Você está aqui
Home > Vídeos > HIV > O que é PrEP HIV ?

O que é PrEP HIV ?

O que é PrEP HIV ?

O que é PrEP HIV ?

É uma estratégia de prevenção contra o vírus HIV para pessoas não infectadas e que possuem um risco maior de contrair o vírus.

Existem duas formas de administração. Comprimido ou gel. Os estudos têm comprovado maior eficácia do uso de comprimido.

O medicamento se chama Truvada®.

Ele pode ser usado para tratamento do HIV se somado a outros medicamentos, mas para a PrEP ele é usado sozinho.

Trata-se de 1 único comprimido composto por 2 substancias: Tenofovir – TDF (300 mg) e a Emtricitabina-FTC (200 mg)

Como o PrEP funciona

A Presença do remédio no sangue na concentração indicada (tomando 1 cp ao dia), combate o vírus na hora em que ele entra, impedindo que se espalhe pelo corpo.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que a PrEP pode ser priorizada para populações de maior risco como:

  • Homens que fazem sexo com homens (HSH),
  • Usuários de drogas injetáveis
  • Profissionais do sexo,
  • Àqueles em risco de transmissão sexual em áreas com transmissão endêmica ou hiperendêmica do HIV.

Quem tem indicação de PrEP 

Situações indicação de PrEP

Qualquer pessoa nas situações abaixo:

  • Repetição de práticas sexuais anais e/ou vaginais com penetração sem o uso de preservativo
  • Frequência das relações sexuais com parceiros eventuais
  • Quantidade e diversidade de parceiros sexuais
  • Histórico de episódios de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST)
  • Busca repetida por Profilaxia Pós-Exposição (PEP)
  • Contextos de troca de sexo por dinheiro, objetos de valor, drogas, moradia, etc

Gays e Homens que fazem sexo com Homens – HSH

Quem são: Homens que se relacionam sexualmente e/ou afetivamente com outros homens:

Em que situação:

  • Relação sexual anal (receptiva ou insertiva)  sem uso de preservativo nos últimos seis meses
  • Episódios recorrentes de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST)
  • Uso repetido de Profilaxia Pós-Exposição (PEP)

Pessoas Trans

Quem são: Pessoas que expressam um gênero diferente do sexo definido ao nascimento (homens e mulheres transexuais, transgêneros, travestis e outras pessoas com gêneros não binários)

Em que situação:

  • Relação sexual anal (receptiva ou insertiva)  sem uso de preservativo nos últimos seis meses
  • Episódios recorrentes de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST)
  • Uso repetido de Profilaxia Pós-Exposição (PEP)

Profissionais do Sexo

Quem são: Homens, mulheres e pessoas trans que recebem dinheiro ou benefícios em troca de serviços sexuais, regular ou ocasionalmente (Ex: drogas, comida, moradia, segurança, favores, etc)

Em que situação:

  • Relação sexual anal (receptiva ou insertiva)  sem uso de preservativo nos últimos seis meses
  • Episódios recorrentes de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST)
  • Uso repetido de Profilaxia Pós-Exposição (PEP)

Casal sorodiferente para o HIV

Quem são: Casais heterossexuais ou homossexuais nos quais uma das pessoas é infectada pelo HIV e a outra não (independente da Carga viral da pessoa soropositiva).

Em que situação:

  • Relação sexual sem preservativos
  • Pessoa portadora do vírus HIV com Carga Viral ainda não suprimida ou suprimida há menos de 6 meses.

Saiba mais em: Profilaxia Pré-Exposição ao HIV

Compartilhe nas redes sociais:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Dra. Keilla Freitas
Dra. Keilla Freitas
Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.
http://www.drakeillafreitas.com.br/

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top