Você está aqui
Home > Infecção Viral > Herpes Zoster Vacina

Herpes Zoster Vacina

Herpes Zoster Vacina

1 em cada 3 pessoas terá pelo menos 1 crise de Herpes Zoster em algum momento da vida.

O Herpes Zoster é uma doença causada pelo mesmo vírus que causa a catapora 

Prevê-se que, aos 85 anos, 50% dos indivíduos tenham apresentado pelo menos um episódio de herpes-zóster.

Além disso, a frequência e a gravidade da Neuralgia pós-herpética aumentam com a idade e pode complicar de 25% a 50% dos casos de herpes-zóster em pacientes a partir de 50 anos.

Existe um risco maior de evoluir com complicações, hospitalização e, até mesmo, óbito.

Ter uma crise de Zoster não protege contra novas crises.

Para que serve a vacina

  • Previne crises de herpes Zoster em quem nunca teve
  • Previne novas crises em quem já teve
  • Previne complicações, como dor crônica pós crise

Quem deve se vacinar

Todas as pessoas com mais de 60 anos de idade,  mas seu uso é aprovado já a partir dos 50 anos de idade.

Para quem já teve Zoster, a vacina previne contra nova crises ou diminui os riscos de complicações em novas crises.

Para pessoas que já tiveram zoster, a vacina pode ser realizada após um ano da última crise.

Existem 2 tipos de vacinas contra o Herpes Zoster:

  • Herpes Zoster Vacina de vírus vivo
  • Herpes Zoster Vacina de vírus inativado

Vacina de vírus vivo

Herpes Zoster Vacina

(Nome: Zostavax, fabricada pelo laboratório MSD)

Vacina de Vírus Vivo Atenuado (vírus vivo enfraquecido)

Aplicada por via subcutânea (abaixo da pele) em uma única dose.

Eficácia da vacina

Segundo o órgão de controle de doenças infecciosas do Estados Unidos – CDC

  • Evitou 70% das crises de Zoster em pessoas vacinadas entre 50 e 59 anos
  • Evitou 64 das crises de Zoster entre pessoas vacinadas entre 60 e 69 anos
  • Evitou 38% das crises de Zoster entre pessoas vacinadas com 70 anos ou mais
  • Evitou 65.7% dos casos de dor crônica pós Zoster  após 9 a 11 anos da vacina em pessoas vacinadas entre 60-69 anos
  • Evitou 66.8% dos casos de dor crônica pós Zoster após 3 anos da vacina em pessoas vacinadas com 70 anos ou mais

Reações vacinais:

em sua grande maioria, sem gravidade e a maioria deles é relacionada à aplicação e não à vacina em si.

  • Vermelhidão e dor no local da aplicação
  • Febre baixa
  • Dores no corpo
  • Dor de cabeça
  • Sintomas gastrointestinais (como náuseas ou diarreia)

Quem não pode tomar a vacina

Apesar de ser bastante segura, por se tratar de uma vacina de vírus vivo enfraquecido, ela pode ter efeitos adversos maiores e está contra indicada com pessoas com imunidade baixa:

  • Pessoas em tratamento para neoplasias
  • Pessoas em tratamento com remédios imunossupressores
  • Transplantados
  • Pessoas usuárias de corticoide por longos períodos
  • Paciente com HIV com níveis muito baixo de CD4

Dessa forma, quem mais se beneficiaria da vacina não pode recebê-la

Vacina de vírus inativado

Herpes Zoster Vacina

A vacina recombinante adjuvante contra o herpes zoster, tem o nome de Shingrix, é fabricada pelo laboratório GSK)

Ela é feita de fragmentos do vírus. Por isso, ela não é capaz de causar a doença, mesmo em pessoas com imunidade muito baixa.

Além disso, possui uma substância desenvolvida em laboratório que prolonga a presença do imunizante no organismo, causando uma melhor resposta imunológica.

Injeção aplicada de forma intramuscular em 2 doses com diferença entre 2 a 6 meses entre elas.

Foi aprovado pelo FDA (agência que regula remédios e alimentos nos Estados Unidos) em outubro de 2017

Ela pode ser usada em pessoas já previamente vacinadas com a Zostavax

Eficácia:

  • Evitou 96.6% das crises de Zoster em pessoas vacinadas entre 50 e 59 anos
  •  Evitou 97.4% das crises de Zoster entre pessoas vacinadas entre 60 e 69 anos
  • Evitou 91.3% das crises de Zoster entre pessoas vacinadas com 70 anos ou mais
  • Evitou 97.6% das crises de Zoster no primeiro anos após a vacinação entre pessoas com 70 anos ou mais
  • Evitou 84.7% das crises de Zoster após 3 anos da aplicação em pessoas vacinadas com 70 anos ou mais
  • Evitou 91.2% dos casos de dor crônica pós Zoster em pessoas vacinadas com 50 anos ou mais
  • Evitou 88.8% dos casos de dor crônica pós Zoster em pessoas vacinadas com 70 anos ou mais.

Pode ser administrada juntamente com a vacina da Gripe

Reações vacinais

Mais comuns:

  • Dor no local da aplicação
  • Dor muscular
  • Cansaço

Herpes Zoster Vacina no Brasil

No Brasil, por enquanto só existe a vacina de virus vivo.

A vacina Zostavax, fabricada pelo laboratório Merck está disponível no Brasil desde 2014.

Por enquanto, a vacina contra herpes-zoster ainda não faz parte do calendário nacional de imunizações gratuitas, oferecidas pela rede pública de saúde, mas pode ser encontrada em clínicas privadas.

A orientação do Sociedade Brasileira de Imunizações – SBIm é vacinar todos os idosos que não possuam contra indicações com a vacina de vírus vivo.

Como não há contra -indicações ao uso das duas, após a chegada dessa última, as pessoas poderão ser revacinadas com a nova vacina.

 

Referências:

Compartilhe nas redes sociais:
  •  
  •  
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    1
    Share
Dra. Keilla Freitas
Dra. Keilla Freitas
Residência médica em Infectologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com complementação especializada em Controle de Infecção Hospitalar pela USP (Universidade de São Paulo); Pós-Graduação em Medicina Intensiva pela Universidade Gama Filho; Graduação em Medicina pela ELAM, com diploma revalidado por prova de processo público pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso); Experiência no controle e prevenção de infecção hospitalar com equipe multidisciplinar no ajustamento antimicrobiano, taxa de infecção do hospital e infectologia em geral, atendendo pacientes internados e com exposição ao risco de infecção hospitalar; Vivência em serviço de controle de infecção hospitalar, interconsulta de pacientes cardiológicos e imunossuprimidos pós-transplante cardíaco no InCor (Instituto do Coração) ; Gerenciamento do atendimento prestado aos pacientes internados em quartos e enfermarias, portadoras de doenças crônicas e agudas com necessidades de cuidados e controles específicos.
http://www.drakeillafreitas.com.br/

Deixe uma resposta


*Os comentários são limitados a 500 letras. Obrigada.

Top