao e 30 dias depois fiz o exame para herpes simples tipos 1 e 2 (juntas) IGG e IGM, IGG deu reativo e IGM deu náo reativo. Posso ter contraído herpes genital desta relaçao? Se eu tivesse tipo 1 e adquiress o tipo 2 o IGM daria positivo neste tipo de exame?

    1. IgM é visto geralmente em contato mais recente e o IgG é visto já depois de um tempo do primeiro contato e geralmente permanece reagente por toda a vida.
      Dependendo do exame ele pode detectar anticorpos dos 2 tipos de herpes ou de apenas um deles. SE o teste detecta IgG e IgM dos 2 tipos, qualquer situação de contato prévio recente ou antigo, aparecerá no exame, e menos que esteja no tempo da janela.

      1. Então neste caso se eu fosse somente portador do hsv1 o teste deveria dar reagente para o IgM num período de 30 dias após a exposição e aquisição do hsv2?

  3. Oi, Dra Keilla Freitas.
    Conheci uma pessoa que teve relações com uma pessoa portadora do HVS-2 e o mesmo não usou preservativos, porém a parceira dele não apresentava nem uma lesão externa e interna. Á alguma possibilidade do parceiro dela não ter contraído o vírus ou ele foi infectado de qual quer forma?!

  4. Estou com sensibilidade aguçada na pela que vai do umbigo até as costas. Faz 15 dias e nenhuma ferida apareceu. Pode ser herpes zoster?

  5. Dra. Fiz os exames e tanto o IgG e o IgM estão alerados. Fiz depois o IgG sozinho para ver os anticorpos e deu que o resultado correspondia a linearidade analítica do ensaio ( limite superior) . Nunca tive nenhuma manifestação do vírus … somente agora estão aparecendo as vesículas com bolhas ? Eu posso ter sido contaminada agora ou já era portadora do vírus. Tive relação a 1 mês atrás ? Quais exames deveria fazer novamente ?

    1. Todo teste IgM positivo e IgG negativo, precisa ter o IgG positivo após um tempo, ou o diagnóstico não será confirmado.
      Você precisa se consultar pessoalmente com um médico infectologista para te avaliar e pedir todos os exames necessários.

  6. Olá, boa tarde! Sobre a tão falada vacina trivalente para o herpes genital, tem previsão de quando ela estará disponível para os infectados?

  7. Doutora,

    Já se passaram mais de 48 dias, tive relação com uma garota de programa… sexo oral receptivo sem camisinha e sem ejaculação, e dei um beijo rápido, ela não tinha feridas na boca.

    Os riscos são baixos? O que você me indica para fechar este assunto para que possa parar de me preocupar.

    Obrigado,

      1. E a relação a Herpes? Ou outras doenças? Já teria os sintomas depois de tanto tempo?
        Recomenda exame ? Qual?

        Obrigado,

        1. Doutora,

          Por favor, pode responder?
          Exames negativos pra Sífilis, Hepatites e HIV da minha situação de risco citada acima.

          E sobre herpes recomenda exame? Se sim, qual?
          Ou assunto encerrado?

          Obrigado

  8. Dra fiz os exames para herpes e meu Igg deu 17,5 sendo o meu Igm 1,3, nunca apresentei sintomas algum e no meu noivo também não. Dias antes de apresentar as lesões tinhamos ido a um motel, posso ter pego a herpes pelo uso da toalha do motel? Isso ja faz 3 meses, já é a terceira vez que aparecem as bolhas em mim e no meu noivo nunca apareceu.

    1. Uma pessoa pode ter o vírus da herpes há muito tempo sem apresentar sintomas, até que um dia aparecem.
      IgG positivo mostra contato mais antigo, assim que o seu contato com o herpes foi há mais tempo.

  9. Eu não tenho relações sexuais e contraí herpes tipo 1 através do beijo eu acho.. Acontece que já tive do tipo 1 várias vezes … mesmo quando ainda era BV.. na verdade estou um pouco preocupada de ser no caso algo mais sério .. o que pode me falar sobre?

    1. Na verdade como só é transmitida pelo beijo quando o surto está ativo.. não sei como contraí, já que meu namorado não apresentava sinais visíveis..

  10. Olá Dra, por favor me responda.

    Receber sexo oral sem preservativo e sem ejaculação quais os riscos de receber Herpes? A garota de programa não tinha feridas, houve tbm uns dois beijos. Se passaram mais de 60 dias não tive sintomas, caso encerrado? Caso não, qual sua sugestão?

    1. A princípio, o vírus da herpes poderia ser transmitido quando alguém coloca a boca no genital da pessoa que não tem o vírus, apenas se esta pessoa ( a que pratica o sexo oral) estiver com lesões ativas.
      Mas se você quer muito saber se pegou herpes nessa relação ou não, sugiro que procure um médico infectologista e faça sorologias específicas. Daí você saberá se já teve algum contato antigo, contato novo, ou nunca teve contato com nenhum vírus da herpes simples.

      1. Olá,

        Grato pelo retorno, me responda por favor.

        Quantos dias após a situação de risco posso fazer o exame de Herpes, 70 dias é suficiente? Pela minha situação (dois beijos, sexo oral receptivo sem camisinha e sem ejaculação numa GP, sem feridas expostas) quais os riscos de 0 a 10 de ter pego?

        Uma dúvida, geralmente a primeira infecção acontece? Não tive nenhum sintoma em toda minha vida.

        Na minha cidade não tem infectologista, por isso estou lhe perguntando!
        Parabéns pelo trabalho.

        1. Não precisa de ter sintomas de infecção logo após o primeiro contato. Pode fazer o testes sorológicos específicos para saber se teve algum contato recente ou antigo, mas precisa ser avaliado por um médico.

          1. Dra.
            Saiu meu exame, resultado 15,7 IGG (reativo) 0,5 IGM (negativo). Qual eficácia do exame? Este resultado diz que contrai herpes na última relação de risco de 60 dias ou mais?

            Obrigado,
            Me responda por favor..

  11. Eu uso diu , e já tinha um ano que estava com corrimento e eu sempre ia na ginicologia e ela fazia exame e dizia que eu não tinha nada que era pra tomar iogurte até que resolvi i em um médico que não me pediu nem um exame e já me receitou medicamentos para me e meu namorado dois dias depois de usar os antibióticos nos dois estava com herpes genital , meu mundo caiu pois tinha 8 anos que agente namora e nunca tivemos nem uma doença , eu estou à beira da loucura , como assim uma doença sem cura

    1. Uma pessoa pode ter contato com o herpes simples por muitos anos sem apresentar lesão e um belo dia ele aparece.
      Essa vírus fica dormindo no nosso organismo e o tratamento é apenas para a crise, caso a pessoa tenha.

  12. Qual a probabilidade de uma pessoa com IgG alto para Herpes tipo 1, sem lesões, transmitir o virus pelo beijo ou relação sexual?
    Agradeço

  13. Dra,,
    Em agosto um urologista me receitou corticoide tópico e após uma semana suspendi devido a erupções dolorosas. O exame de herpes deu iGG 0,6 e IGM indeterminado. Em novembro fui a outro urologista que me receitou outro corticoide tópico e após uma semana os mesmos sintomas surgiram, mas desta vez o iGG diminuiu para 0,5 e o IGM reagiu com 1,48. Afinal, da pra saber se tenho herpes? Detalhe importante: não tenho qualquer relação sexual há mais de um ano. Grato

  14. Doutora procuro urologista ou infectologista pra fazer rastreio de doencas e poder deixar de usa preservativo com a parceira?

  15. Olhos vermelhos com sensacao de areia cocando e com secrecao. Oftalmos nao especificam o que e. Se agendar consulta com infectologista posso descobrir a causa?

  16. Clamidia nos olhos o infectologista pode dar um parecer ou tratar? Clamidia pode ser transmitida pelos olhos? Pode ser transmitida sem contato sexual?

  17. Tive uma ist e gostaria de fazer checkup para outras. Mas os medicos so passam hepatite sifilis e hiv. Quais outros exames posso fazer para ficar tranquilo. Exemplo cancro clamidia hpv herpes htlv e outros. Quais sao necessarios. Pois urologistas so pediu hepatite hiv e vdrl

  18. Dra.
    Saiu meu exame, resultado 15,7 IGG (reativo) 0,5 IGM (negativo). Qual eficácia do exame? Este resultado diz que contrai herpes na última relação de risco de 60 dias ou mais?

    Obrigado,
    Me responda por favor..

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top