Você está aqui
Home > Vídeos > ISTs- Infecções Sexualmente Transmissíveis > Vacina da meningite contra a gonorreia

Vacina da meningite contra a gonorreia

Vacina da meningite contra a gonorreia

Last updated on novembro 5th, 2017 at 05:48 pm

Vacina da meningite contra a gonorreia

Gonorreia é uma Infecção de Transmissão Sexual (IST) muito antiga e ainda muito frequente.

Tem causado problemas maiores atualmente com o aumento do numero de bactérias resistentes a antibióticos.

Não existe vacina contra esta infecção, mas estudos feitos na Nova Zelândia apontam que um tipo de vacina contra a meningite parece reduzir a incidência de gonorreia entre adultos.

Não é qualquer vacina. O estudo avaliou especificamente a vacina de vesícula de membrana externa contra a meningite – a MeNZB.

Esta proteção cruzada poderia estar relacionada ao parentesco entre as duas bactérias:

  • Neisseria gonorrhoeae – causadora da gonorreia
  • Neisseria meningitidis – causadora da meningite

Apesar de causarem doenças bem diferentes, são primas. Ambas pertencem à família das Neisserias  

Como o estudo foi feito:

Os pesquisadores avaliaram casos de 11 clinicas na Nova Zelândia.

Buscaram casos confirmados de infecção por gonorreia e/ou clamídia confirmada entre jovens de 15 a 30 anos que receberem três doses da vacina contra meningite com a ultima dose entre 2004 e 2008.

Todos os pacientes receberam a vacina contra a meningite antes dos 20 anos.

Objetivos:

O Objetivo era determinar a incidência de casos confirmados de gonorreia e/ou clamídia nesta população.

Comparando aqueles que se vacinaram contra a meningite daqueles que não vacinaram.

O estudo abarcou 12 anos e estudou 14.730 casos

 

Resultados

  • 1241 casos de infecção apenas por gonorreia
  • 12487 casos de infecção apenas por clamídia
  • 1002 casos de coinfecção de gonorreia e clamídia
  • Foram ajustados fatores de confusão como renda, gênero, área geográfica etc.
  • Paciente vacinados tiveram uma incidência de infecção por gonorreia 31% menor que infecção por Clamídia.

 

Fonte:

 

Compartilhe nas redes sociais:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Dra. Keilla Freitas
Dra. Keilla Freitas
Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.
http://www.drakeillafreitas.com.br/

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top