Você está aqui
Home > HIV/AIDS > Novo medicamento para HIV – Dolutegravir

Novo medicamento para HIV – Dolutegravir

novo medicamento para HIV - Dolutegravir

O novo medicamento para HIV – Dolutegravir,  tem seu uso ampliado no Brasil.

 

O novo medicamento para HIV – Dolutegravir  já era usado para terapia de resgate (pessoas com resistência a várias classes de antirretrovirais).

Mas agora suas indicações foram ampliadas.

Vale lembrar que ele não deve ser tomado sozinho.

Como todo esquema de tratamento, ele deve estar sempre associado a pelo menos outros 2 medicamentos de 2 classes diferentes.

 

Quais são as indicações do novo medicamento para HIV – Dolutegravir:

  • Crianças acima de 12 anos e mais de 40kg
  • Pessoas nunca tratadas e que vão começar o tratamento a partir de 16/01/17.
  • Pessoas que tem falha terapêutica com o Efavirenz (carga viral detectável após 6 meses de tratamento diário)
  • Pessoas que possuem alguma contraindicação ao Efavirenz
  • Pessoas com efeitos adversos importantes ao Efavirenz
  • Pessoas com intolerância ao Efavirenz

Exemplos de contra indicação ao Efavirenz:

  • Pessoas com problemas psiquiátricos como esquizofrenia.
  • Pessoas com alergia ao remédio
  • Pessoas que trabalham a noite e não podem dormir em serviço como
  • Pessoas com outros problemas de saúde e que tomam outras medicações que interagem com o Efavirenz

Exemplos de sintomas que o Efavirenz pode causar:

  • Depressão, Agressividade ou outras alterações do humor
  • Sonolência durante o dia
  • Alucinações
  • Confusão, despersonalização
  • Pesadelos
  • Perda de memória

(Vale lembrar que tomá-lo junto com carne gordurosa ou álcool aumenta os efeitos sobre o sistema nervoso central)

Muitos desses efeitos costumam passar após 2 a 4 semanas do início da medicação, mas em algumas pessoas persistem.

 

Importante deixar claro que o Efavirenz não sairá de circulação.

Pacientes em uso de esquemas com Efavirenz como o 3 em 1 (Tenofovir, Lamivudina.Efavirenz), que tenham carga viral indetectável e com boa tolerância, não possuem indicação de troca do Efavirenz pelo Dolutegravir.

O Efavirenz ainda é uma ótima opção para tratamentos de primeira linha para pacientes que não possuem contra indicação ao mesmo.

 

Quais são as maiores causas de abandono de tratamento:

  • Intolerância (efeitos adversos como náuseas, dores de cabeça, diarreia)
  • Posologia (muitos comprimidos ou várias tomadas no dia)
  • Interações medicamentosas
  • Eventos adversos (como hepatite, insuficiência renal)

 

O que o uso irregular da medicação do HIV pode causar:

  • Criação de resistência viral aos medicamentos
  • Falha do tratamento (carga viral detectável no sangue)
  • Risco de transmissão para o(a) parceiro(a)
  • Evolução da doença até a fase AIDS
  • Inflamação crônica do organismo

Consequência da inflamação crônica (causada pelo vírus circulando no sangue) a longo prazo:

  • Aumento do risco de doenças cardiovasculares como Infarto do coração
  • Insuficiência renal
  • Perda de massa muscular
  • Enfraquecimento dos ossos, com o aumento do risco de fraturas
  • Demência
  • Entre outros

Vantagens do novo medicamento para HIV – Dolutegravir:

  • Alta potência:

-Alcança Carga Viral indetectável em menos tempo que outros remédios como o Efavirenz.

-Isso não significa que seja melhor.

-Se por um lado, é ótimo pois, com a quantidade de vírus caindo no sangue mais rápido a imunidade se recupera mais rápido

-Por outro lado, com a imunidade se recuperando mais rápido, aumenta o risco de reconstituição imune.

  • Alta barreira genética:

-O vírus não consegue criar resistência a esse remédio facilmente.

-Quando o vírus cria resistência, a pessoa não perde toda a classe do medicamento como acontece com vários antirretrovirais;

  • Administração em dose única dose ao dia
  • Menor toxicidade, garantindo uma maior adesão
  • Tamanho do comprimido (é bem pequeno, fácil de engolir)
Menor toxicidade, garantindo uma maior adesão
Tamanho real do Dolutegravir

 

Como O Dolutegravir combate o HIV?

É um inibidor da integrasse. Na prática ele impede que o código genético do HIV se integre ao da célula humana, impossibilitando sua multiplicação.

 

Como será utilizado:

  • 1 única dose diária  para pacientes sem história de resistência a remédios da mesma classe (outros inibidores da integrase)
  • 2 diárias para pacientes com historia de resistência a outros  inibidores da integrase
  • Usado com pelo menos mais 2 remédios de classes diferentes que podem estar coformulados em um único comprimido)

 

Contra indicações ao Dolutegravir:

  • Não se deve usar o dolutegravir em combinação com a dofetilida ou pilsicainida.
  • Pessoas com alergia conhecida ao dolutegravir ou a algum dos componentes do comprimido
  • Não existe estudos suficientes para liberação de seu uso de gestante

 

Vale lembrar que não existe fórmula de bolo ou fórmula mágica para o tratamento do HIV.

Cada remédio pode ter suas vantagens e desvantagens.

Além disso os vírus não são iguais e podem responder melhor a um ou outro esquema

Por isso a escolha do tratamento deve ser individualizada para cada caso.

Deve ser uma decisão do médico Infectologista que acompanha o caso em acordo com o paciente.

O paciente deve estar ciente dos benefícios e dos problemas que o esquema usado pode trazer afim de evitar abandonos de tratamento ou o uso irregular da medicação.

 

 

Fonte:

 

 

 

 

 

Compartilhe nas redes sociais:
  •  
  •  
  • 88
  •  
  •  
  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  
    92
    Shares
Dra. Keilla Freitas
Dra. Keilla Freitas
Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.
http://www.drakeillafreitas.com.br/

2 thoughts on “Novo medicamento para HIV – Dolutegravir

    1. Não existe estudos satisfatórios desse medicamentos em gestantes, portante não é uma medicação que deva ser usada na gravidez por não tem estudos provando nem sua segurança para o bebê, nem seus riscos.

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top