Você está aqui
Home > Infecção em Imunosuprimidos > Toxoplasmose: saiba mais

Toxoplasmose: saiba mais

toxoplasmose

Last updated on novembro 14th, 2017 at 12:36 pm

Toxoplasmose: saiba mais

A Toxoplasmose é uma infecção causada por um protozoário chamado Toxoplasma gondii.

Este micro-organismo existe em grande quantidade no mundo.

Em algumas regiões do Brasil, cerca de 78% da população já teve contato com o Toxoplasma.

Os felinos são os únicos animais nos quais o protozoário pode completar o seu ciclo reprodutivo, mas para um ser humano se infectar, não necessita contato direto com o gato.

Formas de se contrair toxoplasmose

Os gatos transmitem os ovos do parasita pelas fezes, podendo ser contraídos das seguintes formas:

  • A ingestão de ovinhos a partir do ambiente (geralmente a partir de solo contaminado com fezes de felinos);
  • A ingestão dos ovos em carne mal cozida ou crua proveniente de um animal infectado ou de frutos contaminados, vegetais ou água potável;
  • Através da transmissão vertical da mãe infectada para o feto;
  • Via transfusão de sangue ou transplante de órgãos de um doador infectado.

 

 

Toxoplasmose em pessoas com imunidade normal

Mais de 90% das infecções agudas em pessoas imunocompetentes são totalmente assintomáticas.

Pessoas com imunidade normal que apresentam sintomas de infecção aguda, geralmente apresentam sintomas inespecíficos e brandos (febre, linfadenopatia, hepatite aguda) e raramente necessitam de tratamento específico.

Entre as pessoas com imunidade normal que apresentam sintomas importantes da infecção aguda pela toxoplasmose, a mais comum é a toxoplasmose ocular.

Toxoplasmose ocular

O T. gondii é a causa mais comum de coriorretinite (infecção ocular) em pessoas com imunidade normal.

O sintoma mais comum é a perda rápida e progressiva da visão em um dos olhos, podendo estar associada a dor ou não.

O diagnóstico pode ser suspeitado através de alterações típicas encontradas ao exame oftalmológico e deve ser confirmado por exames de sangue sorológicos específicos.

A demora no diagnóstico pode levar à perda irreparável da visão.

Por isso, o diagnóstico deve ser confirmado e o tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível.

Tratamento da toxoplasmose ocular:

O tratamento da toxoplasmose ocular dependente de vários fatores: Grau de inflamação, gravidade da perda visual, localização e persistência da lesão ativa.

  • Comprimidos: Antibióticos e corticoides em altas doses,
  • Colírios: antibióticos e corticoides tópicos

Uma pessoa com toxoplasmose ocular pode ter sintomas e ainda assim não ter indicação de tratamento.

A toxoplasmose ocular pode deixar sequelas. Significa que uma pessoa pode ter sintomas mas na verdade a doença já não está mais lá, mesmo sem ter feito nenhum tratamento específico.

Ou seja, a pessoa pode ter tido toxoplasmose ocular, que deixou sequelas, mas o próprio organismo controlou o toxoplasma.

Nesse caso, o médico oftalmologista não verá lesões ativas ao exame, não verá inflamação em atividade, apenas cicatrizes.

Neste caso não existe NENHUM benefício em se tratar o quadro.

O tratamento da toxoplasmose ocular está indicado apenas para casos de inflamação ativa.

Toxoplasmose em pessoas com imunidade baixa

Pessoas com imunidade baixa possuem um grande risco de apresentar quadros graves de infecção aguda pela Toxoplasmose.

Mesmo para quem teve contato antigo com o toxoplasma enquanto tinha a imunidade normal, o risco de reativação é grande.

Tanto os quadros de infecção aguda quanto de reativação possuem grande risco de evoluir para a morte ou deixar sequelas importantes que variam de acordo ao órgão afetado.

Reativação da toxoplasmose:

Após o primeiro contato com o protozoário, o toxoplasma é controlado pelo sistema imune e fica inativado.

Entre pessoas com imunidade normal, mesmo naquelas que apresentaram sintomas de infecção aguda, os sintomas geralmente não retornam.

Pessoas que tiveram toxoplasmose ocular, mesmo naquelas com imunidade normal, a reativação pode ocorrer, mas essa reativação não é muito frequente.

É preciso estar atendo a uma nova piora dos sintomas da reativação ocular para não perder tempo,  e, mesmo sem sintomas, é interessante a avaliação periódica por um oftalmologista para se descartar processo inflamatório ativo.

A maior probabilidade de reativação da toxoplasmose é em pessoas com imunossupressões graves como na AIDS .

No caso específico de pessoas com AIDS, a forma mais frequente de reativação da toxoplasmose é no cérebro – neurotoxoplasmose.

Profilaxia da toxoplasmose

Reativação de toxoplasmose em pessoas com imunidade baixa é tão frequente e grave que em muitas situações, a profilaxia para toxoplasmose está indicada em pessoas que tiverem contato prévio até a recuperação do sistema imune.

Diagnóstico da Toxoplasmose

A confirmação do diagnóstico se dá por exame sorológico específico no sangue.

Os testes sorológicos identificam anticorpos (imunoglobulinas) que o nosso organismo produz ao entrar em contato com o toxoplasma.

Testes sorológicos indicam apenas situações de contato com toxoplasma. Não confirmam o diagnóstico de infecção aguda e nem indicam tratamento.

  • Imunoglobulina M  ( Toxoplasmose – IgM)

São anticorpos de contato agudo ou reativação.

Nas infecções agudas, eles aparece de 1 a 2 semanas após o contato.

Seus níveis aumentam por um tempo e depois começam a cair, podendo persistir por até 2 anos até ficarem negativos (não reagentes)

IgM positivo (reagente) não significa infecção aguda.

  • Imunoglobulina G (Toxoplasmose – IgG)

São anticorpos de contato mais antigo, costumam aparecer 2 semanas após o aparecimento do IgM.

Atingem o seu maior valor após 6 a 8 semanas do primeiro contato e depois começa a cair, mas segue com titulações positivas, geralmente por toda a vida.

O diagnóstico de certeza da infecção aguda é quando o resultado sorológico é de IgM (+) e IgG (-) com a IgG tornando-se positivo ou reagente , 2 semanas depois.

Se o IgG não se tornar reagente após 2 semanas do IgM positivo, trata-se de um falso positivo e não é uma infecção aguda pela Toxoplasmose.

Teste avidez de IgG

Quando a sorologia para toxoplasmose apresenta IgG e IgM reagentes (positivos), não se pode definir quando foi o primeiro contato.

Nesses casos, são realizados  teste de avidez de IgG.

Se o valor da avidez for alto, o contato é mais antigo.

Se o valor da avidez for baixo, não se pode afirmar se o contato é recente ou não, pois, algumas mulheres podem persistir com valores baixos de avidez por muitos anos.

Diagnóstico de toxoplasmose em pessoas com imunidade baixa.

Como os testes diagnóstico de toxoplasmose identificam apenas os anticorpos que nosso sistema imune produz (imunoglobulinas), pessoas com imunidade baixa podem não apresentá-los.

Mais precisamente, nos casos de infecção aguda, que se espera um IgM positivo, este pode não estar presente.

Nesse caso, a avaliação de um médico especialista em Infectologia deve ser realizada junto aos outros especialistas que acompanham o caso.

O médico infectologista avaliará caso a caso para definir a possibilidade da presença de uma doença ativa, independente dos testes sorológicos negativos.

Nem toda toxoplasmose deve ser tratada

Quando tratar a toxoplasmose

  • Quadros infecciosos graves, seja infecção aguda ou reativação, seja em pessoas com imunidade baixa ou normal.
  • Toxoplasmose ocular com lesão ativa
  • Gestantes com contato agudo, independente de ter sintomas ou não.
  • Pessoas com imunidade baixa, como pós transplantados recentes com suspeita de infecção aguda, mesmo sem apresentar sintomas.

Toxoplasmose na gestação

O risco da infecção na gestação é de passar a infecção para o feto principalmente se o primeiro contato ocorre no primeiro semestre da gestação.

Saiba mais sobre Toxoplasmose gestacional aqui.

Fonte:

Compartilhe nas redes sociais:
  •  
  •  
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    1
    Share
Dra. Keilla Freitas
Dra. Keilla Freitas
Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.
http://www.drakeillafreitas.com.br/

2 thoughts on “Toxoplasmose: saiba mais

  1. Olá recebi sexo oral um 45 segundo d pois de 70 dias fiz o teste rápido action e deu negativo tenho que repetir o teste . Ou pode ser definido . Pode me ajudar

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top