Você está aqui
Home > Vídeos > Campanhas > HIV > O que muda na vida de quem tem HIV

O que muda na vida de quem tem HIV

O que muda na vida de quem tem HIV

Last updated on outubro 7th, 2017 at 05:57 pm

O que muda na vida de quem tem HIV?

O HIV, mais que uma doença infecciosa, é uma doença crônica.

Ainda existem pessoas que ao receber o diagnóstico de HIV acham que suas vidas acabaram.

Isso não é verdade e o fato é que, depois que passa o impacto inicial, a rotina muda muito pouco ou em alguns casos, muda para melhor.

Pode parecer contraditório mas muitas vezes ao saber do diagnóstico a pessoa repensa sua vida e suas escolhas e passa a ter uma vida mais saudável, e porque não dizer, mais feliz.

O que muda na vida de quem tem HIV é a qualidade e o equilíbrio.

Sabemos que tanto o HIV quanto alguns antirretrovirais aumenta o risco de doenças cardiovasculares.

Isso ocorre porque o vírus causa uma inflamação crônica em todo o corpo.

Além disso alguns antirretrovirais aumentam o risco de desenvolvimento de diabetes ou alterações do colesterol, principalmente em pessoas que já possuem pré-disposição para isso.

Com toda a evolução pela qual passou o tratamento do HIV, hoje a vida da pessoa que vive com o HIV se assemelha bastante à vida de pessoas com doenças como hipertensão e diabetes.

Tratamento da pessoa vivendo com o HIV

  • A pessoa precisa tomar medicação todos os dias
  • Boa qualidade de sono,
  • Atividade física regular,
  • Dieta saudável rica em proteína
  • Beber bastante líquidos
  • Evitar coisas tóxicas como drogas psicoativas, álcool e cigarro.
  • Ir ao médico infectologista e fazer exames de rotina periodicamente
  • Cuidar de outros problemas de saúde que apareçam como pressão alta, alteração do colesterol, diabetes, depressão, estresse, etc.

É um tratamento para toda a vida sim. Mas assim são os tratamento para várias doenças como hipertensão, diabetes, alteração do colesterol, lúpus, entre outras.

 

 

Compartilhe nas redes sociais:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
    1
    Share
Dra. Keilla Freitas
Dra. Keilla Freitas
Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.
http://www.drakeillafreitas.com.br/

7 thoughts on “O que muda na vida de quem tem HIV

  1. Tenho uma duvida. Tou saindo do ciclo do climaterio e entrando na menopausa . Meu fluxo menstrual aumentou consideravelmente .hemorragia. o TARV pode influenciar pois cheguei a fazer varios ultrasons. Tudo normal. E a hemorragia continua. Me explique doutora.

      1. tive relação sexual com uma pessoa q teve cacro mole,ele fez o tratamento só dps tivemos essa relação.Posso ter pego alguma outra dst?

  2. Um rapaz ejaculou fora mas usou a mao com semen e passou na minha glande. Corro risco de ser contaminado? Sou circuncidado.

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top